sexta-feira, 31 de outubro de 2008

32ª RODADA DO BRASILEIRÃO: JOGOS DE QUINTA-FEIRA

foto: VIPCOMM


Três jogos completariam a 32ª rodada ontem, mas apenas dois se realizaram
Figueira x Flu foi adiado; Vasco empata em casa e se complica; Sport empata com o Santos.


SPORT 1 X 1 SANTOS
Tudo igual na partida disputada ontem na Ilha do Retiro entre Sport e Santos. Fumagalli abriu o placar de pênalti para o time da casa e Kléber Pereira, artilheiro isolado da competição com 21 gols, empatou para o Peixe e fechou o placar. Com o resultado, o atual campeão da Copa do Brasil passeia na Série A, visando a preparação para a Libertadores do ano que vem; é o décimo primeiro, com 42 pontos. O Santos já não pensa em rebeixamento e, na 12ª colocação com 40 pontos, se prepara para ir o mais longe que der para sacramentar a sua participação na Copa Sul-Americana do ano que vem.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Ilha do Retiro, Recife (PE)
Data/hora: 30/10/08 - 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (RS)
Assistentes: Milton Otaviano dos Santos (RN) e José Antônio Chaves Franco Filho (RS)
Renda/público: Não disponíveis
Cartões amarelos: Moacir (SPT); Fábio Santos, Domingos (SAN)
Cartões vermelhos: Nenhum
Gols: Fumagalli, 30´/1ºT (1-0); Kléber Pereira, 45´/1ºT (1-1)

SPORT: Magrão, Sidny, Igor, Durval e Dutra; Fábio Gomes (Cássio, 16´/2ºT), Júnior Maranhão, Moacir e Fumagalli (Wilson, 23´/2ºT); Carlinhos Bala (Lúcio Curió, 24´/2ºT) e Roger. Técnico: Nelsinho Baptista.

SANTOS: Fábio Costa, Pará, Domingos, Adaílton e Kléber; Adriano (Fabão, 14´/2ºT), Wendel, Fábio Santos e Molina (Michael, 23´/2ºT); Robinho (Adoniran, 42´/2ºT) e Kléber Pereira. Técnico: Márcio Fernandes.



VASCO 2 X 2 ATLÉTICO PARANAENSE
Era a chance do Vasco de decolar na tabela e fugir da zona de rebaixamento. Renato Gaúcho jogou a chance fora. Aliás, este treinador vem jogando fora muitas chances boas neste Brasileirão, tanto no seu trabalho no Fluminense, quanto agora no Vasco. O Vasco veio ofensivo contra um Atlético Paranaense que vinha de uma vitória muito motivadora em casa contra o terceiro colocado Cruzeiro, escancarando a sua defesa.

E o que aconteceu? O Vasco até se aproveitou da sua ofensividade e saiu na frente do placar, com uma boa jogada de contra-ataque que foi finalizada pelo lateral-esquerdo Walmir. Mas a já velha fragilidade da defesa se mostrou ainda evidente após o gol. Se aproveitando de um bate-rebate onde só jogadores do Furacão tocaram na bola, o meia paraguaio Júlio dos Santos empatou.

No segundo tempo, mais uma vez a débil defesa falhou. Jonilson deu um bote no ar e Pedro Oldoni avançou livre pela direita até a grande área, onde finalizou e contou com a colaboração do goleiro Rafael para virar o placar. Depois do gol do adversário, o Vasco foi só coração. Expôs mais o time, mas atacou com veemência. Se o clube da Colina estivesse enfrentando um time do G4, certamente levaria uma goleada em casa. O Atlético não soube se aproveitar dos contra-ataques e se encolheu. Até que levou um gol do melhor jogador do Vasco nessa fase triste: Mádson acertou um belo chute da intermediária e fechou o placar. MÁDSON, GARRA É O TEU NOME!!!

O time de São Januário foi a 31 pontos, mas não se livrou da incômoda 19ª colocação. Enfrenta no domingo o Fluminense no Maracanã precisando desesperadamente da vitória. O Furacão também não está muito cômodo: foi a 32 e esta acima do Vasco na tabela, na 18ª colocação. Pega o Sport no domingo também precisando desesperadamente da vitória.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 30/10/2008 - 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Wallace Nascimento Valente (ES)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e José Ricardo Maciel Linhares (ES)
Renda/público: R$ 265.995,00 / 22.743 pagantes
Cartões amarelos: Alan Bahia, Zé Antônio, Netinho, Antônio Carlos, Galatto, Ferreira (APR); Valmir (VAS)
Gols: Valmir, 27'/1ºT (1-0); Julio dos Santos, 44'/1ºT (1-1); Pedro Oldoni, 16'/2ºT (1-2); Madson, 42'/2ºT (2-2);

VASCO: Rafael, Baiano, Jorge Luiz, Fernando e Valmir (Rodrigo Antônio, intervalo); Jonílson, Mateus (Pinilla, 20'/2ºT), Leandro Bomfim, Madson e Alex Teixeira; Edmundo (Alan Kardec, intervalo). Técnico: Renato Gaúcho.

ATLÉTICO-PR: Galatto, Gustavo (Chico, intervalo), Antônio Carlos e Gustavo Lazaretti; Zé Antônio (Alex Fraga, 39'/2º), Alan Bahia, Valencia, Julio dos Santos (Julio César, 18'/2ºT) e Netinho; Ferreira e Pedro Oldoni. Técnico Geninho.



FIGUEIRENSE X FLUMINENSE
Quando os jogadores do Figueirense entraram no campo do Orlando Scarpelli para enfrentar o Fluminense, pouco antes das 20:30, o estádio sofreu um apagão. A falta de energia durou quase duas horas, mas as equipes esperaram pacientemente a volta da luz. Por volta de 22:15, a luz foi restabelecida e a partida começou.

Eletrizante, o duelo teve muitas emoções até o segundo apagão. Teve direito a pênalti perdido por Washington, que mandou a bola "NA LUA", e a gol de Arouca, que abriu o placar para o Flu. Só que aos 15 minutos, ainda do primeiro tempo, mais uma vez as luzes se apagaram. E, apesar de as equipes esperarem mais trinta minutos para a luz voltar, esta não se restabeleceu e a partida foi adiada para o dia 05/11, data reservada para a Copa Sul Americana. O jogo volta no mesmo lugar onde parou, no mesmo tempo, com o mesmo placar, com os mesmos cartões. Mas começa às 20:30.


CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO E OS PRÓXIMOS JOGOS DO BRASILEIRÃO CLICANDO AQUI.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

32ª RODADA DO BRASILEIRÃO: JOGOS DE QUARTA-FEIRA

foto: GLOBOESPORTE.COM

32ª rodada se inicia com sete jogos
Destaque para o erro de arbitragem que levou o São Paulo a segunda colocação


CORITIBA 2 X 1 ATLÉTICO-MG
De virada, o Coritiba venceu o Atlético-MG no Couto Pereira e se manteve vivo na tão sonhada vaga na Libertadores. Renan Oliveira abriu o placar para o Galo, num belo chute de fora da área. Mas Ricardinho, também num belo chute de fora da área e Maurício, marcando após um presentão do goleiro Juninho. Com a vitória, o Coxa foi aos 49 pontos e empatou com o Botafogo em pontos, mas perde para o time carioca no número de vitórias (14 a 13 para o Fogão), ficando em sétimo. Já o Galo permaneceu nos 38 pontos e na 13ª posição, a 5 pontos da zona de rebaixamento. É bom o alvinegro de BH começar a somar pontos se não quiser terminar o campeonato numa situação desonrosa.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Data/hora: 29/10/2008, às 19h30 (de Brasília)
Estádio: Couto Pereira, Curitiba (PR)
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Público/Renda: 7.522 pag./ Não divulgada
Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Everson Luis Luquesi Soares (SP)
Cartão Amarelo: Elton 33'/1ºT, Sheslon 17'/2ºT, Juninho 21'/2ºT, Welton 45'/2ºT (ATL), Bilu 10'/2ºT (CTB)
Gols: Renan Oliveira 40'/1ºT (0-1), Ricardinho 9'/2ºT (1-1), Maurício 28'/2ºT (2-1)

CORITIBA: Vanderlei; Maurício, Bernardi (Bilu, intervalo) e Felipe; Marcos Tamandaré, Alê, Carlinhos Paraíba, João Henrique (Ariel, intervalo), Marlos e Ricardinho; Keirrison (Hugo, 31'/2ºT). Técnico Dorival Júnior.

ATLÉTICO-MG: Juninho, Sheslon, Leandro Almeida, Welton Felipe e Raphael Aguiar; Serginho (Nen, 12'/1ºT), Elton, Márcio Araújo e Renan Oliveira; Pedro Paulo (Beto, 18'/2ºT) e Castillo (Petkovic, 26'/2ºT). Técnico: Marcelo Oliveira.


PORTUGUESA 2 X 0 IPATINGA
Definitivamente, a Portuguesa vai mostrando que está disposta a se livrar da zona da degola. Engatando a quarta partida sem perder, a Lusa venceu o Ipatinga no Canindé por 2 a 0, dois gols de Fellype Gabriel, foi aos 35 pontos e a 14ª colocação, não podendo ser ultrapassada pelos adversários nessa rodada. O time do Vale do Aço está a cinco partidas sem vencer e não consegue somar pontos para tentar se livrar da lanterna. Ainda é o último colocado com os mesmos 28 pontos há duas rodadas.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Canindé, São Paulo (SP)
Data/hora: 29/10/2008 - 19h30min (de Brasília)
Árbitro: Jailson Macedo de Freitas (ASP. FIFA-BA)
Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (FIFA-BA) e Adson Márcio Lopes Leal (BA)
Renda/público: R$ 41.519,00 / 3.225 pagantes
Cartões amarelos: Augusto Recife, Michel (IPA); Ediglê, Gottardi (POR)
GOLS: Fellype Gabriel, 14'/1ºT (1-0); Fellype Gabriel, 9'/2ºT (2-0);

PORTUGUESA: Gottardi, Gavillán, Bruno Rodrigo, Ediglê e Athirson; Rai, Erick, Preto (Wilton Goiano, 32'/2ºT) e Fellype Gabriel (Hérveton, 41 /2°); Edno e Jonas. Técnico: Estevam Soares.

IPATINGA: Fernando, Márcio Gabriel, Sílvio, Gian e Beto (Gilsinho, 28' / 2°T); Luciano Mandi (Michel, 13 / 2°T), Xaves (Júlio, 15' /1°T), Augusto Recife e Leandro Salino; Pablo Escobar e Ferreira. Técnico: Enderson Moreira.


PALMEIRAS 1 X 0 GOIÁS
O Verdão fez o seu dever de casa e, num pênalti bem cobrado por Alex Mineiro, SEM PARADINHA, venceu o Goiás no Palestra Itália e passou o Flamengo, trocando de posição com o time carioca na tabela. Se vencer o clássico contra o Santos na próxima rodada na Vila Belmiro, o alviverde se recupera de vez da humilhante derrota para o Fluminense no sábado passado. O Goiás perdeu a chancela de melhor time do returno na derrota para o Vasco na quarta-feira passada e somou mais uma derrota na quarta-feira seguinte. O time esmeraldino parou nos 45 pontos e caiu para 10º.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Palestra Itália, em São Paulo (SP)
Data/hora: 29/10/2008 – 20h30min (de Brasília)
Árbitro: Wagner Tardelli (SC)
Auxiliares: Carlos Brekenbrok (SC) e Aparecido Donizeti Santana (PR)
Renda/público: Não disponível
Cartões amarelos: Jumar, Fulano (PAL); Fahel, Rafael Marques, Ramalho (GOI)
GOLS: Alex Mineiro, 27'/1ºT (1-0)

PALMEIRAS: Marcos; Fabinho Capixaba, Gustavo, Roque Júnior e Leandro; Jumar, Pierre, Evandro (Sandro Silva, 25'/2ºT) e Diego Souza (Maicousuel, 36'/2ºT); Kléber e Alex Mineiro (Denílson, 20'/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

GOIÁS: Harlei; Ernando, Henrique, Rafael Marques; Víctor, Fahel (Anderson Gomes, 33'/2T), Ramalho, Júlio César, Paulo Baier, Thiago Feltri (Felipe, 17'/2ºT); Iarley. Técnico: Hélio dos Anjos

INTERNACIONAL 1 X 1 NÁUTICO
No empate contra o Atlético-MG na última rodada, o técnico Tite afirmou que o Inter estava disposto a brigar por uma vaga na Libertadores e que isso não seria impossível. Mas o empate com o Náutico ontem no Beira Rio em 1 a 1 praticamente acabou com o sonho Colorado, já que foi apenas a 48 pontos e caiu para oitavo. Ângelo marcou para o time da casa e Wagner empatou para o Timbu. Falando no time de Recife, este mostrou espírito de luta para fugia da situação difícil na tabela e o pontinho somado fora de casa contra um adversário poderoso pode fazer a diferença na batalha da parte de baixo na tabela. O Náutico foi a 33 pontos e entrou na zona de rebaixamento, na 17ª posição.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 29.10.08 – 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Antônio Hora Filho (SE)
Assistentes: Ivaney Alves de Lima (SE) e Ailton Farias da Silva (SE)
Renda/público: R$ 185.156,00/ 14.464 pagantes
Gols: Ângelo, 39'/2ºT (1-0); Vágner, 47'/2ºT (1-1)
Cartões: Daniel Carvalho (INT); Reinaldo (NAU)

INTERNACIONAL: Lauro; Ângelo, Indio, Bolívar e Marcão; Edinho, Andrezinho (Taison, 26'/1ºT), Guiñazú e D'Alessandro; Guto (Walter, 28'/2ºT) e Daniel Carvalho (Luiz Carlos, 32'/2ºT). Técnico: Tite.

NÁUTICO: Eduardo, Everaldo, Vagner e Adriano; Ruy, Ticão, Reinaldo, André Oliveira (Clodoaldo, 28'/2ºT) e Anderson (Alessandro, 28'/2ºT); William e Gilmar. Técnico: Roberto Fernandes.

CRUZEIRO 3 X 0 GRÊMIO
Era o jogo da rodada em relação ao título. E o Cruzeiro tinha no histórico recente uma derrota em casa para o Palmeiras numa situação parecida. Mas a Raposa superou o trauma e simplesmente goleou o líder Grêmio por 3 a 0, Wagner, Jonathan e Guilherme, colando na traseira do beneficiado pela arbitragem e segundo colocado São Paulo, estando o time celeste em terceiro, com 58 pontos (empatado com o Palmeiras, mas ganhando no número de vitórias: 18 a 17). O tricolor gaúcho permaneceu na liderança graças a má campanha do São Paulo, que foi a 59 pontos, mas só não passou o Grêmio porque tem menos vitórias (17 a 16 para o Grêmio). O time de Celso Roth pode se recuperar da derrota na próxima rodada, quando enfrenta o Figueirense em casa.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Data/hora: 29/10/2008, às 21h50 (de Brasília)
Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (PR)
Assistentes: Roberto Braatz (PR) e Erich Bandeira (PE)
Renda/Público: R$ 549.450,00 / 35.560 pagantes
Cartões Amarelos: William Magrão, Rafael Carioca, Souza e Tcheco (GRE); Fernandinho, Ramires e Guilherme (CRU)
GOLS: Wagner 14''/1ºT (1-0), Jonathan 9'/2ºT (2-0) e Guilherme 21'/2ºT (3-0)

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Léo Fortunato, Espinoza e Jadilson (Thiago Martinelli, 22'/2ºT); Marquinhos Paraná, Fernandinho, Ramires e Wágner (Camilo, 27'/2ºT); Guilherme (Jajá, 39'/2ºT) e Thiago Ribeiro. Técnico: Adilson Batista.

GRÊMIO: Victor, Leo, Pereira (Perea, 27'/1ºT), Réver e Felipe Mattioni; Rafael Carioca, William Magrão (Makelele, 22'/2ºT), Tcheco, Souza; Douglas Costa (Paulo Sérgio, intervalo) e Reinaldo . Técnico: Celso Roth.


BOTAFOGO 1 X 2 SÃO PAULO
No segundo jogo mais importante da rodada, o São Paulo derrotou o Botafogo em pleno Engenhão por 2 a 1 e colou no Grêmio, como na situação descrita na matéria da derrota por 3 a 0 do time gaúcho para o Cruzeiro. Marcaram para o tricolor paulista Jean, aproveitando uma falha de reposição de Renan, e Hernanes. Wellington Paulista descontou para o Fogão.

Lucas Silva poderia ter empatado para o Fogão, se arbitragem não tivesse anulado seu gol LEGALÍSSIMO, marcando impedimento de Wellington Paulista no lance, sendo que este NÃO PARTICIPOU DA JOGADA E NEM ATRAPALHOU ROGÉRIO CENI. Bebeto de Freitas foi a campo para reclamar do lance. Lembrou muito o Eurico Miranda nos jogos em São Januário. Péssimo exemplo, Bebeto. O Fogão ficou nos 49 pontos e na sexta posição, há nove pontos do G4. O sonho da América pode ter se acabado com o erro de um bandeirinha.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 29/10/2008 - 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Sérgio da Silva de Carvalho (DF)
Auxiliares: Altemir Haussman (Fifa-RS) e Renato Miguel Vieira (DF)
Renda/público: R$ 92.023,00 / 12.356 pagantes
Cartões amarelos: Diguinho, Alessandro e Renato Silva (BOT); Hugo, Rodrigo e André Dias (SAO)
GOLS: Jean, 16'/1ºT (0-1); Welligton Paulista, 23'/2ºT (1-1); Hernanes, 28'/2ºT (1-2)

BOTAFOGO: Renan, Alessandro, Renato Silva, Andre Luis e Édson (Luciano Almeida, 11'/2ºT); Leandro Guerreiro, Túlio (Lucas Silva, 18'/2ºT), Diguinho e Zé Carlos (Fábio, 10'/2ºT); Jorge Henrique e Wellington Paulista - Técnico: Ney Franco

SÃO PAULO: Rogério Ceni, André Dias, Miranda e Rodrigo; Jancarlos, Jean, Hernanes, Hugo (Anderson, 28'/2ºT) e Jorge Wagner; Dagoberto (Bruno e Borges (André Lima, 19'/2ºT) - Técnico: Muricy Ramalho

VITÓRIA 0 X 0 FLAMENGO
O jogo do apagão. Tanto nos 25 minutos em que a partida foi paralisada por falta de energia quanto no placar. Mas a partida no Barradão foi muito disputada, com as duas equipes buscando intensamente o gol. Mas a chance mais clara de gol foi do Flamengo: num chute de Íbson de dentro da pequena área, o goleiro Viáfara espalmou para frente e Léo Moura pegou a sobra. Mesmo com o goleiro caído, o artilheiro do Mengão na competição conseguiu jogar a bola para fora.

Com o empate, o rubro-negro baiano foi aos 45 pontos, subindo para nona colocação. Já o rubro-negro carioca foi aos 56 pontos e saiu do G4. Está há apenas três pontos do líder e do vice-líder, vivo na disputa pelo título. E precisa vencer a Portuguesa no sábado para continuar sonhando.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Barradão, Salvado (BA)
Data/Hora: 29/10/2008 - 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spínola Filho (Fifa-SP)
Auxiliares: Marcelino Tomaz Neto (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Renda/Público: R$ 573.300,00 / 35.000 pagantes
Cartões amarelos: Willians, Jackson, Leonardo Silva, Marco Aurélio (VIT); Kleberson, Obina (FLA)

VITÓRIA: Viáfara, Marco Aurélio, Leonardo Silva, Thiago Gomes e Marcelo Cordeiro; Vanderson, Renan, Willians (Ricardinho, 34'/2ºT) e Jackson (Ramon, 16'/2ºT); Marquinhos e Rodrigão (Robert, 35'/2ºT). Técnico: Vágner Mancini.
FLAMENGO: Bruno, Jaílton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Toró, Ibson (Fierro, 30'/2ºT), Kleberson e Juan; Marcelinho Paraíba (Maxi, 16'/2ºT) e Obina (Vandinho, 39'/2ºT). Técnico: Caio Júnior.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

DIA ESPECIAL: ANIVERSÁRIO DO CRIADOR DO CANETA DE CHUTEIRA


foto: Arquivo pessoal


Hoje, 29 de outubro de 2008, este que vos escreve está completando 22 anos.

É claro que, após os jogos da 32ª rodada de hoje, a postagem sobre estes estará aqui. Mas não prometo que logo após, pois pretendo comemorar com a família essa data espacial.

Espero que meu time me dê uma Vitória de presente hoje, pois os três pontos lá no Barradão serão importantíssimos na busca pelo hexa.

Acima, a foto do presente que eu mesmo me dei.

PS. ESTOU COLOCANDO AQUI O LINK DO MEU PERFIL NO ORKUT, CASO QUEIRAM ME ACEITAR COMO AMIGO. IDÉIA QUE NÃO TIVE ANTES, NÃO SEI POR QUE: http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=7583927894450187825

terça-feira, 28 de outubro de 2008

QUEM PODE SER CAMPEÃO?

foto: GRÊMIO.NET
Título nacional do Grêmio em 1996: para o Caneta, o time gaúcho será tri em 2008

Opinião do Caneta de Chuteira;

Tracei um prognóstico em relação às perspectivas dos próximos jogos das cinco primeiras equipes da tabela do Brasileirão. Os palpites são baseados nas campanhas que estas vem fazendo ao longo do campeonato.

Em ordem decrescente:

GRÊMIO: Hoje líder, com 59 pontos.
29/10: CRUZEIRO X GRÊMIO, Mineirão: Vitória do Cruzeiro - Pontos: 59
02/11: GRÊMIO X FIGUEIRENSE, Olímpico: Vitória do Grêmio - Pontos: 62
09/11: PALMEIRAS X GRÊMIO, Palestra Itália: Vitória do Palmeiras - Pts: 62
16/11: GRÊMIO X CORITIBA, Olímpico: Vitória do Grêmio - Pontos: 65
23/11: VITÓRIA X GRÊMIO, Barradão: Empate - Pontos: 66
30/11: IPATINGA X GRÊMIO, Ipatingão: Vitória do Grêmio - Pontos: 69
07/12: GRÊMIO X ATLÉTICO-MG, Olímpico: Vitória do Grêmio - Pontos: 72

SÃO PAULO: Hoje segundo colocado, com 56 pontos.
29/10: BOTAFOGO X SÃO PAULO, Engenhão: Vitória do Botafogo - Pontos: 56
02/11: SÃO PAULO X INTERNACIONAL, Morumbi: Empate - Pontos: 57
08/11: PORTUGUESA X SÃO PAULO, Canindé: Empate - Pontos: 58
16/11: SÃO PAULO X FIGUEIRENSE, Morumbi: Vitória do S.Paulo - Pts: 61
23/11: VASCO X SÃO PAULO, São Januário: Vitória do Vasco - Pontos: 61
30/11: SÃO PAULO X FLUMINENSE, Morumbi: Vitória do S.Paulo - Pts: 64
07/12: GOIÁS X SÃO PAULO, Serra Dourada: Vitória do São Paulo - Pts: 67

CRUZEIRO: Terceiro, com 55 pontos, levando vantagem pelo número de vitórias (17 a 16) em relação a Flamengo e Palmeiras, que também têm 55 pontos
29/10: CRUZEIRO X GRÊMIO, Mineirão: Vitória do Cruzeiro - Pontos: 58
02/11: GOIÁS X CRUZEIRO, Serra Dourada: Empate - Pontos: 59
09/
11: CRUZEIRO X FLUMINENSE, Mineirão: Vitória do Cruzeiro - Pts: 62
16/11: NÁUTICO X CRUZEIRO, Aflitos: Empate - Pontos: 63
23/11: CRUZEIRO X FLAMENGO, Mineirão: Vitória do Cruzeiro - Pontos: 66
30/11: INTERNACIONAL X CRUZEIRO, Beira Rio: Vitória do Inter - Pts: 66
07/12: CRUZEIRO X PORTUGUESA, Mineirão: Vitória do Cruzeiro - Pts: 69


FLAMENGO: Quarto, com 55 pontos. Tem o mesmo número de vitórias do Palmeiras, mas tem melhor saldo de gols (18 a 11)
29/10: VITÓRIA X FLAMENGO, Barradão: Vitória do Flamengo - Pontos: 58
01/11: FLAMENGO X PORTUGUESA, Maracanã: Vitória do Fla - Pts: 61
09/11: BOTAFOGO X FLAMENGO, Engenhão: Empate - Pontos: 62
16/11: FLAMENGO X PALMEIRAS, Maracanã: Vitória do Fla - Pts: 65
23/11: CRUZEIRO X FLAMENGO, Mineirão: Vitória do Cruzeiro - Pontos: 65
30/11: FLAMENGO X GOIÁS, Maracanã: Vitória do Flamengo - Pontos: 68
07/12: ATLÉTICO-PR X FLAMENGO, Arena da Baixada: Vitória Fla - Pts: 71

PALMEIRAS: Quinto, com 55 pontos. Só não está no G4 por estar em desvantagem nos critérios de desempate.
29/10: PALMEIRAS X GOIÁS, Palestra Itália: Vitória do Palmeiras - Pts: 58
02/11: SANTOS X PALMEIRAS, Vila Belmiro: Empate - Pts: 59
09/11: PALMEIRAS X GRÊMIO, Engenhão: Vitória do Palmeiras - Pts: 62
16/11: FLAMENGO X PALMEIRAS, Maracanã: Vitória do Flamengo - Pts: 62
23/11: PALMEIRAS X IPATINGA, Palestra Itália: Vitória do Verdão - Pts: 65
30/11: VITÓRIA X PALMEIRAS, Barradão: o time da casa vence - Pts: 65
07/12: PALMEIRAS X BOTAFOGO, Palestra Itália: Vitória Verdão - Pts: 68

Portanto, para o Caneta de Chuteira, o "G5" termina assim:

1º GRÊMIO: 72 pontos: TRI-CAMPEÃO NACIONAL E LIBERTADORES
2º FLAMENGO: 71 pontos: LIBERTADORES
3º CRUZEIRO: 69 pontos: LIBERTADORES
4º PALMEIRAS: 68 pontos: PRÉ-LIBERTADORES
5º SÃO PAULO: 67 pontos: SUL-AMERICANA

Lembrando que o palpite serve mesmo se a colocação final das equipes for a mesma numa combinação de pontos diferente.

E você, concorda?

sábado, 25 de outubro de 2008

31ª RODADA DO BRASILEIRÃO: JOGOS DE SÁBADO

foto: GLOBOESPORTE.COM

Seis jogos completaram a 31ª rodada do Brasileirão neste sábado
Candidatos ao G4 perdem fora de casa. Flu respira.


FLUMINENSE 3 X 0 PALMEIRAS
O Flu recebeu o Palmeiras no Maracanã precisando dos três pontos para escapar da situação difícil na tabela. E só. Pouco se importou se a sua vitória em cima do rival do dia poderia deixar o seu rival Flamengo no G4. Jogou muita bola e goleou o time de Vanderlei Luxemburgo por 3 a 0, gols de Carlinhos, Maurício (contra) e Junior César, todos marcados no primeiro tempo.

O tricolor carioca, com a vitória, chegou aos 34 pontos na tabela e chegou a 14ª posição, uma atrás do Atlético-MG, primeiro da zona da Sul-Americana. Porém, o Flu ainda está há quatro pontos do Galo. O Verdão ficou nos 55 pontos e se manteve fora do G4 por ter um saldo de gols menor do que o do Flamengo, já que as duas equipes têm o mesmo número de pontos e de vitórias.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 25/10/2008 - 16h (de Brasília)
Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF)
Auxiliares: Milton Otaviano dos Santos (Fifa-RN) e Alessandro Álvaro Rocha de Matos (Fifa-BA)Renda/público: R$ 421.435 / 31.973 pagantes
Cartões amarelos: Luiz Alberto, Fabinho, Conca (FLU); Martinez, Gustavo, Sandro Silva (PAL)
GOLS: Carlinhos, 14'/1ºT (1-0); Mauricio (contra), 37'/1ºT (2-0); Junior Cesar, 42'/1ºT

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Carlinhos (Eduardo Ratinho, 28'/2ºT), Thiago Silva, Luiz Alberto e Junior Cesar; Fabinho (Ygor, 31'/2ºT), Wellington Monteiro, Arouca (David, 19'/2ºT) e Conca; Everton Santos e Washington. Técnico: René Simões.

PALMEIRAS: Marcos, Gustavo, Maurício e Martinez (Denilson, 38'/1ºT); Sandro Silva, Pierre, Jumar (Fabinho Capixaba, intervalo), Evandro e Leandro; Kléber e Alex Mineiro (Maicossuel, 18'/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.


IPATINGA 0 X 3 BOTAFOGO
O Ipatinga, que vinha fazendo um bom returno até o jogo contra o São Paulo na 28ª rodada, caiu vertiginosamente de produção depois desta partida e já vê a Série B bem próxima. Hoje, o time do Vale do Aço perdeu mais uma em casa, agora para o Botafogo, por 3 a 0, gols, coincidentemente, marcados por volantes: o primeiro foi de Leandro Guerreiro, o segundo de Diguinho e o terceiro de Thiaguinho, que atuou na sua posição de origem.


O time mineiro estacionou nos 28 pontos e segue na lanterna. O técnico da equipe, Márcio Bittencourt, pediu demissão após o jogo. Já o Fogão aproveitou a boa oportunidade de vencer uma partida fora de casa e foi aos 49 pontos, permanecendo na 6ª posição. Ainda está difícil para o time da estrela solitária conseguir a tão sonhada vaga na Libertadores. Seis pontos o separam do G4. É quase impossível, mas não improvável.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Ipatingão, Ipatinga (MG)
Data/hora: 25/10/2008 - 16h (de Brasília)
Árbitro: Wallace Nascimento Valente (ES)
Auxiliares: Katiuscia Mayer Berger Mendonça (ES) e Fabiano da Silva Ramires (ES)
Renda e público: Não divulgados.
Cartões amarelos: Júlio 15'/1ºT, Adeílson 40'/2ºT (IPA) e Carlos Alberto 39'/2ºT (BOT)
Gols: Leandro Guerreiro (10'/1ºT), Diguinho (19'/1ºT) e Thiaguinho (46'/2ºT)


IPATINGA: Fernando, Márcio Gabriel, Henrique, Gian e Beto (Gilsinho 23'/2ºT); Júlio, Xaves (Pablo 0'/2ºT) e Augusto Recife; Adeílson, Kempes e Ferreira (Kempes 0'/2ºT). Técnico: Márcio Bittencourt

BOTAFOGO: Renan, Alessandro, Renato Silva, Edson e Triguinho; Leandro Guerreiro, Túlio (Thiaguinho 28'/2ºT), Diguinho e Carlos Alberto; Jorge Henrique e Wellington Paulista. Técnico: Ney Franco


ATLÉTICO-PR 1 X 0 CRUZEIRO
Se o Cruzeiro realmente quer ser campeão brasileiro, não pode perder boas chances de obter três pontos fora de casa. E a Raposa comprometeu a sua caminhada rumo ao topo da tabela ao perder para o cambaleante Atlético-PR na Arena da Baixada por 1 a 0, gol de Rafael Moura.

O time da casa conseguiu uma vitória importantíssima a esta altura do campeonato. Mesmo tendo chegado a apenas 31 pontos e de ter permanecido na zona de rebaixamento, 18ª posição, os três pontos em casa em cima do terceiro colocado deram mais gás para o Furacão para este sair da sua complicada situação na tabela. Já o Cruzeiro, perdeu três pontos importantíssimos e ficou nos 55 pontos, na terceira colocação. Tem jogo decisivo na próxima rodada contra o líder Grêmio no Mineirão. É a chance do time azul de se aproximar.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data/Hora: 25/10/2008, às 18h20
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Nilson de Souza Monção (SP)
Renda/Público: R$ 237.840,00 / 15.908
Cartões amarelos: Rafael Moura, Antônio Carlos, Pedro Oldoni e Gustavo (APR); Wagner, Espinoza, Ramires e Henrique (CRU)
Cartões vermelhos: Thiago Heleno (CRU) e Rafael Moura (APR)
GOL: Rafael Moura, 8'/2ºT (APR)

ATLÉTICO-PR: Galatto, Rafael Santos, Gustavo, Antônio Carlos; Rodriguinho (Júlio dos Santos, 29'/2ºT), Valencia, Renan (Gabriel, 33'/1ºT), Ferreira e Netinho; Rafael Moura e Geílson (Pedro Oldoni, 32'/1ºT). Técnico: Geninho


CRUZEIRO: Fábio, Jonathan (Wanderley, 33'/2ºT), Espinoza, Thiago Heleno e Carlinhos (Léo Fortunato, intervalo); Henrique, Marquinhos Paraná, Ramires e Fernandinho; Guilherme e Thiago Ribeiro (Wagner, 10'/2ºT). Técnico: Adilson Batista.


SANTOS 3 X 0 FIGUEIRENSE
Vitória fácil e esperada do Santos hoje na Vila Belmiro diante do Figueirense. 3 a 0, gols de Molina, Bida e Rodrigo Souto. Com o passeio em cima dos catarinenses, o Peixe foi aos 39 pontos e vai se fixando na zona da Sul-Americana. O Figueira ficou nos 34 pontos e caiu para 15º. Está muito próximo da zona de rebaixamento: apenas dois pontos o separam.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 25/10/2008 - 18h20 (de Brasília)
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR) e Rodrigo Baeta (MG)
Renda/público: R$ 150.072,00/ 12.563 pagantes
Gols: Molina, 38’/1ºT (1-0), Bida, 40’/1ºT (2-0), Rodrigo Souto 17’/2ºT (3-0)
Cartões amarelos: Adaílton, Rodrigo Souto e Bida (Santos); Ramón, Leandro Carvalho e Alex (Figueirense)


SANTOS: Fábio Costa, Pará, Adaílton, Fabão e Kléber; Rodrigo Souto, Roberto Brum (Adriano, 45'/2ºT), Bida e Molina (Lima, 34’/2ºT); Róbson (Michael, 13’/2ºT) e Kléber Pereira. Técnico: Márcio Fernandes


FIGUEIRENSE: Wilson, Bruno Perone (Leandro Carvalho, 15’/2ºT), Alex e Asprilla; Diogo, Gomes, Ramón (Edu Salles, 14’/2ºT), William Matheus e Marquinho; Wellington Amorim (Rodrigo Fabri, intervalo) e Tadeu. Técnico: Mário Sérgio.



NÁUTICO 1 X 1 PORTUGUESA
Empate com gosto de derrota para as duas equipes hoje nos Aflitos. O empate por 1 a 1, Felipe (NAU) e Dias (POR), deixou o Timbu e Lusa empatados também em pontos na tabela, 32. O que deixa os pernambucanos fora da zona da degola é o saldo de gols, menos negativo do que o dos paulistas. O Náutico é o 16º e a Lusa a 17ª. Mas os times podem mudar de posição na próxima rodada, já que a Portuguesa pega o fraco Ipatinga no Canindé e o Náutico pega o poderoso Internacional no Beira Rio.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Aflitos, Recife (PE)
Data/hora: 25/10/08, às 18h10 (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Flavio Gilberto Kanitz (GO) e Fabrício Vilarinho da Silva (GO)
Renda/público: não divulgado
Cartões amarelos: Gavilán, Ediglê e Fellype Gabriel (POR), Vagner, Hamilton e Felipe (NAU)GOLS: Felipe, 17'/1ºT (1-0); Dias, 41'/2ºT (1-1)


NÁUTICO: Eduardo, Rui, Vagner, Everaldo e Alessandro; Hamilton, André Oliveira (Kuki, 18'2ºT), William e Derlei; Felipe e Clodoaldo (Adriano, , 1'/2ºT). Técnico: Roberto Fernandes.

PORTUGUESA: Gottardi, Patrício (Dias, 1'/2ºT), Bruno Rodrigo, Ediglê e Athirson; Gavilán, Eric, Carlos Alberto (Héverton, 25'/2ºT) e Fellype Gabriel; Edno e Washington (Jonas, 1'/2ºT). Técnico: Estevam Soares.


ATLÉTICO-MG 2 X 2 INTERNACIONAL
Mais um jogo para comprovar que a vitória do Atlético-MG em cima do Flamengo na 29ª rodada, em pleno Maracanã, foi mais por desleixo do adversário do que por mérito do vencedor. Depois de perder para o Cruzeiro na última rodada, o Galo empatou hoje com o Internacional no Mineirão por 2 a 2 (Castillo e Pedro Paulo para o Galo e Alex e Sandro para o Inter) e foi a 38 pontos, perdendo a 12ª posição para o Santos. Na 13ª posição, o time mineiro está a apenas seis pontos da zona de rebaixamento. Pode ficar a apenas três na próxima rodada. O Inter foi a 47 e é o sétimo. Está há sete pontos do G4 e na mesma situação do Botafogo no quesito Libertadores: é improvável, mas não é impossível.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Data/hora: 25/10/2008 - 18h20(de Brasília)
Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Salvio Spínola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Auxiliares: Ednílson Corona (Fifa-SP) e Evandro Luis Silveira (SP)
Público: 8.860 pagantes
Cartões amarelos: Sheslon, Elton, César Prates (Atlético-MG); Ângelo, Alex (Inter)
Gols: Castillo, 6'/1ºT (1-0); Alex, 5'/2ºT (1-1); Sandro, 23'/2ºT (1-2); Pedro Paulo, 29'/2ºT (2-2)


ATLÉTICO-MG: Juninho, Sheslon, Leandro Almeida, Vinícius (Welton Felipe, 45'/1ºT) e César Prates; Serginho, Márcio Araújo, Elton (Petkovic, 18'/2ºT) e Renan Oliveira; Marques (Pedro Paulo, 4'/2ºT) e Castillo. Técnico: Marcelo Oliveira.

INTERNACIONAL: Lauro, Ângelo, Danny Morais, Bolívar e Marcão; Edinho, Magrão (Sandro, intervalo), Andrezinho (D'Alessandro, 22'/2ºT) e Taison (Adriano, 36'/2º); Nilmar e Alex. Técnico: Tite.


Confira a tabela e a classificação da competição CLICANDO AQUI.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

31ª RODADA DO BRASILEIRÃO: JOGOS DE QUINTA-FEIRA

foto: Agência Estado

Três jogos deram continuidade a 31ª rodada do Brasileirão nesta quinta-feira
Todos os jogos mereceram destaque, pois esquentaram a briga pelo título


GRÊMIO 1 X 0 SPORT
Todos aqueles que estão em busca da taça desta edição do Campeonato Brasileiro tiveram dificuldades com o Sport quando receberam este time em casa. E o jogo no Olímpico não foi diferente. O líder do campeonato só conseguiu a vitória com um gol chorado, solitário e relâmpago de Reinaldo, aos dois minutos do primeiro tempo.

O tricolor gaúcho segue firme na ponta. Foi a 59 pontos e não pode ser ultrapassado nessa rodada. Mas tem jogo chave na próxima quarta-feira contra o Cruzeiro no Mineirão. A Raposa, que joga no sábado contra o Atlético-PR na Arena da Baixada, pode ultrapassar o Grêmio se vencer este jogo e o da próxima rodada. Já o despretensioso Sport ficou nos 41 pontos, na 11ª colocação e, assim como o rival de hoje, também não pode ser ultrapassado nessa rodada.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data/hora: 23/10/2008 - 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Wagner Tardelli (SC)
Gol: Reinaldo, 2'/1ºT (1-0)
Cartões: Sandro Goiano, Durval, César (SPO)

GRÊMIO: Victor; Thiego, Pereira e Réver; Felipe Mattioni, Rafael Carioca, William Magrão, Tcheco e Douglas Costa (Souza, 38'/2ºT); Perea (Morales, 28'/2ºT) e Reinaldo (Soares, 28'/2ºT). Técnico: Celso Roth.

SPORT: Magrão, César, Igor e Durval; Cássio Lopes (Moacir, 8'/1ºT)(Luciano Henrique, 23'/2ºT), Andrade (Júnior Maranhão, intervalo), Sandro Goiano, Fumagalli e Dutra; Carlinhos Bala e Wilson. Técnico: Nelsinho Baptista.


SÃO PAULO 2 X 1 VITÓRIA
Foi com muita vontade e utilizando da sua mortal bola parada que o atual bi-campeão brasileiro São Paulo derrotou o Vitória hoje no Morumbi. O time baiano saiu na frente aos 14 minutos do primeiro tempo, com Leonardo Silva de cabeça. Mas o tricolor paulista reagiu. Hernanes, aos 29 do primeiro tempo, contou com a colaboração da barreira, que abriu, e do goleiro Viáfara, que pulou atrasado, para empatar cobrando falta. E Hugo, aproveitando a ingenuidade da defesa do Vitória, que quis deixar todo ataque adversário em impedimento após cobrança de falta de Dagoberto, recebeu sozinho, EM POSIÇÃO LEGAL, para virar e fechar o placar.

O São Paulo chegou aos 56 pontos com a vitória em cima do time baiano e assumiu momentaneamente a segunda colocação na tabela. Agora, o tricolor torcerá contra Cruzeiro e Palmeiras no sábado para poder continuar na vice-liderança. O rubro-negro se manteve na 10ª colocação com 44 pontos e ninguém pode superá-lo nesta rodada.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 23/10/2008 - 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Aparecido Donizetti Santana (PR) e José Carlos Dias Passos (PR)
Renda/público: R$ 320.795,00 e 17.173 pagantes
Cartões amarelos: Zé Luis, Richarlyson, Jean (SAO); Marcelo Cordeiro, Vanderson (VIT)
Gols: Leonardo Silva, 14'/1T (0-1); Hernanes, 29'/1T (1-1); Hugo, 8'/2T (2-1)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Rodrigo, Miranda e André Dias; Zé Luis, Jean, Hernanes Hugo e Jorge Wagner; Dagoberto e André Lima (Richarlyson, 17'/2T). Técnico: Muricy Ramalho

VITÓRIA: Viáfara, Marco Aurélio, Anderson Martins, Leonardo Silva e Marcelo Cordeiro; Wallace, Vanderson, Marco Antônio (Ramón, 17'/2T) e Jackson (Willians, 22'/2T); Marquinhos e Rodrigão. Técnico: Vágner Mancini.

FLAMENGO 5 X 0 CORITIBA
No aniversário do artilheiro da equipe no campeonato, o Flamengo fez um partidaço diante do Coritiba no Maracanã, comemorando com muita alegria os 30 anos de Léo Moura. Caio Jr. surpreendeu a todos ao escalar a equipe com um só zagueiro, formando a linha de zaga com Aírton, Jaílton e Ronaldo Angelim. E com Luizinho na vaga de Juan, suspenso.

Mas em vez de sair para o abafa, o time da casa chamou o Coxa para o seu campo para explorar os contra-ataques. Estratégia que deu certo o jogo todo, graça aos desarmes quase que constantes dos volantes rubro-negros.

E o aniversariante do dia abriu o placar: numa jogada despretensiosa, Obina disputou uma bola com João Henrique dentro da área e foi derrubado por este. Pênalti, que Léo Moura cobrou, Vanderlei espalmou, mas no rebote, o camisa dois mandou para o fundo da rede.

A partir daí, o Flamengo só se utilizou da estratégia do dia. E o Coritiba parecia não perceber que estava caindo numa cilada, pois o Fla chegou ao segundo gol num contra-ataque: Kléberson arrancou pela direita, numa avenida deixada defesa adversária, entrou na área e rolou para Obina, que dominou bonito de esquerda e concluiu de direita. 2 a 0, placar do primeiro tempo.

Na etapa complementar, Dorival Junior colocando Thiago Silvy e Marlos na equipe para torná-la mais ofensiva. Era tudo que Caio Jr. queria, pois assim pôde continuar com a sua eficiente armadilha.

Aos 32, Ibson tabelou com Fierro, que entrou no lugar de Kléberson, e entrou liver na área para concluir. E aos 34, Obina, O NOME DO JOGO, fez jogada pela esquerda da área adversária e cruzou rasteiro para Maxi Biancucci (que substiuiu Marcelinho Paraíba) fazer o quarto. Nos acréscimos, mais uma vez a defesa do Coritiba cometeu um pênalti numa jogada despretensiosa dentro da grande área. Alê fez pênalti em Ibson e Obina pegou a bola para bater. Mas a torcida queria Bruno. Então o goleirão foi lá e não fez feio: cobrou com categoria no meio do gol e encerrou a conta.

Agora, o rubro-negro da Gávea está com 55 pontos e supera o Palmeiras no saldo de gols, já que ambos têm a mesma quantidade de pontos e vitórias, ficando na quarta colocação. O Fla só fica no G4 se o Fluminense vencer o Palmeiras no sábado no Maracanã. Já o Coxa, ficou nos 46 pontos e deu adeus ao sonho da Libertadores, já que nove pontos o separa do G4. Fica em oitavo até a próxima rodada, pois ninguém pode superá-lo nesta.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 23/10/2008 - 20h30min (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e José Javel Silveira (RS)
Renda/público: R$ 511.963,00 / 28.648 pagantes
Cartões amarelos: João Henrique e Rodrigo Mancha (CTB)
GOLS: Léo Moura, 20'/1ºT (1-0); Obina, 35'/1ºT (2-0); Ibson, 32'/2ºT (3-0); Maxi, 34'/2ºT (4-0); Bruno, 47'/2ºT (5-0)

FLAMENGO: Bruno, Jaílton, Aírton, Ronaldo Angelim; Léo Moura, Toró , Ibson, Kleberson (Fierro, 28'2ºT) e Luizinho (Fernando, 15'2ºT); Marcelinho Paraíba (Maxi, 22'2ºT) e Obina. Técnico: Caio Júnior.

CORITIBA: Vanderlei, Maurício, Rodrigo Mancha e Felipe; Marcos Tamandaré (Marlos, intervalo), Alê, Leandro Donizete (Tiago Silvy, intervalo), Carlinhos Paraíba (Jaílson, 18'2ºT), e Ricardinho; João Henrique e Keirrison. Técnico Dorival Júnior.

VISÃO DO JOGO: GOIÁS 2 X 4 VASCO

foto: Agência Estado

A 31ª rodada do Brasileirão foi distribuída em três dias; quarta-feira 22/10, quinta-feira 23/10 e sábado 25/10. Em virtude das eleições municipais de domingo e para suprir o horário da TV. Tanto que na quarta-feira, só houve uma partida, Goiás x Vasco. Para não ter que dividir o post da rodada em três, vou usar o perfil “VISÃO DO JOGO” para o jogão de hoje.


Primeiro tempo: garra cruzmaltina

A partida no Serra Dourada tinha ares de monólogo. O time de melhor campanha do returno Goiás recebia o lanterna do campeonato Vasco em casa com o time completo. De duas, uma: ou uma goleada, ou uma vitória apertada, como a vitória do Flamengo em cima do mesmo rival no domingo passado.

E pareceu que a equipe de Hélio dos Anjos entrou em campo com esse pensamento. O respeito ao Vasco era quase nulo. Porém, essa não é uma atitude de um grupo profissional. O adversário era, “só”, quatro vezes campeão nacional (1974, 1989, 1997 e 2000) e campeão da Libertadores de 1998.

O desprezo goiano fez a diferença no futebol do primeiro tempo. O clube da Colina mostrou muita garra desde o início, pressionando a saída de bola do adversário. E de tanto massacrar, abriu o placar: o bom volante Mateus chutou de fora da área e Harlei espalmou nos pés de Edmundo, que não perdoou.

O incrível foi que, mesmo depois de sair atrás no placar, o Goiás não deixou o desprezo de lado. E num lateral cobrado por Baiano pela direita, a bola foi parar nos pés de Alex Teixeira, que arrancou. O zagueiro Ernando achou que poderia ganhar na corrida do meia do lanterna do campeonato. Não ganhou. Alex continuou arrancando e só parou para concluir por cima de Harlei: 2 a 0.

Depois de levar o segundo gol, aí sim a equipe esmeraldina acordou. E começou a pressionar a frágil, porém valente, defesa do Vasco. A fragilidade fez Valmir cometer um pênalti infantil em Vítor, convertido com uma bomba de Paulo Baier.


Segundo tempo: apagão e rápida recuperação

A etapa complementar começou com um apagão no time de São Januário. Foram dez minutos onde só o Goiás jogava. A insistência acabou em gol; mais uma vez aproveitando a fragilidade da defesa adversária, Vítor cruzou com facilidade para Iarley, que empatou concluindo em meio a marcação de dois jogadores.

Quando se esperava que nau vascaína fosse naufragar, mais uma vez a equipe da casa relaxou. E o valente Vasco foi atrás da redenção. Num contra-ataque, o zagueiro Jorge Luiz foi parar dentro da área adversária para rolar para Mádson que, livre, chutou. A bola desviou na zaga e entrou, passando entre as pernas de Harlei.

Foi quando o Goiás viu que o Vasco não estava para brincadeira. Tentou sair desesperadamente para o ataque, expondo a defesa. Um time que joga contra Edmundo não pode expor a sua defesa. E o Animal, que não é bobo, aproveitou a deixa; numa jogada em que recebeu de Alex Teixeira, quis girar dentro da pequena área para concluir, mas Paulo Henrique não deixou: pênalti. Que o próprio cobrou com uma bomba no ângulo.

Estava decretado o placar. QUE JOGÃO! Ah, e o Edmundo ainda dá caldo...

Os 30 pontos de hoje do Vasco podem ser adicionados com mais três na próxima rodada, numa possível vitória em casa diante do Atlético-PR. Pode ser o início, PROMISSOR, da dignidade cruzmaltina. Já o Goiás, pode perder o posto de líder do returno para Palmeiras, e/ou São Paulo e/ou Flamengo. Ficou nos 45 pontos.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Serra Dourada, Goiás (GO)
Data/hora: 22/10/2008 - 22h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva (Fifa-RS)
Auxiliares: Paulo Ricardo Silva Conceição (RS) e José Antônio Chaves Franco Filho (RS)Renda/público: R$118.810,00 / 7.984 pagantes
Cartões amarelos: Paulo Henrique, Paulo Baier e Júlio César (GOI); Alex Teixeira (VAS)
GOLS: Edmundo, 20'/1ºT (0-1); Alex Teixeira, 28'/1ºT (0-2); Paulo Baier, 32'/1ºT (1-2); Iarley, 9'/2ºT (2-2); Madson, 12'/2ºT (2-3); Edmundo, 17'/2ºT (2-4).


GOIÁS: Harlei, Paulo Henrique, Henrique e Ernando; Vitor, Fahel (Ramalho, intervalo), Fernando, Paulo Baier e Júlio César (Thiago Féltri, 29'/2ºT); Iarley e Anderson Gomes (Adriano Gabiru, 18'/2ºT). Técnico: Hélio dos Anjos.

VASCO: Rafael, Fernando, Jorge Luiz e Eduardo Luiz; Baiano (Wagner Diniz, 13'/2ºT), Jonílson, Mateus (Leandro Bomfim, 30'/2ºT), Madson, Alex Teixeira (Alex Teixeira, 36'/2ºT) e Valmir; Edmundo. Técnico: Renato Gaúcho.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

VISÃO DO JOGO: ESTUDIANTES 2 X 0 BOTAFOGO

foto: AFP
Se eu estivesse empregado no Lance, por exemplo, não poderia estar aqui comentando sobre a partida. Tudo por um crucial motivo: por motivos de força maior, não pude ver o jogo. Fiquei sabendo do resultado ao ligar o PC quando cheguei em casa.

Mas pelo resultado, deu para ver que a tarefa do Fogão será muito mais difícil do que nas oitavas-de-final, quando precisava "apenas" de dois gols de diferença na partida de volta para eliminar o América de Cáli. Agora, o time da estrela solitária tem de vencer o bom time do Estudiantes por três gols de diferença na partida de volta.

Eu não acreditava na classificação do Botafogo para as quartas-de-final. Portanto, mais uma vez estou não acreditando para ter de escrever mais uma vez que o FOGÃO CALOU O CANETA. Assim espero mesmo.

Segue a ficha técnica do jogo. CLIQUE AQUI para ver a tabela da competição.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Ciudad de La Plata, La Plata (ARG)
Data/hora: 21/10/2008 - 21h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Amarilla (Fifa-PAR)
Auxiliares: Emigdio Ruiz (PAR) e Nicolás Yegros (PAR)
Cartões amarelos: Alayes e Juan Díaz (EST); Triguinho e Andre Luis (BOT)
Cartões vermelhos: Alayes, 18'/1ºT (EST); Túlio, 19'/2ºT (BOT)
GOLS: Boselli, 11'/2ºT (1-0); Verón, 17'/2ºT (2-0)

ESTUDIANTES: Andujar; Angeleri, Alayes, Cellay e Diáz; Galván, Sánchez, Verón e Benítez; Fernández (Calderón, 10'/2ºT) e Boselli - Técnico: Leonardo Astrada.

BOTAFOGO: Castillo; Alessandro (Lucas Silva, 46'/2ºT), Renato Silva, Andre Luis e Triguinho (Thiaguinho, 22'/2ºT); Leandro Guerreiro, Túlio, Diguinho (Zárate, 16'/2ºT) e Zé Carlos; Jorge Henrique e Wellington Paulista - Técnico: Ney Franco.

DIA DE FOGÃO NA SUL AMERICANA


foto: Gustavo Rotstein - GLOBOESPORTE.COM

Depois do fracasso no último sábado diante do Santos em pleno Engenhão pela 30ª rodada do Brasileirão, o Botafogo junta os cacos e muda o foco. Vai à La Plata na Argentina enfrentar hoje o Estudiantes, do experiente meia Verón, pelas quartas-de-final da Copa Nissan Sul Americana.

Ney Franco deve escalar um meio de campo defensivo, com três volantes, para conter as rápidas investidas do time argentino. Comparando a escalação do Estudiantes divulgada para a imprensa para a partida contra o Botafogo com a escalação utilizada na vitória sobre o Boca Juniors em plena Bombonera em jogo válido pelo Campeonato Argentino, por exemplo, o time do treinador Leonardo Astrada, ex-jogador do Grêmio, parece estar muito disposto a levar a sério a competição continental. O Estudiantes está na sétima colocação do Apertura.

Uma deixa que o Fogão não pode desperdiçar; o adversário de hoje se classificou para as quartas com um resultado positivo fora de casa (2 a 1) e um empate sem gols em casa diante do Arsenal de Sarandí, adversário não muito competitivo (oitavo no Apertura). E foi eliminado na Libertadores deste ano porque empatou em casa com a LDU. Portanto, um time que, em casa, não costuma jogar bem.

A favor do time de La Plata, a velha raça argentina, característica de todos os times daquele país. A eliminação prematura na Libertadores para a LDU não foi esquecida pelos hinchas do time campeão mundial de clubes de 1968, que podem cobrar a Sul Americana para apagar o vexame.



FICHA TÉCNICA
Estádio: Ciudad de La Plata
Data: 21/10/2008.
Árbitro: Carlos Amarilla (PAR).
Auxiliares: Emigdio Ruiz (PAR) e Nicolás Yegros (PAR)


ESTUDIANTES: Andújar, Angeleri, Alayes, Cellay e Díaz; Pérez (Galván), Braña, Verón e Benítez (Fabianesi); Fernández e Boselli. Técnico: Leonardo Astrada

BOTAFOGO: Castillo, Alessandro, Renato Silva, André Luis e Triguinho; Leandro Guerreiro, Túlio, Diguinho e Jorge Henrique; Wellington Paulista e Zárate. Técnico: Ney Franco

domingo, 19 de outubro de 2008

30ª RODADA DO BRASILEIRÃO - JOGOS DE DOMINGO

foto: Site Oficial do Cruzeiro

Complemento da 30ª rodada do Brasileirão foi marcada pelo clássicos regionais
Cruzeiro vence o Galo e assume a 2ª colocação, Vasco perde para o Fla e continua na lanterna e Palmeiras e São Paulo fazem jogão no Palestra Itália


VITÓRIA 2 X 2 FLUMINENSE
Jogo eletrizante e muito bem disputado no Barradão. As duas equipes tiveram muitas oportunidades e o resultado só não pode ser considerado justo porque a arbitragem deixou de marcar pelo menos duas penalidades claras a favor do Fluminense no segundo tempo. Outro fato curioso foi o "tempo técnico" que o juiz Leandro Pedro Vuaden deu aos 23 minutos do primeiro e do segundo tempo, por conta do forte calor que fazia na capital baiana. Marcaram para o Vitória o lateral-direito Rafael e o atacante Marquinhos. Para o Flu, Thiago Silva (numa belíssima cobrança de falta da intermediária) e Washington.

Apesar da bela disputa, as situações das equipes na tabela pioraram com o empate. O Vitória foi a 44 pontos, mas caiu para a 10ª posição. Já o Flu não foi beneficiado com os resultados da rodada e, com 31 pontos (com uma vitória a menos do que a Lusa), é o primeiro da zona de rebaixamento: 17ª posição.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Barradão, Salvador (BA)
Data/hora: 19/10/2008 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Renda/público: não divulgado.
Cartões amarelos: Ciel (FLU); Rafael (VIT)
GOLS: Rafael, 15'/1ºT (1-0); Thiago Silva, 36'/1ºT (1-1); Washington, 1'/2ºT (1-2); Marquinhos, 20'/2ºT (2-2)


VITÓRIA: Viáfara, Rafael, Thiago Gomes, Leonardo Silva e Marcelo Cordeiro; Wallace, Renan, Leandro Domingues (Ramon, 11'/2ºT) e Willians; Robert (Rodrigão, 32'/2ºT) e Marquinhos (Ricardinho, 35'/2ºT). Técnico: Vágner Mancini.

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Carlinhos (Sandro, 21'/2ºT), Edcarlos, Thiago Silva e Junior Cesar; Fabinho, Romeu (Wellington Monteiro, 7'/1ºT), Arouca e Conca; Everton Santos (Ciel, intervalo) e Washington. Técnico: René Simões.



PALMEIRAS 2 X 2 SÃO PAULO
O empate no Palestra Itália foi péssimo para o time da casa e interessante para os visitantes. O Palmeiras, que poderia chegar a liderança com a vitória, foi prejudicado com a expulsão de Diego Souza aos 8 minutos do 1º tempo. É certo que Borges também foi expulso no mesmo lance, mas a perda alviverde foi mais significante. Tanto que nesta altura, o São Paulo já vencia por 1 a 0, com pênalti convertido por Rogério Ceni.

E o tricolor aproveitou para ampliar com Dagoberto. Mas este ainda seria um vilão. No segundo tempo, o Verdão acordou para o jogo e diminuiu com Kléber, depois de boa jogada de Denílson. E dois minutos depois chegou ao empate: Leandro cobrou falta e Dagoberto desviou a trajetória da bola, matando o goleiro Rogério Ceni. Roque Júnior ainda seria expulso aos 45 minutos.

Final 2 a 2, com o Palmeiras chegando aos 55 pontos e caindo uma posição na tabela: é o terceiro. O tricolor foi a 53 e o pontinho "fora de casa" o deixou no G4, com um ponto de diferença em relação ao Flamengo.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Palestra Itália, São Paulo (SP)
Data/hora: 19/10/2008 - 16h (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes Filho (Fifa-SP)
Auxiliares: Ednílson Corona (Fifa-SP) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP)
Renda/público: R$ 769.962,50 e 26.676 pagantes
Cartões amarelos: Léo Lima, Kléber, Roque Júnior, Gustavo (PAL); Dagoberto, Hugo, Rodrigo (SAO)
Cartões vermelhos: Diego Souza, 8’/1ºT; Borges, 8’/1ºT; Roque Júnior, 45’/2ºT
Gols: Rogério Ceni, 6’/1ºT (0-1); Dagoberto, 45’/1ºT (0-2); Kléber, 33’/2ºT (1-2); Leandro, 35’/2ºT (2-2)

PALMEIRAS: Marcos, Gustavo, Roque Júnior e Maurício (Evandro, 10’/1ºT); Élder Granja, Sandro Silva (Denílson, 8’/2ºT), Léo Lima (Pierre, intervalo), Diego Souza e Leandro; Kléber e Alex Mineiro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, André Dias, Rodrigo e Miranda; Zé Luis, Jean, Hernanes, Hugo (Éder Luis, 25’/2ºT) e Jorge Wagner; Dagoberto e Borges. Técnico: Muricy Ramalho.



CORITIBA 1 X 1 GOIÁS

O Coxa poderia passar o Botafogo na tabela com um trunfo em cima do Goiás no Couto Pereira. Mas a equipe de melhor campanha no returno fez jogo duro e não deixou. Arrancou um empate fora de casa e ainda saiu na frente do placar, com Romerito, mas permitiu o empate, gol de Felipe.

Os paranaenses foram aos mesmos 46 pontos do Internacional, mas este os superam em número de vitórias (13 a 12); o Coxa caiu uma posição e é o oitavo. O Goiás também caiu uma posição com o empate e, com 45 pontos, é o nono.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Couto Pereira, Curitiba (PR)
Data/hora: 19/10/2008 - 16h
Árbitro: Paulo Cesar Oliveira (SP)
Auxiliares: Nilson de Souza Monção (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Público/Renda: 15.865/ R$ 222.315,00
Cartões Amarelos: Ricardinho, Rodrigo Mancha (CBA); Rafael Marques, Fahel (GOI)
GOLS: Romerito, 38'/1ºT (0-1); Felipe, 10'/2ºT (1-1);

CORITIBA: Vanderlei, Maurício, Rodrigo Mancha e Felipe; Marcos Tamandaré (Henrique Dias, 18'/2ºT), Alê, Leandro Donizete (João Henrique, intervalo), Carlinhos Paraíba (Marlos, intervalo) e Ricardinho; Keirrison e Ariel. Técnico Dorival Júnior.

GOIÁS: Harlei; Rafael Marques, Ernando e Henrique; Vítor, Fahel, Fernando (Fábio Bahia, 21'/2ºT), Paulo Baier (Ânderson Gomes, 31'/2ºT) e Júlio César; Romerito e Iarley (Adriano Gabirú, 40'/2ºT). Técnico: Hélio dos Anjos.



ATLÉTICO-MG 0 X 2 CRUZEIRO
Uma coisa foi constatada no clássico de hoje no Mineirão. Na última rodada, na ótima vitória fora de casa em cima do Flamengo, ou o Galo deu sorte no Maracanã ou o adversário se encontrava em um dia péssimo. O Atlético-MG foi superado pelo Cruzeiro e este, com a vitória, segue vivo na disputa pelo título, beneficiado pelos maus resultados de Grêmio e Palmeiras. Decretaram o placar para a Raposa Johnatan, aos 42 do 1º tempo e Guilherme, de pênalti, aos 45 do 2º.

O Galo ainda pode respirar aliviado na tabela com os seus 37 pontos e na 12ª colocação. Mas os apenas seis pontos acima da zona de rebaixamento já começam a preocupar. Principalmente porque o próximo compromisso atleticano é contra o Internacional, no Mineirão. Já o Cruzeiro foi aos 55 pontos e empatou como Palmeiras, mas supera o Porco em número de vitórias (17 a 16).


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 19/10/2008 - 16h (de Brasília)
Árbitro: Wagner Tardelli de Azevedo (Fifa-SC)
Auxiliares: Alessandro Álvaro Rocha de Matos (BA) e Milton Otáviano dos Santos (RN)
Público e renda: 52.884 pagantes e R$ 1.008.651,50
Cartões amarelos: Márcio Araújo, Vinícius, Juninho (ATL), Guilherme (CRU)
GOLS: 42'/1ºT Jonathan (0-1); 48'/2ºT Guilherme (0-2)
ATLÉTICO: Juninho, Sheslon, Vinícius, Leandro Almeida e Denílson (Rafael Aguiar, intervalo); Elton (Tchô, 31'/2ºT), Serginho, Márcio Araújo e Marques (Pedro Paulo, 16'/2ºT); Renan Oliveira e Castillo. Técnico: Marcelo Oliveira
CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Léo fortunato, Thiago Heleno e Carlinhos; Marquinhos Paraná, Henrique (Elicarlos, 40'/2ºT), Ramires e Fernandinho (Wagner, 21'/2ºT); Thiago Ribeiro (Camilo, 33/2ºT) e Guilherme. Técnico: Adilson Batista.



SPORT 2 X 2 NÁUTICO
A alegria do Sport, já garantido na Libertadores do ano que vem por ser o atual campeão da Copa do Brasil, no clássico contra o Náutico era ver o maior rival entrar na zona de rebaixamento, caso perdesse o jogo. Mas os alvirrubros trataram de acabar com as pretensões dos seus adversários e arrancaram um empate na Ilha do Retiro. 2 a 2, com Durval e Roger marcando para o rubro-negro e Gilmar e Felipe para o Timbu.

O Náutico então pôde dormir fora da zona de rebaixamento, com 31 pontos e na 15ª colocação (superando a Lusa no saldo de gol e o Flu no nº de vitórias). Já o folgado Sport foi a 41 pontos e é o décimo segundo.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Ilha do Retiro, Recife (PE)
Data/hora: 19.10.08 – 18h10 (de Brasília)
Renda/público: R$ 230.175,00/28.831 pagantes
Árbitro: Alicio Pena Júnior – Fifa (MG)
Assistentes: Erich Bandeira – Fifa (PE) e Luciano José Coelho Cruz (PE)
Gols: Gilmar, 18'/1ºT (0-1); Durval, 47'/1ºT (1-1); Roger, 1'/2ºT (2-1); Felipe, 14'/2ºT (2-2)Cartões Amarelos: Sidny, Andrade, Carlinhos Bala, Roger (SPO); Hamilton, Gilmar, Derley, Ruy, Ticão (NAU).
Cartões Vermelhos: Roger, 15'/2ºT (SPO); Ticão, 37'/2ºT (NAU)

SPORT: Magrão, Sidny, Igor, Durval e Dutra; Andrade, Sandro Goiano, Fumagalli (Júnior Maranhão, 22'2ºT) e Carlinhos Bala; Roger e Wilson (Luciano Henrique, 22'/2ºT). Técnico: Nelsinho Baptista.
NÁUTICO: Eduardo, Everaldo, Vagner e Adriano; Ruy, Hamilton, Derley (Ticão, 18'/2ºT), William e Alessandro; Gilmar (Paulo Santos, 27'/2ºT) e Felipe (Kuki, 41'/2ºT). Técnico: Roberto Fernandes.



PORTUGUESA 2 X 0 GRÊMIO
Que peça que a Lusa pregou em cima do líder Grêmio no Canindé. Depois de vencer o Botafogo de virada e empatar com o Coxa em casa, a Portuguesa manteve o bom retrospecto recente no Canindé e venceu o Grêmio com gols de Ediglê e Edno.

A bela vitória tirou os lusitanos da zona de rebaixamento, já que, mesmo tendo chagado aos 31 pontos do Fluminense, a Portuguesa leva vantagem no número de vitórias: 8 a 7. O Grêmio continua líder com 56 pontos, mas o segundo e o terceiro colocados estão há apenas um pontos dos gaúchos.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Canindé, São Paulo (SP)
Data/hora: 19/10/2008 - 18h10 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Flávio Gilberto Kanitz (GO)
Cartões amarelos: Rai e Preto (POR); Soares (GRE)
GOLS: Ediglê, 10'/2ºT (1-0); Edno 46'/2ºT (2-0)

PORTUGUESA: Eduardo Gottardi, Patrício, Ediglê, Bruno Rodrigo e Athirson; Erick, Rai, Fellype Gabriel (18'/2ºT - Gavilán); Edno e Washington (41'2ºT/Rogério) . Técnico: Estevam Soares.

GRÊMIO: Victor, Léo, Pereira (28'/2ºT - Souza) e Rever; Felipe Mattioni, Rafael Carioca (6'/2ºT - Orteman) William Magrão, Douglas Costa e Hélder; Soares (22'/2ºT - Perea) e Richard Morales. Técnico: Celso Roth.



VASCO 0 X 1 FLAMENGO
O Vasco chutou mais a gol, teve mais posse de bola e dominou o jogo T O D O. Mas a incrível capacidade de desperdiçar boas oportunidades e as ausências de Lendro Amaral e Edmundo foram determinantes no clássico contra o Flamengo. No jogo todo, o rubro-negro só chegou ao gol de Rafael por apenas 6 vezes. E em uma delas, Obina entrou na área, mas foi interceptado por um carrinho de Jorge Luiz, que acabou desviando a bola contra o próprio patrimônio.

Final 1 a 0 para o Flamengo, que, se realmente está disposto a brigar pelo título e a se reparar do vexame contra o Atlético-MG, vai ter de jogar um futebol muito melhor do que o apresentado contra o Vasco. E ainda terá desfalques importantes para a próxima partida contra o Coritiba na próxima quinta-feira no Maracanã: Fábio Luciano foi expulso e Juan recebeu o terceiro cartão amarelo. O curioso que estes dois jogadores não estavam em campo na partida contra o Galo.

Com a vitória, o Mengão foi a 52 pontos e permaneceu na quinta colocação, mas diminuiu a distância para o São Paulo para apenas um ponto e, com a derrota do Grêmio, está há apenas 5 pontos da liderança. O problema é onde é que o time vai esta diferença.

O Vasco mostrou muita raça, muito espírito competitivo, mas nenhum poder de conclusão das jogadas. O depoimento emocionado de Madson ao canal Sportv foi o retrato do Vasco nas suas duas últimas partidas: o meia disse que o trabalho foi feito, não faltou disposição, mas as coisas não saíram. E foi exatamente isso que aconteceu no clássico. A equipe de São Januário teve boas chances com Fernando, ambas de cabeça, que pararam nas mãos milagrosas de Bruno. Entretanto, a superioridade do Vasco era nítida, de se achar que após a expulsão de Fábio Luciano, o time chegaria pelo menos ao empate. Não chegou. O elenco precisa urgentemente de trabalhar o psicológico nessa reta final. Se não, o fim da linha pode ser a Série B.

A derrota manteve os cruzmaltinos na última colocação de maneira isolada. Na próxima rodada, enfrentam o time de melhor campanha no returno na casa dele: Goiás no Serra Dourada. Se jogar a mesma bola que jogou no Maracanã, mas com Leandro Amaral ou com alguém com a função de empurrar a bola pra dentro, o Vasco vai forte para este desafio. Caso contrário, a realidade do time até a última rodada será a mesma do discurso emocionado de Madson após o clássico.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 19/10/2008 - 18h10 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Renda/público: R$ 679.117,00 / 37.074 pagantes.
Cartões amarelos: Jorge Luiz, Mateus, Wagner Diniz (VAS); Fábio Luciano e Juan (FLA)Cartão vermelho: Fábio Luciano (FLA), 19'/2ºT.
GOL: Jorge Luiz (contra), 43'/1ºT (0-1);


VASCO: Rafael, Fernando, Jorge Luiz e Eduardo Luiz (Pinilla, 29'/2ºT); Baiano (Wagner Diniz, 15'/2ºT), Jonílson, Mateus (Pedrinho, 19'/2ºT), Madson, Alex Teixeira e Valmir; Alan Kardec. Técnico: Renato Gaúcho.

FLAMENGO: Bruno, Aírton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Toró, Ibson, Everton (Fierro, 19'/2ºT) e Juan; Marcelinho Paraíba (Dininho, 22'/2ºT) e Obina (Josiel, 48'/2ºT). Técnico: Caio Júnior.


sábado, 18 de outubro de 2008

30ª RODADA DO BRASILEIRÃO - JOGOS DE SÁBADO

foto: Agência Estado
30ª rodada do Brasileirão se iniciou com três partidas neste sábado. Destaques para o empate do Ipatinga fora de casa, que colocou o Vasco na lanterna momentaneamente e para a vitória fora de casa do Peixe.


FIGUEIRENSE 1 X 1 IPATINGA
O Figueira, que vinha de bons resultados nas últimas duas últimas rodadas, perdeu grande oportunidade de somar o terceiro hoje contra o Ipatinga, empatando em 1 a 1 com o time mineiro. Tadeu fez o gol da equipe da casa e o paraguaio naturalizado boliviano Pablo Escobar empatou para os visitantes.

Com o resultado, o Figueirense foi a 34 pontos e permaneceu na 14ª posição e não pode ser ultrapassado nesta rodada. Já o Ipatinga foi a 28 e deixou a lanterna com o Vasco, que o pode devolvê-la se vencer o clássico contra o Flamengo amanhã.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Orlando Scarpelli - Florianópolis (SC)
Data/hora: 18/10/2008 às 18h20
Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF)
Auxiliares: Katiuscia Mayer Berger Mendonça (ES) e Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO)
Renda e público: Não divulgados
Gols: Tadeu 11'/1ºT (1-0) e Escobar 49'/2ºT (1-1)
Cartões amarelos: Augusto Recife e Gian (IPA) Ramon, Bruno Santos (FIG)

FIGUEIRENSE: Wilson, Bruno Perone, Asprilla e Diogo; Magal, Gomes, Marquinho, Ramon (Jackson - intervalo)e Bruno Santos (Rodrigo Fabri, 27'/2ºT); Tadeu e Lima (Bruno Aguiar - intervalo). Técnico: Mário Sérgio


IPATINGA: Fernando, Márcio Gabriel (Escobar - intervalo) , Henrique, Gian e Beto (Luciano Mandi, 23'/2ºT); Júlio, Xaves, Augusto Recife e Leandro Salino (Michel, 32'/2ºT); Kempes e Ferreira. Técnico: Márcio Bittencourt



INTERNACIONAL 2 X 1 ATLÉTICO-PR
O Internacional fez-se valer do fator casa e seguiu a lógica: venceu o ameaçado Atlético-PR no Beira Rio com gols de Nilmar e Alex - Ferreira descontou para o Furacão - e chegou aos 46 pontos, ganhando três posições na tabela. Mas pode ser ultrapassado por Vitória, Coritiba e/ou Goiás amanhã; por enquanto, o Colorado é o 7º, mantendo vivo o sonho da Libertadores.

O rubro-negro paranaense ficou nos 28 pontos e na 1ª posição da zona de rebaixamento: 17º lugar. E pode chegar a vice-lanterna amanhã, se a Lusa vencer o Grêmio e o Vasco vencer o Fla. E falando do Vasco, o Paranaense tem jogo de vida ou morte na próxima rodada contra o time de São Januário.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Beira-Rio, Porto Alegre (RS)
Data e hora: 18 de outubro de 2008, às 18h20min
Árbitro: Cleber Abade (SP)
Auxiliares: Evandro Luis Silveira (SP) e Fabrício da Silva (GO)
Renda/público: R$ 225.172,00 / 15.858 pagantes
Gols: Nilmar, 38'/1ºT (1-0); Alex, 29'/2ºT (2-0); Ferreira, 33'/2ºT (2-1)
Cartões amarelos: D'Alessandro, Edinho (INT); Alex Sandro, Chico, Gustavo, Gustavo Lazzaretti e Alan Bahia (APR)
Cartão vermelho: Zé Antônio (APR)

INTERNACIONAL: Lauro, Ângelo, Danny Morais, Bolívar e Gustavo Nery; Edinho, Andrezinho, Ramon (Sandro, intervalo) e D'Alessandro (Taison, 33'/2ºT); Nilmar e Alex (Daniel Carvalho, 33'/2ºT). Técnico: Tite.

ATLÉTICO-PR: Galatto; Gustavo, Antônio Carlos e Gustavo Lazzaretti (Anderson Aquino, 32'/2ºT); Zé Antônio, Chico, Alan Bahia, Júlio dos Santos e Netinho (Alex Sandro, 33'/2ºT); Ferreira e Geílson (Pedro Oldoni, 20'/2ºT). Técnico Geninho.



BOTAFOGO 0 X 1 SANTOS
Para quem esperava que o Botafogo realmente estava disposto a conseguir uma vaguinha na Libertadores, teve a esperança ameaçada no belo gol de falta do colombiano Molina. O Fogão tentou, mas, prejudicado com a lesão de Lúcio Flávio aos 30 minutos do 1º tempo, não conseguiu ter precisão nas finalizações e levou contra-ataques perigosos do Peixe o jogo todo.

O Bota, que poderia encostar no Flamengo com uma vitória, perdeu três pontos preciosissimos e ficou nos 46. E pode perder até três posições na tabela caso Vitória, Coritiba e/ou Goiás (Coritiba e Goiás se enfrentam amanhã no Couto Pereira) vençam seus compromissos. Já o Santos chegou aos 36 pontos e permaneceu na 13ª posição. A cada rodada, o Peixe vai se livrando do perigo de rebaixamento e fincando a sua participação na Sul Americana do ano que vem.


FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 18/10/08, às 18h20
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (FIFA/RS)
Assistentes: Roberto Braatz (FIFA/PR) e Carlos Berkenbrock (SC)
Renda/público: R$ 193.852 / 20.634 pagantes
Cartões amarelos: Renato Silva e Andre Luis (BOT); Domingos, Wendel e Roberto Brum (SAN)
GOL: Molina, 26'/2ºT (0-1)

BOTAFOGO: Renan, Thiaguinho, Renato Silva, Andre Luis e Triguinho; Diguinho, Túlio, Lucio Flavio (Zárate, 30'/1ºT) e Carlos Alberto (Marcelinho, 33'/2ºT); Jorge Henrique e Wellington Paulista (Lucas Silva, 24'/2ºT) - Técnico: Ney Franco.

SANTOS: Fábio Costa, Wendel, Adaílton (Fabão, 25'/2ºT), Domingos e Kléber; Rodrigo Souto, Roberto Brum, Bida (Pará, 43'/2ºT) e Molina; Lima e Cuevas (Róbson, 41'/1ºT) - Técnico: Márcio Fernandes.

Para conferir os jogos de amanhã e a tabela do Brasileirão, CLIQUE AQUI.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

BRASIL 0 X 0 COLÔMBIA

(foto: Agência Estado)
Mais uma vez, a Seleção Brasileira decepcionou o público carioca, empatando sem gols com a Colômbia ontem no Maracanã. Decepcionou o público carioca e os leitores do Caneta, que na enquete “O Brasil vence a Colômbia na quarta-feira?”, apostaram na vitória da nossa seleção (dois votaram pela vitória apertada e um votou pela vitória com facilidade).

Desde o início da partida, a equipe de Dunga parecia bastante desmotivada. Ameaçava pouco e não marcava a saída de bola dos colombianos. Estes aproveitaram para gastar o tempo com a falta de interesse do adversário e até chegaram ao gol de Júlio César, porém sem assustar. O grande destaque da primeira etapa foi a vaia da torcida e os gritos de “Adeus, Dunga!”.

Na etapa final, o quadro não mudou muito. Robinho, que parecia cansado desde o início do jogo, saiu para a entrada de Alexandre Pato. Elano, que não acertou uma jogada sequer no jogo, deu lugar à Mancini. E Juan saiu machucado: mais uma vez a lesão muscular que o deixou fora dos gramados por muito tempo. Nenhuma das substituições, porém, fez efeito. As duas vezes que a Seleção Brasileira chegou com certo perigo foram; numa bola lançada por Kléber, que Jô fez bonito giro para concluir de canhota, mas a bola parou nas mãos do goleiro Júlio e no primeiro lance de Pato no jogo, concluindo pra fora um excelente passe de Kaká dentro da grande área.

A Colômbia estava satisfeita com o empate desde o início da partida. Tanto que tinha a oportunidade de jogar no contra-ataque, principalmente em cima do inoperante Gilberto Silva e nos avanços de Maicon, mas não fez isso. Contentou-se em tocar a bola e exercer forte marcação atrás.

O resultado manteve o Brasil na segunda colocação das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010 com 17 pontos, seis a menos do que o líder Paraguai, que sofreu para ganhar do Peru em casa por 1 a 0. Já a Colômbia foi a 11 pontos é a sétima, há dois pontos da zona de classificação.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 15/10/2008 - 22h (de Brasília)
Árbitro: Rubén Selman (Fifa-CHI)
Auxiliares: Lorenzo Acuña (Fifa-CHI) e Sergio Roman (Fifa-CHI)
Renda/público: R$1.697.170,00 / 46.210 pagantes e 54.910 presentes
Cartões amarelos: Bedoya, Vargas e Rentería (COL)

BRASIL: Julio Cesar, Maicon, Lúcio, Juan (Thiago Silva, 20'/2ºT) e Kléber; Josué, Gilberto Silva, Elano (Mancini, 12'/2ºT) e Kaká; Robinho (Alexandre Pato, 18'/2ºT) e Jô. Técnico: Dunga.

COLÔMBIA: Julio, Zuniga, Yepes, Perea e Armero; Bedoya (Aguillar, 21'/2ºT), Vargas, Guarín e Toja; Quintero (Moreno, 25'/2ºT) e Rentería (Ramos, 29'/2ºT). Técnico: Eduardo Lara.


Confira a classificação e os outros resultados das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa de 2010 clicando no título da matéria.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

ENTREVISTANDO O MESTRE


(foto: montagem de Aldevan Jr. em foto divulgada no site "Ego")

No dia dos professores, o Caneta de Chuteira traz uma entrevista com um grande mestre, que já apareceu num post deste blog. Trata-se de Ronaldo George Helal, professor da Uerj, cujo extensíssimo e brilhante currículo você pode visualizar CLICANDO AQUI.

Na universidade, seu nome ecoa nos corredores do 10º andar para exemplificar profissionalismo e paixão pelo futebol, grande objeto do seu estudo. E aproveitando o seu gosto pelo esporte que o Caneta tem como foco principal, o blog o procurou para falar de um tema muito interessante para esta reta final do Brasileirão: o poder das torcidas.

Foi com grande honra que o escolhi para ser o meu primeiro entrevistado. Primeiro entrevistado mesmo, pois foi a primeira entrevista que realizei na vida.




CANETA DE CHUTEIRA: Professor, agora nesta reta final de Brasileirão, comenta-se muito sobre os fatores que podem levar uma equipe ao êxito ou ao fracasso. Um dos fatores é a tal torcida local. Até que ponto uma torcida pode ajudar, ou não, uma equipe nesta reta final de Brasileirão?
RONALDO HELAL: A torcida pode ajudar comparecendo em massa, incentivando o tempo inteiro. O ator, por exemplo, gosta quando o teatro está cheio, fica mais motivado. Isso serve tanto para os times que estão brigando pelo título quanto para quem briga para não cair. Agora, o sucesso do oponente depende do fracasso do clube local. Não adianta nada ir ao estádio e não apoiar a sua equipe, já que a vaia local motiva o adversário. Lembro de uma viagem ao Rio Grande do Sul nos tempos em que eu viajava com a torcida do Flamengo, pela década de 70. Fomos ver Internacional e Flamengo. Neste jogo, a torcida do Inter começou a vaiar o time logo no início da partida. E eu falava para os amigos que era a senha para mais uma vitória do Mengão.E o Mengão acabou ganhando mesmo; acho que foi 1 a 0, gol do Bianchini.

CANETA: Para o senhor, o torcedor que vaia a sua equipe está no seu direito enquanto consumidor ou a falta de apoio é que move o fracasso?
RH: O torcedor tem o direito de vaiar sim. Mas é como já disse; se a torcida local começar a vaiar a sua equipe nos 15 primeiros minutos, por exemplo, dará a oportunidade de o adversário crescer. O torcedor pode vaiar, mas tem que ter o senso crítico de que ele pode estar desmotivando a sua equipe. Como no caso dos times que estão lutando contra o rebaixamento; a falta de apoio da torcida pode ser crucial. No próximo clássico entre Vasco e Flamengo, se o Flamengo fizer um gol e a torcida do Vasco vaiar o time, certamente será mais uma derrota para a equipe cruzmaltina.


CANETA: Por que o torcedor brasileiro não é como o da Argentina, país vizinho, que tem como característica apoiar até o fim às equipes que torcem? O fato de o brasileiro deixar de apoiar a sua equipe quando ela começa a jogar mal é cultural?
RH: Uma partida emblemática que assisti lá na Argentina foi Argentinos Jrs. 3, Boca Juniors 1, em plena Bombonera. Os xeneizes não pararam de cantar um só minuto. Sabe qual foi a forma de protesto? Eles não aplaudiram a equipe após a partida. Lá, o torcedor tem que ser “AGUANTE”, ou seja, o cara que agüenta, que está com o time o tempo todo. Eles estranham o fato de o torcedor brasileiro vaiar a sua equipe nos jogos em casa. Aqui eu presenciei recentemente uma atitude parecida na Libertadores do ano passado, na partida de volta das oitavas-de-final da Libertadores entre Flamengo e Defensor. O Fla precisava de 3 a 0 para levar para os pênaltis e só conseguiu fazer dois. Mesmo assim, a torcida apoiou o time até o final, imitando o costume argentino e até aplaudiu após o término da partida. Porém, esta atitude não foi uma constante. Quando um time cai para a segundona, a gente vê uma aproximação maior da torcida, como nos casos de Fluminense, Botafogo, Palmeiras, Grêmio, Atlético-MG e Corinthians, por exemplo. Mas quando o time sobe, o apoio incondicional não continua.


CANETA: Para encerrar, vamos fugir um pouco do tema principal: o senhor está assistindo ao Brasileirão? Em quem aposta que título? Quem chega a Libertadores? E quem cai?
RH: Sim, é claro que estou assistindo. Ao título, o torcedor Ronaldo está apostando no Flamengo, é claro. Mas o sociólogo vê o Palmeiras como candidato, pelo treinador que tem e pelo seu número de vitórias. No G4, acredito que a briga ficará entre estes que já estão mais Botafogo e Internacional. Sobre os times que vão cair, eu diria que do Figueirense ao Vasco, todos estão com chances de cair. O Santos não creio que caia. O Atlético Mineiro periga também, mas menos que os outros. Acho que minha opinião deve coincidir com a da maioria e não tem nada de sociológica. Não torço para a queda dos cariocas. Eu só torço a favor e sempre para o Flamengo.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

DESABAFO


Hoje o Caneta abre espaço ao texto em primeira pessoa. Este que vos escreve tem um assunto para comentar.

Como o amigo leitor pode notar na minha foto do perfil, estou vestindo a camisa reserva do Flamengo, lançada pela Nike em alusão ao título mundial de 1981 e para seguir a moda retrô que vem sendo adotada no mundo do futebol. Estou vestindo a camisa porque sou rubro-negro. Mas, se fosse levar em conta meu jeito de torcer, eu estaria mais para torcedor de outro time. Não do Flamengo.


Só faço brincadeira com os amigos vascaínos, botafoguenses, tricolores ou de outras agremiações se o capitão do meu time levantar uma taça. Caso contrário, não fico contando vantagem se o Flamengo está numa colocação melhor do que outro, ou que pode, P O D E, chegar a um lugar que outro não pode chegar. Essa mania de contar vantagem antes do tempo é característica da maioria da torcida rubro-negra. Grande maioria. Menos eu...

O que o presidente Márcio Braga vem fazendo - menosprezando os adversários na véspera - não é nada mais do que o reflexo das arquibancadas. Fui poucas vezes ao estádio ver meu time jogar. E nessas poucas vezes, já pude perceber que o clima é esse mesmo. Trabalhei numa banca de jornal e me aproximei ainda mais desta realidade arrogante da torcida do meu time. E nunca me identifiquei com ela.

Mas quando o Mengão perde, ficam querendo arranjar culpado, como na derrota do último sábado para o Atlético-MG. Esquece do menosprezo do dia anterior. “UÉ, O FLAMENGO NÃO ERA O TAL?”, dizem aqueles que sofreram na véspera. A resposta é sempre a mesma: “AH, FOI CULPA DAQUELE FDP”. E sempre dão margem para serem, com o perdão da palavra, sacaneados. E continuarão a ser se mantiverem esta atitude mesquinha.

Enquanto o pensamento das arquibancadas não mudar, a instituição Flamengo continuará vivendo do passado e das “magníficas” conquistas do Campeonato Carioca. E, esporadicamente, das classificações para a Libertadores, onde não passa das oitavas-de-final, sendo eliminado com goleada de 3 a 0 por um time completamente inferior.

Torcida do Flamengo: sua postura tem de mudar. Vocês são grandiosos. Vocês são maiores do que a população de muitos países do mundo. Vocês podem, apoiando e não menosprezando, levar seu time a ser uma potência mundial. Para aí sim ter motivos para caçoar de alguém, apesar desta atitude ser completamente desprezível para um ser humano de bem.

Coloquei os verbos do penúltimo parágrafo em 3ª pessoa porque não gosto de menosprezar alguém sem ter nada garantido. E nem tendo. Por isso afirmo que às vezes, me sinto como um torcedor de outro time. Mas o meu amor ao Flamengo, e ao futebol, está acima de tudo. Eu torcendo daqui e a grande maioria de lá.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

SOBRE AS DUAS ENQUETES ENCERRADAS



Os dois últimos assuntos abordados pelo Caneta de Chuteira nas suas enquetes já encerradas foram sobre qual clube do Rio que cairia para segunda divisão do ano que vem e sobre a convocação da seleção brasileira.


Participaram da primeira enquete oito leitores. E a maioria, 4 votos ou, 50%, elegeram Fluminense e Vasco como candidatos do Rio à Série B do ano que vem. Dois votaram só no Vasco e um votou só no Flu. Apenas um leitor votou pela ausência de cariocas na Segundona.

Mas na última rodada, Vasco e Fluminense mostraram que realmente estão dispostos a sair da incomoda situação na tabela do Brasileirão, com bons resultados fora de casa. O primeiro com um empate em 2 a 2 na Ilha do Retiro diante do Sport, com um futebol de muita raça e o segundo com o melhor resultado do dia de sábado no Brasileirão, a vitória em cima do Atlético-PR na Arena da Baixada por 3 a 1.


Já da segunda enquete, cinco leitores participaram. Três não gostaram da convocação de Dunga, escolhendo a opção “Não, Dunga não sabe o que faz”. O sim teve um voto, no campo “Sim, Dunga convocou os melhores jogadores” e também teve um voto o campo “Sei lá, não acompanho mais a seleção brasileira. A opção “Sim, mas não gosto do Dunga” não teve nenhum voto.

Dunga pode não saber o que fazer, mas seu time conseguiu um excelente resultado em San Cristóbal ontem. Os 4 a 0, Kaká, Adriano e Robinho (2), amenizaram um pouco a crise instalada após o empate sem gols diante da Bolívia na última rodada, em partida disputada no Engenhão. Vamos ver se este bom resultado de ontem vai se repetir no jogo de quarta-feira contra a Colômbia no Maracanã.

Assinar Feed Assinantes

Seguir no Twitter Seguidores

Artigos publicados Artigos

Comentários recebidos Comentários