domingo, 26 de abril de 2009

BOTAFOGO 2 X 2 FLAMENGO

CRÔNICA: Peripércias no Maior do Mundo
A primeira final a gente nunca esquece

Torcida do Flamengo faz a festa antes da partida começar (FOTO: Aldevan Junior)

Depois de muito tempo longe, enfim voltei ao velho Maracanã. Minha noiva nunca havia ido ao estádio e eu resolvi levá-la logo numa final. Foi também a minha primeira final no Mário Filho. A ida vez foi em 2006, na estréia do Bruno e do Jajá (aquele que veio da Espanha e depois sumiu). Ney Franco era o técnico e resistia à pressão – depois da Copa do Brasil, o time relaxou no Brasileirão daquele ano. Numa partida péssima do volante Júnior, hoje no Atlético-MG, o Fla perdeu para o Internacional por 2 a 1, de virada, dois de Fernandão (um de pênalti e um de cabeça). Obina fez o do Mengo, cabeceando bola cruzada por Juan.

Mas hoje não era dia de pensar em derrota. Até porque não queria que a Monique ficasse com fama de pé frio... Ficamos na cadeira branca, na chamada zona mista, onde é mais tranqüilo, mas ninguém quase canta. Ruim, pois das outras vezes que fui fiquei no meio da Raça e cantei o jogo inteiro. Para evitar tumulto, ficamos na branca mesmo.

Fora um casal botafoguense que insistia em ficar no meio da torcida do Flamengo (e no nosso lado), a torcida rubro-negra imperou. Não só nas cadeiras brancas, mas no estádio todo. Aliás, cadê a torcida do Botafogo no Rio de Janeiro? Mal se limitou a ocupar o espaço destinado a ela nas arquibancadas verdes e uma pequeníssima parte da amarela.

O jogo: ir ao estádio para torcer complica a vida de um jornalista. É muito complicado ficar no meio da torcida do Flamengo, clube do coração, e ser imparcial. Se na hora não deu para analisar mais jornalisticamente a partida, façamos aqui.

O Flamengo começou melhor e chegou ao seu gol explorando o lado esquerdo da defesa alvinegra que, se Léo Moura e Zé Roberto não estivessem tão mal, certamente os ataques do Fla neste setor seriam mais constantes e perigosos. Estes dois estavam tão desligados que quem apareceu para sofrer pênalti no lado direito do ataque foi o ala esquerdo. Juan sofreu e bateu o pênalti, abrindo o placar para o Fla.

Depois de abrir o placar, o time de Cuca desandou. O trio maravilha do Botafogo ameaçou bastante, aproveitando principalmente a má tarde do garoto Wellington, que não acertava a marcação no lado direito da defesa e fez a falta em Maicossuel, que originou no gol de empate do Bota. E no finalzinho da primeira etapa, após falta cobrada do lado esquerdo do seu ataque, o time da estrela solitária virou com cabeçada de Reinaldo.

Na etapa final, Cuca veio do intervalo sem Zé Roberto e com Josiel. O que não acrescentou em muita coisa no inoperante ataque rubro negro – Emerson esteve muito apático. Já Ney Franco manteve o time e a pegada firme, buscando o terceiro para sacramentar o placar. O Fogão só não foi bem sucedido porque perdeu dois dos seus melhores jogadores em campo por contusão: Maicossuel, autor de um grande drible para cima de Juan um pouco antes de sair do campo por lesão na coxa, e Reinaldo. Aproveitando o nervosismo adversário e pressionando a saída de bola, a ampliação do placar não veio porque Bruno, apesar de não ter passado segurança hoje, interveio bem.

Mas mesmo assim o Flamengo não conseguia emplacar. Até que Cuca sacou aqueles que eram alvos da torcida pelo dia infeliz: Léo Moura, que deu lugar a Éverton Silva e Wellington, que deu lugar a Erick Flores. A ofensividade foi premiada por mais um gol contra do zagueiro alvinegro Emerson: Willians, que não foi nem sombra daquele que praticamente anulou Maicossuel na final da Taça Rio, chutou, a bola desviou em Emerson e enganou Renan.

Final 2 a 2. Botafogo melhor durante grande parte do jogo e refém do seu trio ofensivo. Se Maicossuel não jogar a finalíssima, será um grande problema para Ney. Já Cuca precisa ajustar o lado direito da defesa e dar um jeito no ataque. Definitivamente, Zé Roberto não é atacante e Emerson ainda não está em condições ideais de jogo.


A velha foto para a posteridade: Aldevan e Monique (Aldevan Junior)

PS. Minha noiva gostou muito, aliás, nós gostamos muito. Ela passou pela mesma experiência de qualquer pessoa que vai ao estádio de futebol pela primeira vez: sente a falta do replay, mas vibra com o calor da torcida. Enfim, foi uma ótima experiência.

domingo, 19 de abril de 2009

TAÇA RIO E OUTROS ESTADUAIS

Com uma semana de atraso, o CANETA DE CHUTEIRA está de volta. E para falar do campeão da Taça Rio e dos outros estaduais.

FLAMENGO 1 X 0 BOTAFOGO

O capitão Fábio Luciano ergue a Taça Rio. (FOTO: REUTERS)

Muito se comentou aqui no Rio em relação a essa final de Taça Rio. De que não seria interessante para quem transmite o Estadual do Rio que o mesmo terminasse duas rodadas antes do que o Campeonato Paulista, por exemplo.

Mas o Botafogo mostrou que não estava nem aí para isso e encarou o Flamengo com bravura, tendo até as melhores chances da partida. O trio Maicossuel-Victor Simões-Reinaldo deu muito trabalho à defesa rubro-negra, principalmente os dois primeiros: o maestro mandou uma bola na trave de Bruno e o camisa 9 desperdiçou um ótima oportunidade diante do arqueiro rival. Thiaguinho, apesar da expulsão na etapa final, também incomodou o lado direito da defesa adversária.

Já o Flamengo mostrou que vem numa crescente interessante, principalmente depois do empate no Fla-Flu da primeira rodada da Taça Rio. Teve maior posse de bola na final, envolveu o adversário diante boa parte da partida, mas sem incomodar muito a meta de Renan. O domínio territorial foi agraciado na infelicidade do zagueiro alvinegro Emerson, que "fez o gol" do título do Mengo, após tentativa de corte que parou no fundo da rede do Bota. O destaque da partida foi Willians; um verdadeiro LEÃO à frente da defesa rubro-negra. Ótimo nos desarmes, anulou Maicossuel com uma marcação leal, onde a violência deu lugar à impressionantes interceptações.

Agora as equipes se enfrentam mais duas vezes para decidir o Carioca 2009. Favorito? Impossível apontar. Se o Flamengo mostrar o ímpeto das últimas partidas e o Botafogo continuar a mostrar esse futebol envolvente - o melhor apresentado no futebol carioca até agora - o Rio de Janeiro irá assistir uma bela final. Que vença o melhor, sem ajuda da arbitragem, de preferência. O futebol agradece.

OUTROS ESTADUAIS

- SÃO PAULO:


Ronaldo e a finalização depois da ótima arrancada. (FOTO: AGÊNCIA ESTADO)

Que final! Santos e Corinthians passaram como tratores sobre Palmeiras e São Paulo respectivamente e vão fazer a grande finalíssima na terra da garoa. No sábado, o Peixe, que vencera a primeira partida por 2 a 1, venceu o Palmeiras em pleno Palestra Itália com o mesmo placar da Vila Belmiro, numa noite fantástica do baixinho Madson. Destaque negativo para Diego Souza, que perdeu a cabeça e agrediu Domingos de forma covarde, por trás, mesmo estando já expulso pelo árbitro da partida.

No Morumbi, o Timão venceu mais uma vez o São Paulo; dessa vez por 2 a 0 (a partida de ida foi 2 a 1 no Pacaembu), com direito a gol do Fenômeno; Cristian lançou e o público no estádio do São Paulo teve a oportunidade de assistir um lance de Ronaldo que lembrou sua época de Barcelona, uma arrancada fulminante que resultou numa ótima finalização diante do goleiro Bosco.

Mostrando a superioridade que mostraram diante dos seus adversários na semifinal, Santos e Corinthians tem tudo para fazer dois grandes jogos na final. Vila Belmiro e Pacaembu vão tremer!!!



Jogadores do Sport comomoram mais um título pernambucano invicto. (FOTO: SITE OFICIAL DO CLUBE)

- Parabéns a Internacional e Sport, que se sagraram campeões estaduais antecipadamente. O Colorado enfiou 8 a 1 no Caxias e venceu o estadual do Rio Grande do Sul com uma brilhante exibição. Em 2007, o time vermelho também venceu o Gauchão com goleada: 8 a 2 diante do Juventude. Os times de Caxias do Sul terão trauma do Inter por um bom tempo...

Já o rubro-negro pernambucano venceu, mais uma vez invicto, o Campeonato de Pernambuco ao empatar com o Náutico e levar o segundo turno. Já que o Leão da Ilha havia sido campeão também do primeiro turno, levou o estadual com antecipação. Que ano do Sport! Ótima campanha na Libertadores e mais um título invicto em Pernambuco. Que o bom trabalho de Nelsinho Baptista seja recompensado com mais títulos.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

ESTAMOS DE VOLTA (ATÉ QUE ENFIM!)

Esta postagem não terá foto.


Este que vos escreve terá a missão de, mais uma vez entre tantas outras, pedir desculpas aos leitores do CANETA DE CHUTEIRA que, por conta da quantidade E X C E S S I V A de afazeres do dia-a-dia deste editor "maluco" (trabalho, estágio, curso de inglês, curso de francês e faculdade de jornalismo), e pelo velho problema no serivo de internet (desta vez tiraram o provedor do ar sem avisar...), ficaram por vários dias sem ter uma nova postagem.

Qual seria a alternativa então? No atual "pentatlo acadêmico-profissional" do editor deste blog, resta apenas para descanso as tardes de sábado e o dia de domingo.

AH! A alternativa é avisao aos leitores que o CANETA chegou ao fim... J A M A I S !!! A solução é uma postagem por semana, sempre aos domingos, sempre abordando o melhor do futebol.

E já neste domingo tem nova postagem sobre o nosso esporte bretão.

PS.: Menções honrosas ao BOTAFOGO FR, campeão da Taça Guanabara! O Fogão foi campeão do primeiro turno do estadual do Rio enquanto o CANETA esteve fora do ar. PARABÉNS FOGÃO!

Assinar Feed Assinantes

Seguir no Twitter Seguidores

Artigos publicados Artigos

Comentários recebidos Comentários