quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

CANETA DE FÉRIAS



DEPOIS DE UM BRASILEIRÃO EMOCIONANTE, O CANETA DE CHUTEIRA TIRA UMAS FÉRIAS ATÉ JANEIRO, QUANDO O FUTEBOL BRASILEIRO RETORNA COM OS ESTADUAIS, COPA DO BRASIL E A TAÇA LIBERTADORES DA AMÉRICA.


ENTRETANTO, ESTE QUE VOS ESCREVE NÃO FICARÁ PARADO NESTE MEIO TEMPO. ACABO DE CONSEGUIR UM ESTÁGIO NO SITE VITRINE ESPORTIVA, AQUI DO RIO DE JANEIRO, PARA COBRIR O CLUBE DE REGATAS VASCO DA GAMA.


FORA A FACULDADE, QUE RETORNOU DA GREVE EM DEZEMBRO E SÓ ENCERRARÁ O PERÍODO EM MARÇO DO ANO QUE VEM.

QUEM QUISER ACOMPANHAR O SITE E O TRABALHO DESTE CANDIDATO A JORNALISTA ESPORTIVO, ACESSE: http://www.vitrineesportiva.com.br/


BOAS FESTAS E ATÉ BREVE, CAROS AMIGOS!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

ÚLTIMA RODADA DO BRASILEIRÃO


ROGÉRIO CENI ERGUE TAÇA SIMBÓLICA: SÃO PAULO TRI/HEXA... SUPER CAMPEÃO! FOTO: AGÊNCIA ESTADO

EMOÇÕES ATÉ O FIM!
São Paulo vence e leva o seu sexto título nacional. G4 não se altera. Vasco cai para a Segundona.

GOIÁS 0 X 1 SÃO PAULO
Com um gol em posição ilegal de Borges, o São Paulo venceu o Goiás no Bezerrão e conquistou o seu sexto título nacional. Por mais que o Brasil inteiro, excetuando a própria torcida do tricolor paulista e os realistas, secasse o time de Muricy Ramalho, mais uma vez o time mostrou a superioridade habitual, que os próprios secadores já estão cansados de ver.

O Goiás vinha de uma boa partida contra o Flamengo no Maracanã na rodada passada, onde empatou por 3 a 3 mandando no jogo. E entrou em campo hoje para estragar a festa do adversário. Mas, reiterando, o São Paulo mostrou a sua superioridade e seria campeão mesmo se o gol ilegal não fosse assinalado, já um simples empate já bastava para o hexa.

OPINIÃO DO CANETA: Em vez de ter inveja, temos de celebrar este super campeão. Estamos diante de um momento histórico no futebol nacional que, se continuar deste jeito, pode estender-se ao nível mundial. O São Paulo, SEIS VEZES CAMPEÃO BRASILEIRO, TRÊS DA LIBERTADORES E TRÊS DO MUNDIAL DE CLUBES, é o parâmetro, um exemplo de clube de futebol na América Latina. Quem quiser ser campeão brasileiro, ou siga o exemplo do tricolor do Morumbi ou seja melhor do que ele. Pois, se nada mudar nos adversários, o SPFC será dono do cenário futebolístico brasileiro durante muito tempo. Sobre MURICY RAMALHO: o rei do Brasileirão nos últimos três anos consolidou ainda mais o seu nome no hall dos melhores treinadores do Brasil. É certo que com a estrutura do São Paulo as coisas se tornam menos difíceis. Porém, muitos desejam ter uma Ferrari e quando têm a oportunidade de guiar uma, batem no primeiro poste. PARABÉNS TRICOLOR!!!!!! PARABÉNS MURICY RAMALHO, GRANDE COMANDANTE DESSE TRI NACIONAL DO SÃO PAULO!!!!!!

O Goiás terminou na oitava colocação, com 53 pontos. BOM TRABALHO DE HÉLIO DOS ANJOS NO RETURNO; SE MANTER O RITMO, O TIME ESMERALDINO PROMETE PARA 2009.



GRÊMIO 2 X 0 ATLÉTICO-MG
O Grêmio teria de fazer a sua parte no Olímpico se quisesse sonhar com o seu terceiro título nacional. E fez. Tcheco, de pênalti e Soares, de cabeça, construíram a vitória do tricolor gaúcho. Entretanto, o São Paulo, como já mencionado, mostrou a sua superioridade no Bezerrão e venceu o Goiás.

E o título do time de Celso Roth ficou para o ano que vem.Os jogadores do Atlético-MG deram declarações de que fariam jogo duro contra o Grêmio, mas foram superados pelo BOM time do BOM treinador Roth. POR MAIS QUE A DIRETORIA DO GRÊMIO NÃO ENXERGUE, O TRABALHO DE CELSO FOI SENSACIONAL. COM A SABEDORIA DE EXTRAIR O MELHOR DO SEUS JOGADORES. NUM CAMPEONATO DISPUTADÍSSIMO, MANTEVE O TIME DISPUTANDO O TÍTULO ATÉ A ÚLTIMA RODADA, TERMINANDO EM SEGUNDO LUGAR, COM 71 PONTOS. PARABÉNS, GRÊMIO!! PARABÉNS, CELSO ROTH!! Se o senhor for demitido, será um ato completamente injusto.

O Atlético-MG ficou em décimo segundo, com 48. ANO DO CENTENÁRIO FRUSTRANTE PARA O GALO. COMO PARA MUITOS NO BRASIL QUANDO CHEGARAM AOS 100 ANOS DE FUNDAÇÃO.



CRUZEIRO 4 X 1 PORTUGUESA
O Cruzeiro deu um susto na torcida no primeiro tempo, ao sair perdendo para a Lusa, com um gol de Athirson. O time de Adílson Batista, que renovou seu contrato com a Raposa na semana passada, foi para o intervalo precisando da vitória para não depender de outros resultados para ir à Libertadores.

E na etapa final o time acordou. Enfiou quatro, com Thiago Ribeiro, Vanderlei, Fernandinho (2). Para completar a festa, o Palmeiras perdeu para o Botafogo, colocando a Raposa direto na fase de grupos da mais importante competição interclubes das Américas. No ano passado, o time classificou-se em quarto e teve que disputar a Pré-Libertadores no início deste ano. PARABÉNS CRUZEIRO; SUA VAGA NA FASE DE GRUPOS DA LIBERTADORES É MAIS DO QUE MERECIDA! PARABÉNS, ADÍLSON BATISTA; CALOU A BOCA DE MUITA GENTE COM O TERCEIRO LUGAR NA TABELA COM 67 PONTOS!

A Lusa, que já entrou em campo rebaixada, permaneceu com os seus 38 pontos e na penúltima colocação. O GRANDE PECADO NO CANINDÉ FOI A ESCOLHA EQUIVOCADA DE WALDIR ESPINOSA COMO TREINADOR NO INÍCIO DO CAMPEONATO. SE ESTEVAM SOARES TIVESSE HÁ MAIS TEMPO, POSSIVELMENTE A LUSA PERMANECERIA NA SÉRIE A.



PALMEIRAS 0 X 1 BOTAFOGO
Bem que o Palmeiras queria estar fora da Liberadores. De verdade. Perdeu EM CASA para um Botafogo completamente desinteressado, com gol de Wellington Paulista. Porém, a torcida alviverde não contava com uma ajuda vinda do Paraná. O Atlético-PR venceu o Flamengo, que com um empate poderia tirar a vaga do Porco, e, mesmo perdendo, o time de Vanderlei Luxemburgo terminou na quarta colocação com 65 pontos. E o Botafogo num honroso sétimo lugar, com 53 (vencendo o Goiás, que tem a mesma quantidade de pontos, no número de vitórias – 15 a 14).

ANO PARA SE ESQUECER NO PALESTRA ITÁLIA. O INVESTIMENTO ALTO FOI FEITO PARA A CONQUISTA DO TÍTULO BRASILEIRO. TALVEZ O EGO EXACERBADO DE LUXA TENHA ATRAPALHADO. ASSIM COMO A SAÍDA DE VALDÍVIA NA METADE DO CAMPEONATO.

JÁ O FOGÃO, HORA DE MUDANÇAS. A TORCIDA NÃO AGUENTA MAIS VER O TIME DECOLAR E NÃO SE MANTER NO AR.



ATLÉTICO-PR 5 X 3 FLAMENGO
O duelo na Arena na Baixada já estava disputado mesmo antes de começar. O Furacão precisava se manter na Série A. E o Mengo sonhava com a vaga na Libertadores. Os interesses dos adversários fizeram da partida em Curitiba um jogão.Prevaleceu a necessidade de permanência na elite do futebol nacional, com uma excelente vitória do time da casa por 5 a 3. Toró contra, Rafael Moura, Júlio César, Zé Antônio, e Alan Bahia, de pênalti com direito a PARADONA, marcaram para o Atlético. Marcelinho Paraíba fez os três do rubro negro da Gávea.

O Furacão terminou o campeonato na décima terceira colocação, com 45 pontos, classificado para a Copa Sul Americana do ano que vem. O Flamengo também disputará esta competição, já que terminou em quinto, com 64 pontos.

O BOM TRABALHO DE GENINHO MERECERIA ALGO MELHOR. MAS COMO ELE VEIO JUSTAMENTE PARA LIVRAR O FURACÃO DO PIOR, FOI MUITO BEM SUCEDIDO. A MANUTENÇÃO DO ELENCO PARA O ANO QUE VEM E A CHEGADA DE ALGUNS REFORÇOS PODEM SER A CHAVE DE UM BOM ANO DE 2009 PARA OS RUBROS NEGROS PARANAENSES.

MUITOS VÃO DIZER QUE O FLAMENGO DEU MOLE. NA VERDADE, O TIME FEZ UMA MELHOR CAMPANHA DO QUE EM 2007. NO ANO PASSADO, CLASSIFICOU-SE PARA A LIBERTADORES COM 61 PONTOS. NESTE ANO, NÃO SE CLASSIFICOU E SOMOU 64. MANTENDO A MÉDIA, FAZ 67 NO ANO QUE VEM E PODE ATÉ SER CAMPEÃO. BASTA QUE SE MANTENHA O TRABALHO E QUE SE ADMINISTRE MELHOR O FUTEBOL. ALGUNS CASOS OCORRIDOS NESTE ANO FORAM CRUCIAIS PARA A DERROCADA, COMO A VENDA DE TODO O ATAQUE QUANDO O CLUBE ESTAVA NA LIDERANÇA E O VAZAMENTO PARA A IMPRENSA DE ASSUNTOS COMPLETAMENTE INTERNOS.



FIGUEIRENSE 3 X 1 INTERNACIONAL
Mesmo saindo atrás no placar, com gol de Talles, o Figueirense conseguiu uma virada/vitória sensacional no Orlando Scarpelli ante o campeão da Copa Sul Americana, que vinha com os reservas. Marquinho, Rafael Coelho e Claiton Xavier fizeram os gols dos catarinenses. Após a partida, os torcedores do Figueira ficaram esperando o resultado do jogo entre Santos e Náutico na Vila Belmiro. E, com o empate neste jogo, o time de Santa Catarina acabou caindo para Séria B, mesmo estando invicto há três jogos.

O Figueirense terminou em décimo sétimo, com 44 pontos. O Inter em sexto, com 54.

NEM MESMO AS TRÊS VITÓRIA NAS ÚLTIMAS TRÊS PARTIDAS FORAM O BASTANTE PARA A PERMANÊNCIA DO FIGUEIRA NA SÉRIE A. PINTADO ASSUMIU UMA “BOMBA” E FEZ A SUA PARTE. PENA QUE OS RESULTADOS NÃO AJUDARAM. MAS O FUTEBOL DE SANTA CATARINA NÃO ESTARÁ DE FORA DA ELITE NACIONAL EM 2009, JÁ QUE O AVAÍ SUBIU.

O INTER PRECISA SER GRANDE TAMBÉM NO BRASIL. COMO UM TIME LEVA O TÍTULO DA LIBERTADORES E DO MUNDIAL DE CLUBES EM 2006 E A COPA SUL AMERICANA EM 2008 E, NESSE MEIO TEMPO, NÃO CONQUISTA NENHUM TÍTULO NACIONAL? É HORA DO COLORADO MOSTRAR A SUA FORÇA DE TRI CAMPEÃO NACIONAL, PONDO-A EM PRÁTICA NO NACIONAL DO ANO QUE VEM.



SPORT 4 X 3 CORITIBA
Sport e Coritiba se enfrentaram na Ilha do Retiro para cumprir tabela. E quem esperava um jogo sonolento, equivocou-se. As equipes fizeram um belo espetáculo, de placar 4 a 3 para o time da casa. Marcaram Wilson (3), e Durval para o rubro negro; Marlos, Keirrison e Rodrigo Mancha fizeram os do Coxa. O gol de Keirrison foi o seu 21º no campeonato, que lhe deu a condição de dividir a artilharia com Washington, do Fluminense e Kléber Pereira, do Santos.O Sport acabou na décima primeira colocação, com 52 pontos. Já o Coxa terminou na nona colocação, com um ponto a mais do que os pernambucanos (empatado com o Goiás, inclusive no nº de vitórias, mas perdendo no saldo de gols – 7 a 10).

O CAMPEONATO DO SPORT FOI VOLTADO A SE RECUPERAR DO REBAIXAMENTO E PARA A PREPARAÇÃO DO TIME PARA A LIBERTADORES DO ANO QUE VEM. O CAMPEÃO DA COPA DO BRASIL FEZ UM BOM BRASILEIRÃO E, COM MAIS ALGUNS REFORÇOS, PODE IR LONGE NA COMPETIÇÃO CONTINENTAL.

BELÍSSIMO BRASILEIRÃO DO COXA! VINDO DA SEGUNDONA, O TIME DE DORIVAL JR., QUE ESTRANHAMENTE NÃO CONTINUARÁ À FRENTE DO TIME NO ANO QUE VEM, TERMINOU NA NONA COLOCAÇÃO E MOSTROU AO BRASIL O CAMISA 9 DA COPA DE 2014: KEIRRISON.



VASCO 0 X 2 VITÓRIA
Não dependia só do Vasco a sua permanência na primeira divisão. E ninguém o ajudou. Nem ele mesmo. Perdeu em casa para o Vitória por 2 a 0, Leandro Domingues e Adriano, e, com apenas 40 pontos, terminou na ante penúltima colocação. Já o Vitória chegou aos 52 pontos e terminou na frente do Sport, na décima colocação (ambos tem 52 pontos, mas os baianos vencem no número de vitórias: 15 a 14)


O TEXTO DA PARTIDA NEM FOI TÃO EXTENSO PARA POUPAR O SOFRIMENTO DOS CRUZMALTINOS. MAS ESSE REBAIXAMENTO NÃO É NADA MAIS DO QUE AS CONSEQÜÊNCIAS DA DITADURA EURICO MIRANDA. ESTE ASSUNTO MERECE UM POST ESPECIAL NOS PRÓXIMOS DIAS.

O VITÓRIA FOI OUTRO QUE SUBIU COM LOUVOR PARA A SÉRIE A, ASSIM COMO O CORITIBA. MANTENDO O BOM TÉCNICO VÁGNER MANCINI E A BASE DO ELENCO (APESAR DE JÁ ESTAR PERDENDO BOAS PEÇAS), TERÁ UM 2009 VITORIOSO, COM O PERDÃO DO TROCADILHO...



FLUMINENSE 1 X 1 IPATINGA
O time da casa já estava garantido na Série A. O visitante, rebaixado. E a partida no Maracanã foi um amistoso dos mais desinteressantes. Resumo: o Ipatinga saiu na frete com ibiasdjbcijsab e o Flu empatou com Washington, que chegou a artilharia junto com Keirrison e Kléber Pereira, com 21 gols.

O Fluminense terminou na zona da Sul Americana graças ao título do Inter nesta competição, que abriu mais uma vaga para o Brasil; décima quarta posição, com 45 pontos (vencendo o Santos, que tem a mesma quantidade de pontos, no saldo de gols: 1 a -9). O Ipatinga foi o lanterna da competição com 35 pontos.

DEPOIS DA DERROTA NA FINAL DA LIBERTADORES, RESTOU PARA O FLUMINENSE O BRASILEIRÃO, ONDE SE ENCONTRAVA NA ZONA DE REBAIXAMENTO. GRAÇAS AO BOM TRABALHO DE RENÊ SIMÕES, CONSEGUIU SE LIVRAR DO PIOR. E DEVE SE PLANEJAR MELHOR PARA O ANO QUE VEM. A TORCIDA TRICOLOR JÁ ESTÁ CANSADA DE QUASE.... E PERDER THIAGO SILVA É ALGO TERRÍVEL.

O IPATINGA PODE CONTINUAR A SUA DERROCADA NO ANO QUE VEM. COM UM FUTEBOL BASTANTE FRACO, SE ARRASTOU NA SERIÉ A E PODE ATÉ CAIR PARA A SÉRIE C NO ANO QUE VEM. CAIR PARA A SEGUNDA DIVISÃO DO CAMPEONATO MINEIRO NO INÍCIO DESTE ANO COMPROVA ESTA TESE.



SANTOS 0 X 0 NÁUTICO
Para quem esperava um jogo de compadres, frustração. Pois para o Santos, o empate sem gols em casa o colocou fora da Sul Americana. O resultado foi bom apenas para o Náutico, que conseguiu a permanência na primeira divisão.

O Peixe terminou na décima quinta posição, com 45 pontos. Já o Náutico na décima sexta, com 44.


PÉSSIMO ANO PARA O PEIXE. QUE VENHA 2009!

TIMBU: IDEM AO ADVERSÁRIO DE HOJE.


BRASILEIRÃO 2008: O MAIS EMOCIONANTE DA ERA DOS PONTOS CORRIDOS!!! CONFIRA A CLASSIFICAÇÃO FINAL.

PS.: DEVIDO A FALTA DE TEMPO DESTE QUE VOS ESCREVE (A UERJ JÁ VOLTOU DA GREVE!!!), A ESCOLHA DA SELEÇÃO DO BRASILEIRÃO DO CANETA FOI CANCELADA. FICA PARA O ANO QUE VEM.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

QUEM ESTÁ CERTO?



O Goiás queria mandar o seu jogo contra o São Paulo em Itumbiara, NO ESTADO DE GOIÁS, num estádio conhecido pelo clube, acostumado a atuar por lá no campeonato goiano. Mas a CBF, arbitrariamente, jogou a “final” do Brasileirão 2008 para a politicagem. A partida da 38ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2008 entre Goiás e São Paulo será disputado no “estádio mais moderno do Brasil”: o novo Bezerrão.

Sentindo-se lesado na escolha da entidade máxima do futebol nacional, a equipe goiana, para cobrir as despesas no “super estádio”, estipulou o preço do ingresso para a bagatela de quatrocentos reais, com a oportunidade de o preço cair 50% se o torcedor levasse um quilo de alimento não perecível. Porém, prontamente, o diretor técnico da CBF, Virgílio Elísio, reagiu, alegando que quatrocentos reais é um absurdo e que um quilo de alimento não perecível não custa duzentos reais.

Quem está certo? A CBF pode cobrar duzentos e cinqüenta reais numa partida da Seleção Brasileira no mesmo estádio, mas não permite que o Goiás, MANDANTE DA PARTIDA, cobrar o preço que quiser, respaldado pelo regulamento da competição, que não prevê nenhum preço máximo de ingresso.

O Goiás tem todo direito de cobrar o preço que quiser. Teve o seu direito de escolha completamente ignorado e utiliza este abuso no preço como uma forma de protesto. Se alguém quiser ver a partida que pode decidir o título do Brasileirão, terá SIM que abrir a carteira. E bem.

domingo, 30 de novembro de 2008

37ª RODADA DO BRASILEIRÃO


JOGADORES DO VASCO COMEMORAM GOL. FOTO: GLOBOESPORTE.COM

MUITAS EMOÇÕES NA PENÚLTIMA RODADA DO BRASILEIRÃO
Destaque para excelente vitória do Vasco no Couto Pereira e para o apagão rubro negro no Maracanã. São Paulo adia o Hexa.


NÁUTICO 2 X 1 ATLÉTICO-PR
Mais um dos tantos jogos dos desesperados neste Brasileirão aconteceu hoje nos Aflitos. E deu Náutico, que saiu atrás do placar, mas conseguiu a virada. Final 2 a 1, gols de Ferreira, para o Furacão e Clodoaldo (2) para o Timbu.

A vitória colocou os pernambucanos numa situação confortável, porém apenas para esta rodada. Foi aos 43 pontos e à 15ª colocação. Mas pega o Santos fora de casa na última rodada e, se perder, pode ser ultrapassado pelo Vasco (que teria mais vitórias) e parar na Segundona no ano que vem. Já o Atlético-PR ficou nos 42 e caiu para a 16ª colocação. Necessita desesperadamente da vitória em casa na última rodada contra o Flamengo para se salvar sem depender de ninguém.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Aflitos, Recife (PE)
Data/hora: 30.11.08 – 17h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba da Silva – Fifa (RS)
Assistentes: Jose Antônio Chaves Franco Filho (ES) e Marcelo Bertanha Barison (RS)
Renda e público: Não divulgado
Cartão Amarelo: Everaldo, Derley,Gilmar (NAU); Alan Bahia (APR)
Cartão Vermelho: Ferreira, 21'/1ºT (APR); Gimar, 43'/ 2ºT (NAU)
Gols: Ferreira, 17'/1ºT (0-1); Clodoaldo, 20'/2ºT (1-1); Clodoaldo 35'/2ºT (2-1)

NÁUTICO: Eduardo; Vagner, Titi e Everaldo (Kuki, 29'/1°T); Ruy, Derley, Geraldo (Reinaldo,
37'/2ºT), William e Anderson Santana (Clodoaldo, 15'/2ºT); Felipe e Gilmar. Técnico: Roberto
Fernandes

ATLÉTICO-PR: Galatto, Antônio Carlos (Júlio César, 38'/2ºT), Chico e Rhodolfo; Zé Antônio
(Alberto, 30'/2ºT), Fernando (Gustavo Araújo, 16'/2ºT), Valencia, Alan Bahia, Ferreira e
Netinho; Rafael Moura. Técnico: Geninho


PORTUGUESA 2 X 2 SPORT
A vitória em casa seria crucial para a Lusa tentar a fuga do rebaixamento. Mas o time do Canindé conseguiu apenas o empate por 2 a 2 diante do Sport – gols de Edno e Jonas para a Lusa e Márcio Goiano e Fumagalli para o Sport – e, com os resultados da rodada, já está matematicamente rebaixada. Com apenas 38 pontos, chegaria a apenas 41 na última rodada. Mas o Atlético-PR, primeiro fora da zona, já tem 42. E o adversário da Portuguesa é o Cruzeiro, no Mineirão, brigando por uma vaga na Libertadores. O Sport foi a 49, permaneceu na 11ª posição e agora pega o Coritiba na Ilha do Retiro só pensando na Libertadores do ano que vem.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Data/Hora: 30/11/2008 - 17h
Local: Canindé, São Paulo (SP)
Árbitro: Elmo Resende Cunha (GO)
Renda e Público: R$ 24.354/3.565 pagantes
GOLS: Márcio Goiano, 10'/1ºT (0-1); Edno 16'/1ºT (1-1),Jonas, 31'/1ºT (2-2); Fumagalli,
28'/2ºT (2-2)

PORTUGUESA: Gottardi, Patrício (Waguinho 37'/2ºT), Bruno Rodrigo, Ediglê, Athirson, EricK, Rai, Héverton (Preto 22'/2ºT), Fellype Gabriel (Rogério 35'/2ºT), Jonas e Edno. Técnico: Estevam Soares

SPORT: Magrão, Sidny, Elias (Júnior Maranhão, intervalo), Durval, Dutra, César Lucena, Fábio Gomes (Fumagalli, intervalo), Sandro Goiano, Márcio Goiano (Ciro, 38'/2ºT), Carlinhos Bala e Roger. Técnico: Nelsinho Baptista.


FLAMENGO 3 x 3 GOIÁS
Partida que só evidenciou o quão frágil é o time do Flamengo e que mostrou claramente que o time de Caio Junior não merece uma vaga na Libertadores. Abriu três gols de vantagem no primeiro tempo, com dois de Obina e um de Juan. Mas já na primeira etapa permitiu que o Goiás diminuísse para 3 a 2, com Paulo Baier (pênalti) e Ernando. Na etapa final, o rubro negro só não perdeu porque o time esmeraldino não foi feliz nas suas conclusões. Apenas chegou ao empate, com Thiago Feltri.

O 3 a 3 deixou o Mengo com 64 pontos, os mesmos do Cruzeiro. Mas o time mineiro tem mais vitórias (20 a 18) e Fla não saiu da 5ª colocação. Só chega à Libertadores se não perder para o desesperadíssimo Atlético-PR fora de casa e se o Cruzeiro tropeçar diante da Portuguesa no Mineirão ou o Palmeiras diante do Botafogo no Palestra Itália. Complicado, não? O Goiás foi a 53 pontos e continuou na 7ª colocação. Vai fazer a “final” contra o São Paulo na última rodada no Bezerrão, em Brasília. Uma vitória poderia colocá-lo na 6º posição, ultrapassando o Internacional, que pega o apertado Figueirense no Orlando Scarpelli.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 30/11/2008 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Sérgio Carvalho (DF)
Renda/público: R$ 567.267,00 / 33.392 pag.
Cartões amarelos: Ibson, Kleberson, Fierro, Jaílton, Obina (FLA); Vitor, Fábio Bahia, Rafael
Marques, Iarley, Fernando, Adriano Gabiru (GOI).
GOLS: Obina, 5'/1ºT (1-0); Juan, 29'/1ºT (2-0); Obina, 35'/1ºT (3-0); Paulo Baier (pênalti), 37'/1ºT (3-1); Ernando, 42'/1ºT (3-2); Thiago Feltri, 19'/2ºT (3-3).

FLAMENGO: Bruno, Luizinho (Fierro, intervalo), Jaílton, Ronaldo Angelim e Juan; Aírton, Toró (Vandinho, 29'/2ºT), Ibson e Kleberson; Marcelinho Paraíba (Everton, 15'/2ºT) e Obina. Técnico: Caio Júnior.

GOIÁS: Harley, Ernando, Henrique e Rafael Marques; Vitor, Fernando (Fredson, 40'/2ºT), Fábio Bahia, Paulo Baier e Thiago Feltri; Júlio César (Adriano Gabiru, 20'/2ºT) e Iarley (Alex Terra, 36'/2ºT). Técnico: Hélio dos Anjos.


VITÓRIA 0 X 0 PALMEIRAS
Até que o empate sem gols no Barradão foi bom para o Palmeiras. Graças aos tropeços de Fla e Cruzeiro, o time de Vanderlei Luxemburgo foi aos 65 pontos, à 3ª posição, e se livrou de dois adversários diretos de uma só vez. Para chegar à Libertadores, precisa apenas de uma vitória simples diante do combalido Botafogo no Palestra Itália. O Vitória ficou com 49 pontos e na 10ª colocação. Deve salvar o Vasco do rebaixamento na última rodada, ao levar o time reserva para enfrentar os cruzmaltinos em São Januário.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Barradão, Salvador (BA)
Data/hora: 30/11/2008 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Giulliano Bozzano (DF)
Auxiliares: Cesar Augusto de Oliveira (DF) e Nilson Alves Carrijo (DF)
Público e renda: não disponível
Cartões amarelos: Fabinho Capixaba, Alex Mineiro e Martinez (PAL)

VITÓRIA: Viáfara (19'/2ºT - Gléguer), Marco Aurélio, Marcelo Batatais, Anderson Martins e Marcelo Cordeiro; Vanderson, Renan, Marquinhos e Willians (31'/2ºT - Marco Antônio) ; Jackson e Ricardinho (30'/2ºT - Adriano). Técnico: Vágner Mancini.

PALMEIRAS: Marcos; Gustavo, Jéci, Martinez; Fabinho Capixaba, Jumar (15'/2ºT -Léo Lima), Sandro Silva, Evandro (17'/2ºT - Alex Mineiro), Diego Souza e Jefferson (30'/2ºT - Denílson); Kléber. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.


BOTAFOGO 1 X 3 FIGUEIRENSE
Em circunstâncias normais, o Botafogo não perderia uma partida como essa no Engenhão. Mas o Figueira vinha com a faca nos dentes para fugir do rebaixamento. E conseguiu os três pontos em território alheio, com Diogo Jairo e Tadeu. Alessandro descontou para o Fogão. Mas o 3 a 1 não tirou os catarinenses da zona de rebaixamento. Com 41 pontos, o time é o 17º. Precisa da vitória na última rodada contra o Internacional em casa e torce ou para que o Flamengo vença o Atlético-PR na Arena da Baixada, ou para que o Santos derrote o Náutico na Vila Belmiro para se salvar. O Bota ficou nos 50 pontos, na 9ª colocação e, assim como ajudou o Figueira a tentar se livrar da degola, deve ajudar o Palmeiras a ratificar a sua classificação à Libertadores.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 30/11/2008 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Sálvio Spínola (SP)
Auxiliares: Ednilson Corona (SP) e Emerson Augusto de Carvalho (SP)
Renda/público: R$ 29.225,00 / 3.106 pagantes
Cartões amarelos: Diogo e Alex Bruno (FIG)
Cartões vermelhos: -
GOLS: Diogo, 7'/2ºT (0-1); Jairo, 11'/2ºT (0-2); Alexandro, 22'/2ºT (1-2); Tadeu, 36'/2ºT (2-
2)

BOTAFOGO: Renan; Alessandro, Emerson (Luciano Almeida, 34'/2ºT), Andre Luis e Triguinho (Alexsandro, 15'/2ºT); Leandro Guerreiro, Diguinho, Lucio Flavio e Lucas Silva; Jorge Henrique e Zárate. Técnico: Ney Franco

FIGUEIRENSE: Wilson; Alex Bruno, Bruno Perone e Leandro Carvalho (Ramon, 41'/2ºT); Anderson Luis, Diogo (Asprilla, 28'/2ºT), Marquinho, Cleiton Xavier e William Matheus; Tadeu e Rafael Coelho (Jairo, intervalo) - Técnico: Pintado



ATLÉTICO-MG 0 X 0 SANTOS
O empate sem gols valeu para que o Galo se garantisse na Sul Americana do ano que vem e para que o Santos se livrasse do risco de rebaixamento. O Atlético foi para os 48 pontos e permaneceu na 12ª colocação. Pega o Grêmio no Olímpico na última rodada. O Santos foi aos 44, continuou na 14ª posição e só cai se perder para Náutico em casa, o Atlético-PR perder para o Flamengo e o Figueirense vencer o Inter por 18 GOLS DE DIFERENÇA. O Santos já está fora!

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
DATA: 30/11/2008 às 17h
ESTÁDIO: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
ÁRBITRO: Wagner Tardelli Azevedo (SC - FIFA)
AUXILIARES: Katiuscia Mayer Berger Mendonça (ES - FIFA) e Carlos Berkenbrock (SC)
Renda/ público:
Gols: não houve
Cartões amarelos: não houve
Cartões vermelhos: não houve

ATLÉTICO-MG: Édson, Sheslon, Leandro Almeida, Welton Felipe e Raphael Aguiar;
Francis, Elton, Márcio Araújo (Beto, 35’/2ºT) e Renan Oliveira; Marques e Castillo (Petkovic, 17’/2ºT). Técnico: Marcelo Oliveira.

SANTOS: Fábio Costa; Wendel (Pará, intervalo), Domingos, Fabão e Fábio Santos; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Kléber e Molina (Tiago Luis, 35’/2ºT); Robinho (Adriano, 18’/2ºT) e Lima. Técnico: Márcio Fernandes.



INTERNACIONAL 1 X 0 CRUZEIRO
Já que perdeu para o Fluminense por 2 a 0, pensava-se que o time reserva do Inter perderia também para o Cruzeiro e o time mineiro praticamente sacramentaria a sua classificação para a Libertadores. Mas o expressinho Colorado venceu por 1 a 0, gol de Gustavo Nery, e colocou água no chope mineiro. O Inter foi aos 54 pontos e ficou na 6ª colocação. Enfrenta o desesperado Figueirense na última rodada. Mesmo perdendo, o Cruzeiro não saiu do G4. Ficou nos 64 pontos, mas tem mais vitórias do que o Flamengo e caiu apenas para quarto. Pega a já rebaixada Portuguesa no Mineirão para confirmar a sua presença na competição interclubes mais importantes das Américas.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Beira Rio, em Porto Alegre (RS)
Data/hora: 30/11/2008, às 17h
Árbitro: Djalma José Beltrami Teixeira (RJ)
Auxiliares: Hilton Mourinho Rodrigues (RJ) e Dibert Pedrosa Moisés (RJ)
Gols: Gustavo Nery, 14'/1ºT (1-0)
Cartões amarelos: Marquinhos Paraná (CRU) Daniel Carvalho, Danny Morais, Ramon (INT)

INTERNACIONAL: Lauro, Bustos, Orozco, Danny Morais e Ramon; Maycon, Guiñazú, Rosinei (Paulinho, 43'/2ºT) e Gustavo Nery; Taison e Daniel Carvalho (Walter, 22'/2ºT). Técnico: Tite

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Leo Fortunato, Thiago Heleno e Fernandinho; Fabrício (Henrique, intervalo), Marquinhos Paraná, Ramires e Wagner (Weldon, 37'/2ºT); Gerson Magrão (Wanderley, intervalo) e Thiago Ribeiro. Técnico: Adilson Batista



CORITIBA 0 X 2 VASCO
O Vasco fez a sua parte no Couto Pereira. Precisava da vitória fora de casa para continuar sonhando em se livrar do desespero. E conseguiu com Leandro Amaral, que marcou um no primeiro tempo e um no segundo, de pênalti. Com o resultado, o Vascão foi aos 40 pontos, mas não saiu da zona de rebaixamento. Além de vencer o Vitória em casa, o time da Colina terá de torcer para que o maior rival Flamengo vença o Atlético-PR na Arena da Baixada e que o Santos derrote o Náutico em casa para se livrar do sufoco. Já o Coxa, ficou nos 53 pontos e caiu para 8º. Cumpre tabela com o Sport na Ilha do Retiro.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Couto Pereira, Curitiba (PR)
Data/hora: 30/11/2008 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Alício Pena Júnior (Fifa-MG)
Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Marcio Eustáquio Santiago (MG)
Renda/público: R$282.035,00 / 18.309 pagantes
Cartões amarelos: Felipe, Arilton, Alê, Guaru, Edson Bastos e Maurício (COR); Vilson, André, Eduardo Luiz e Mateus (VAS)
GOLS: Leandro Amaral, 15'/1ºT (0-1); Leandro Amaral, 5'/2ºT (0-2).

VASCO: Rafael, Eduardo Luiz, Odvan e André; Wagner Diniz, Jonílson, Mateus, Madson, Alex Teixeira (Leandro Bomfim, 25'/2ºT) e Vilson (Jhonny, 29'/2ºT); Leandro Amaral (Edmundo, 32'/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho.

CORITIBA: Vanderlei; Maurício, Rodrigo Mancha (Dinélson, 14'/2ºT) e Felipe; Arilton, Alê, Carlinhos Paraíba (Guaru, intervalo), Marlos e Ricardinho; Keirrison e Ariel (Jailson, intervalo). Técnico Dorival Júnior.



SÃO PAULO 1 X 1 FLUMINENSE
Era o jogo para ser campeão. Mas o São Paulo não aproveitou a oportunidade. E estava diante de um carrasco no ano de 2008, chamado Fluminense Football Club. Jogando um futebol apático, o bi-campeão brasileiro apenas empatou com Flu por 1 a 1 e ainda saiu atrás no placar. Tartá fez o dos cariocas e Borges empatou. Entretanto, o time do Morumbi precisa apenas de um empate com o Goiás na última rodada para comemorar seu sexto título nacional, o terceiro consecutivo. Foi aos 72 pontos e, com 73, não seria alcançado pelo Grêmio se este chegasse aos três pontos diante do Atlético-MG. Já o Flu se livrou de vez do risco de rebaixamento. Chegou aos 44 pontos e permaneceu na zona da Sul Americana, 13ª colocação. Enfrenta o já rebaixado Ipatinga no Maraca na última rodada.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 30/11/2008 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Alessandro Álvaro Rocha de Matos (Fifa-BA)
Renda e público: 66.888 pagantes / R$ 1.387.775,00
Cartões Amarelos: Fabinho (FLU), Jean (SPO)
GOLS: Tartá, 4'/2ºT (0-1); Borges, 12'/2ºT

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Rodrigo, André Dias e Miranda; Joilson (Richarlyson, 28'/2ºT), Jean, Hernanes, Hugo (40'/2ºT) e Jorge Wagner; Dagoberto (André Lima, 33'/2ºT) e Borges. Técnico: Muricy Ramalho

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Wellington Monteiro, Thiago Silva, Luiz Alberto e Junior Cesar; Fabinho (Ygor, 16'/2ºT), Romeu, Arouca (Maurício, 31'/2ºT) e Conca; Maicon (Tartá, 1'/2ºT) e Washington. Técnico: René Simões



IPATINGA 1 X 4 GRÊMIO
Era um jogo para o Grêmio confirmar os três pontos e continuar sonhando com o título. Mesmo tomando um susto no início, o tricolor gaúcho goleou o rebaixado Ipatinga por 4 a 1 de virada, com gols de Marcel(2), Jean e Léo. Pablo fez o dos mineiros. O Grêmio foi à 69 pontos e continuou na 2ª posição. Mas com o empate do São Paulo, o Grêmio ainda pode ser levantar a taça se vencer o Atlético-MG no Olímpico na última rodada. Basta que o Goiás derrote o atual bi-campeão nacional. O Ipatinga, já rebaixado, ficou nos 34 pontos, na lanterna. Cumpre tabela com o Fluminense no Maracanã.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Ipatingão, em Ipatinga (MG)
Data/hora: 30/11/2008 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman (PR)
Auxiliares: Marcos Antônio Moreira Collodett (ES) e Gelson Pimentel Rodrigues (ES)
Público e Renda: 1.387 pagantes e R$ 10.645
Cartões Amarelos: Paulinho Dias, Pablo (Ipatinga)
Cartões Vermelhos: Sílvio, 44'/2°T (IPA)
Gols: Pablo, 5'/1ºT (1-0); Marcel, 12'/1ºT (1-1); Jean, 23'/1ºT (1-2); Marcel, 28'/1ºT (1-3);
Leo, 8'/2ºT (1-4)


IPATINGA: Fred, Afonso, Silvio, Patrick e Léo Oliveira; Paulinho Dias, Augusto Recife, Pablo (Luis Fernando, 35'/2ºT) e Beto (Anderson, intervalo); Adeilson e Ferreira (Muller, 14'/2ºT). Técnico: Enderson Moreira.

GRÊMIO: Victor; Leo, Jean e Pereira; Felipe Mattioni, Rafael Carioca, William Magrão (Adilson 31'/2ºT), Tcheco e Souza; Perea (Soares, 39'/2ºT) e Marcel (Hélder, 38'/1ºT). Técnico: Celso Roth.

AS EMOÇÕES FICARAM PARA A ÚLTIMA RODADA! QUEM SERÁ CAMPEÃO: SÃO PAULO OU GRÊMIO? O FLAMENGO CONSEGUIRÁ CHEGAR A LIBERTADORES? E O VASCO, SERÁ QUE CAI? RESPOSTAS APENAS NO DIA 7 DE DEZEMBRO, ÀS 19:10.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

CANETA DE CHUTEIRA - SELEÇÃO DO BRASILEIRÃO: DEFESA


NOSSA DEFESA: BRUNO, VÍTOR, THIAGO SILVA, RÉVER E JUAN OU JORGE WAGNER

Nossa Seleção do Brasileirão está com a defesa quase montada. Já elegemos o goleiro, Bruno, do Flamengo, nosso lateral-direito – enquete resolvida na “morte súbita” – nosso zagueiro central, nosso quarto zagueiro e só não temos lateral-esquerdo ainda porque deu empate. O “tira teima” está ao lado desta matéria: VOTE!

O lateral direito eleito pelo Caneta foi Vitor, do Goiás. Na primeira enquete, nove leitores votaram e o resultado foi Léo Moura, do Flamengo e Vitor empatados com 4 votos (44%), Élder Granja, do Palmeiras com 1 um voto (11%) e Ruy, do Náutico, não teve nenhum, assim como a opção “Outro”. Na morte súbita entre os LD de Flamengo e Goiás, cinco leitores votaram e Vitor ficou com 3 votos (60%) e Léo com 2 (40%).

Thiago Silva é o nosso zagueiro central, eleito com mais da metade dos votos. Nove leitores votaram e o zagueiro do Flu teve 5 votos (55%). Em segundo lugar ficaram Fábio Luciano, do Flamengo e Léo, do Grêmio, com 2 votos (22%). André Dias, do SP, não teve nenhum voto, como a opção “Outro”.

O camisa 4 será ver, do Grêmio. É certo que poucos votaram nesta enquete, apenas quatro, mas o atleta do tricolor gaúcho teve 75% dos votos (três). O outro voto foi para Ronaldo Angelim, do Flamengo. Não foram votados a opção “Outro”, Pereira, do Grêmio e Miranda, do São Paulo.
Já o lateral esquerdo não foi eleito no “tempo regulamentar”. Seis leitores votaram, e deu empate entre dois jogadores: Juan, do Flamengo e Jorge Wagner, do São Paulo, tiveram 2 votos (33%); Júlio César, do Goiás e Leandro, do Palmeiras ficaram com 1 voto (16%). A opção “Outro” não foi votada. Como já citado, a “morte súbita” está na enquete ao lado. VOTE!

TRANSPARÊNCIA CANETA DE CHUTEIRA
Votos do Aldevan Junior;

- Lateral direito: Vitor, do Goiás (na primeira enquete e na morte súbita);
- Zagueiro central: Thiago Silva, do Fluminense;
- Quarto zagueiro: Réver, do Grêmio
- Lateral-esquerdo: Leandro, do Palmeiras, na primeira enquete e Jorge Wagner, do São Paulo, na morte súbita.

VAMOS FORMAR A SELEÇÃO DO CANETA, GALERA! PARTICIPEM!

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

ESTUDIANTES 0 X 1 INTERNACIONAL


ALEX COMEMORA O GOL DO INTER. FOTO: EFE

O adversário estava há 43 partidas invicto em casa. E tratava-se de uma final de um campeonato onde nunca uma equipe brasileira havia chagado. Mas o Internacional vez valer o seu nome. Jogou de maneira objetiva, muito bem postado atrás e apostando no seu ótimo trio ofensivo.

Depois da prematura expulsão de Guiñazú, Tite puxou D’Alessandro para a ponta direita e deslocou Alex para a ponta esquerda, fazendo duas linhas de quatro, com Nilmar sozinho na frente. O esquema deu muito certo, e foi no contra ataque que o Colorado conseguiu o seu gol. Passe primoroso de D’Alessandro para Nilmar dentro da área. O rápido atacante venceu Angeleri na corrida, mas o zagueiro argentino o derrubou dentro da área: pênalti cobrado, e convertido, duas vezes para valer uma – na primeira, o árbitro acusou uma invasão de Magrão – por Alex.

Sobre o Estudiantes, dia para esquecer. O time de Leo Astrada, que mexeu muito mal no time no segundo tempo, ameaçou apenas nas bolas paradas. Verón estava irreconhecível. Porém, a melhor chance do time alvirrubro foi no primeiro tempo, numa cobrança de falta do carequinha camisa 11. A desvantagem no jogo de volta não foi a única; perder uma invencibilidade de 43 partidas em casa também é muito duro.

O solitário gol fez o Inter trazer uma grande vantagem para o jogo de volta no Beira Rio. Basta um empate simples para o Colorado se tornar o primeiro time brasileiro campeão da Copa Sul Americana. E fazer com que as equipes que não dão importância para esta competição mudar seu pensamento.

PARTICIPE DA ESCOLHA DA SELEÇÃO DO CANETA DE CHUTEIRA DO BRASILEIRÃO 2008. VOTE NAS NOSSAS ENQUETES!!! A SELEÇÃO SERÁ FEITA POR VOCÊ!!! AMANHÃ, BALANÇO SOBRE AS ELEIÇÕES DO LATERAL-DIREITO, DO ZAGUEIRO CENTRAL, DO QUARTO ZAGUEIRO E DO LATERAL-ESQUERDO. NOSSO GOLEIRO JÁ FOI ELEITO: BRUNO, DO FLAMENGO.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

36ª RODADA DO BRASILEIRÃO


HUGO COMEMORA O SEGUNDO GOL DO TRICOLOR PAULISTA. FOTO ALEXANDRE DURÃO/GLOBOESPORTE.COM

CÚPULA

Monotonia? Não. Competência exacerbada. Exemplo. Este é o São Paulo Futebol Clube, seis vezes campeão brasileiro. Clube que venceu o Vasco no domingo como campeão que foi em 2006 e 2007 e que será em 2008. Mantendo a sua mortal bola parada, que muitos criticam, mas não vêm solução para contê-la. Jogada excelente, jogada treinada por um excelente. Muricy Ramalho, a cada dia consolida mais o seu nome na história do futebol brasileiro.

Já havia escrito isso por aqui. Mas, assim como mencionei na outra vez, não deixemos o fato de lado. E o fato chama-se SÃO PAULO MURICY RAMALHO. O tricolor paulista enfrenta agora o Fluminense em casa e o Goiás fora. Alguém duvida de que serão mais duas vitórias?

E o Grêmio, já sem forças, sucumbiu. Tudo bem que o adversário era complicado, com um Vagner Mancini engasgado com o tricolor gaúcho. Mas quem quer ser campeão brasileiro tem de ser determinado na reta final. Não pode ter jogadores expulsos. Nem muito menos levar quatro gols. Entretanto, a vaga na Libertadores já está garantida. O time pega o Ipatinga fora e o Galo em casa, além de já contar com 66 pontos. Classifica-se mesmo se vencer uma das duas partidas.


CRUZEIRO X FLAMENGO
É injusto dizer que o Flamengo foi prejudicado pela arbitragem no jogo contra o Cruzeiro. Não pelo pênalti claríssimo em cima de Diego Tardelli – que voltava depois de três meses parado se recuperando de uma fratura no braço e jogou muito bem – evidenciando a decadência de Carlos Eugênio Simon como árbitro. Mas pelas falhas clamorosas da defesa e da total ineficiência do time de Caio Junior. É certo que o aproveitamento do ataque rubro negro foi melhor do que o do Cruzeiro. Mas o time celeste chutou três vezes mais a gol do que o adversário e dominou o jogo todo. Um empate no Mineirão seria injustíssimo. Porém, há algo que não pode se deixar passar: Simon representando o Brasil como árbitro em competições oficiais? N Ã O!!! O TEMPO DELE JÁ PASSOU... HÁ TEMPOS...

O Cruzeiro praticamente garantiu a sua vaga na Libertadores. Pega os reservas do Internacional fora e a praticamente rebaixada Portuguesa no Mineirão. Possivelmente soma, no mínimo, 4 pontos e, com 68, se garante. Já o Flamengo tem de fazer o que o seu torcedor faz como ninguém: secar. Além de somar pontos nas partidas contra o Goiás em casa e contra o Atlético-PR fora. Deve somar também 4 pontos e ir à 67. E seca Palmeiras ou Cruzeiro, para que, pelo menos um, não vença seus próximos dois compromissos. Se isso não acontecer, adeus América. MAIS UMA VEZ, CAIO JUNIOR... QUE SINA!!!


TAREFA ALVIVERDE
O Palmeiras pegou o Ipatinga em casa. Perder? Nem pensar. Empatar? Nem muito menos. Golear? Pra que, se 2 a 0 valem os mesmos três pontos? E foi isso que o time de Luxemburgo fez. Jogou sério e simples. Passou o Flamengo na tabela o voltou ao G4. Vencendo seus próximos dois jogos, já se garante na Libertadores sem precisar torcer contra ninguém. Mas os adversários são complicados: Vitória no Barradão e Botafogo, no Palestra. Mesmo assim, a vaga alviverde na Libertadores já está bastante madura.


NEM LÁ NEM CÁ – OS SUL AMERICANA 2009.
Somente um destaque especial. Coritiba 5 x 1 Santos. E mais um show de Keirrison. Vamos fazer um bolão: DEPOIS QUE ESTE JOGADOR ACERTAR COM O PALMEIRAS NO ANO QUE VEM, QUANTO ELE TEMPO DURA NO FUTEBOL BRASILEIRO?


DESESPERADOS
Um já foi mencionado: Vasco da Gama. Que perdeu em casa para o líder. Derrota mais do que normal em circunstâncias normais. Porém, o jogo de domingo não era uma circunstância normal. Três pontos significavam chegar a 40, e sair da zona de rebaixamento. Mas isso não aconteceu. E o time da Colina, OBRIGATÓRIAMENTE, tem de vencer o Coritiba (já mencionado) no Couto Pereira e o Vitória em São Janu. Torço pelo Vasco sair dessa. Contudo, a visão realista não deve ser deixada de lado: o time de Renato Gaúcho deve até perder as duas partidas e se juntar ao Duque de Caxias na Série B do ano que vem. Que lástima para o futebol carioca.

Futebol carioca que quase teria três na Segundona. Sorte é que o Fluminense renasceu das cinzas com o bom treinador Renê Simões. E venceu o expressinho do Inter em pleno Beira Rio por 2 a 0. A vitória praticamente livrou o tricolor carioca da degola. Mas é bom que o time não perca os próximos jogos para não correr riscos de última hora. Assim como o Santos, que levou em sonora goleada em Curitiba e periga mais do e o Flu.

O Furacão empatou fora com o Botafogo e respirou. O Figueira venceu o confronto direto com o Náutico no Orlando Scarpelli num jogo de sete gols: 4 a 3. Mas ainda não se livrou da degola: é o primeiro da zona de rebaixamento. Os três estão ameaçados.

A Portuguesa perdeu uma ótima oportunidade de somar pontos em casa e empatou sem gols com o Goiás. E agora pega Sport em casa e Cruzeiro fora. A Lusa está com um pé na Série B. O Ipatinga já foi. Mas quem já havia caído para a segunda divisão do Campeonato Mineiro no primeiro semestre não poderia esperar algo muito diferente.

JÁ TEMOS O CAMPEÃO. TRÊS VEZES SEGUIDAS CAMPEÃO. AGORA A BRIGA É PELA VAGA NA LIBERTADORES E PARA NÃO CAIR. AS EMOÇÕES SÓ SE ENCERRAM TOTALMENTE MESMO NO DIA 07 DE DEZEMBRO DE 2008.

domingo, 23 de novembro de 2008

SEMANA COMPLICADA...

CAROS AMIGOS:

O CANETA FICOU FORA DO AR POR PROBLEMAS TÉCNICOS (QUE MUITOS JÁ CONHECEM...) E, DEVIDO A UMA SEMANA COMPLICADA DESTE QUE VOS ESCREVE, A POSTAGEM SOBRE A 36ª RODADA DEVE DEMORAR A SER POSTA NO AR.

QUEM DERA O DIA TER MAIS DO QUE 24 HORAS...

AGRADEÇO PELA COMPREENSÃO.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

QUARTA-FEIRA FABULOSA


FABULOSO COMEMORA GOL CONTRA PORTUGAL. FOTO: GLOBOESPORTE.COM

Seleção faz sua melhor partida no ano de 2008 e goleia Portugal: Pela Sul Americana, Inter passeia em casa
Luis Fabiano, com um HAT-TRICK, foi o nome da partida contra Portugal; já o Colorado confirmou a sua classificação à final com goleada

BRASIL 6 X 2 PORTUGAL
Era um amistoso apenas. Com cara de jogo político, na corrida das sedes para a Copa do Mundo de 2014. O “único estádio no Brasil nos moldes da FIFA”, que servirá de campo de treino para as seleções que disputarem as suas partidas no Distrito Federal (num reformulado Mané Garrincha), recebeu duas equipes cujos treinadores não agradam aos aficionados. Até a presença de Luis Felipe Scolari foi evitada para não gerar desconforto a Dunga e Carlos Queirós. E tinha a disputa entre o atual melhor jogador do mundo Kaká e o postulante a melhor, Cristiano Ronaldo.

Mas, dentro de campo, as equipes mostraram um grande futebol, principalmente a Seleção Brasileira, que, diante de um adversário que não tinha pretensões defensivas, conseguiu demonstrar o seu verdadeiro futebol cinco vezes campeã mundial.

Portugal saiu na frente com Danny, logo aos 4 da etapa inicial. Mas depois se acomodou e foi atropelado por um caminhão verde e amarelo. O nome do jogo, Luis Fabiano, virou o jogo no primeiro tempo ainda: Robinho fez grande jogada pela esquerda e achou o Fabuloso dentro da grande área, que não perdoou e empatou o jogo aos 8. Aos 25, Kaká fez também grande jogada, só que pela direita, e também achou o atacante do Sevilla dentro da área, que finalizou prensado e a bola bateu em Maniche antes de entrar.

No segundo tempo, a avalanche continuou. Aos 10, Maicon apareceu sozinho na área adversária e fez 3 a 1. E aos 12, Fabigol fez o seu HAT-TRICK e 4 a 1. Simão Sabrosa tentou uma reação para a seleção lusitana, diminuindo para 4 a 2 aos 16, mas, já aos 19, Elano aumentou a goleada: 5 a 2. E Adriano, aos 44, fechou o placar.

Final 6 a 2 para o Brasil, num duelo onde não se percebeu a presença de Cristiano Ronaldo. O camisa sete de Portugal e do Manchester United parece ter sentindo uma pancada que sofreu de Elano no início do jogo e esteve irreconhecível. Já Kaká, que atuava na cidade onde nasceu, só não foi o nome do jogo porque Luis Fabiano estava numa noite incrível. Se a FIFA utilizasse o jogo de ontem para definir o melhor de 2008, certamente CR não seria o jogador a ser escolhido.

E Dunga? Encerrou o ano com uma bela vitória em casa e sua equipe quebrou o tabu de não ter marcado gol em casa no ano de 2008 com juros e correção monetária. Tem crédito com Ricardo Teixeira e o boato de que um novo técnico seria contratado agora para ter tempo de trabalhar a Seleção para o ano de 2009 possivelmente não será confirmado.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Bezerrão, Brasília (DF)
Data/horário: 19/11/2008, às 22h (de Brasília)
Árbitro: Jorge Larrionda (URU)
Assistentes: Walter Rial e Pablo Fandiño (URU)
Cartões amarelos: Danny e Cristiano Ronaldo (POR) e Luís Fabiano, Elano e Marcelo (BRA)
Renda: R$ 1.392.380.00 / Público: 19 mil 157 espectadores
GOLS: 4'1ºT Danny (0-1); Luís Fabiano 8'1ºT (1-1); 25'1ºT Luís Fabiano (2-1); 10'2ºT Maicon
(3-1); 12'2ºT Luís Fabiano (4-1); 16'2ºT Simão Sabrosa (4-2); 19'2ºT Elano (5-2); 44'2ºT
Adriano (6-2)

BRASIL: Julio Cesar, Maicon (33'2ºT Daniel Alves), Thiago Silva, Luizão e Kléber (36'2ºT/Marcelo); Gilberto Silva, Kaká, Anderson (34'2ºT/Josué) e Elano (31'2ºT Mancini); Robinho (35'2ºT/Alex) e Luís Fabiano (21'/2ºT Adriano). Técnico: Dunga.

PORTUGAL: Quim, Bosingwa, Bruno Alves, Pepe e Paulo Ferreira; Maniche (40'2ºT Peixoto), Tiago (Intervalo/Nani), Deco (23'2ºT João Moutinho) e Danny (Intervalo/ Raúl Meireles), Cristiano Ronaldo e Simão Sabrosa (31'2ºT Hugo Almeida). Técnico: Carlos Queiroz



INTERNACIONAL 4 X 0 CHIVAS GUADALAJARA
O Inter confirmou o seu favoritismo ante o Chivas e passeou no Beira Rio. Mesmo com uma excelente vantagem de 2 a 0 no primeiro jogo em Guadalajara, o time de Tite enfiou 4 a 0 nos mexicanos, que voltaram para a casa desclassificados humilhantemente e perderam seu treinador; Efraín Flores pediu demissão após a partida.

Marcaram para o Colorado o meia argentino D’Alessandro e Nilmar, cada fazendo dois. Agora o time assiste ao jogo de hoje entre Estudiantes e Argentinos Jrs. para saber quem enfrenta na grande final da segunda competição mais importante da América do Sul. No primeiro jogo, 1 a 1 no estádio Diego Maradona, casa do Argentinos Jrs.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Beira-Rio (Rio Grande do Sul)
Data/Hora: 19/11/08 - 22h (de Brasília)
Árbitro: Óscar Ruiz (COL)
Auxiliares: Abraham González (COL) e Humberto Clavijo (COL)
Renda/público: R$ 843.456,00 / 37.703 pagantes
Gols: D'Alessandro, 19'/1ºT (1-0); D'Alessandro, 36'/1ºT (2-0); Nilmar, 43'/1ºT (3-0); Nilmar,
25'2ºT (4-0)
Cartões: amarelos: D'Alessandro, Indio, Danny Moraes (INT); Araujo (CHI); vermelho: Medina,
41'/1ºT (CHI)

INTERNACIONAL: Lauro, Bolívar, Indio (Danny Moraes, 34'/2ºT), Álvaro e Marcão; Edinho, Guiñazú, Magrão e D’Alessandro (Andrezinho, 16'/2ºT); Taison e Nilmar (Daniel Carvalho, 30'/2ºT). Técnico: Tite.

CHIVAS: Hernández; Mejía, Reynoso e Ocampo (Padilha, intervalo); Báez, Araújo, Solis, De la Mora (Ledesma, 24'/2ºT) e Morales (Esparza, 18'/2ºT) ; Medina e Santana. Técnico: Efraín Flores.


NOTA:
A COR DO FUNDO DO CANETA FOI MODIFICADA EM HOMENAGEM AO DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA. RACISMO, TÔ FORA!!!

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

ESPACIO DE LOS HERMANOS: 15ª RODADA DO APERTURA 2008


Schiavi e Bergessio lutam pela bola. Newell's e San Lorenzo fizeram um partidaço. FOTO: OLE.CLARIN.COM


Tigre e San Lorenzo lideram o Apertura a quatro rodadas do final
.
A equipe de Ischia não aproveitou sua oportunidade e ficou a um ponto. Lanús e Newell's não perderam as esperanças.
Por Heb-Diablo

Ainda que muito apertados a quatro rodadas para o final, os candidatos ao título do Apertura 2008 apresentam diferentes realidades. O lote começa com
Tigre e San Lorenzo, únicos líderes depois da 15º jornada, segue com Boca e termina com Lanús e Newell's, nessa ordem.

O Tigre se reabilitou com um sólido triunfo ante Godoy Cruz das duas rodadas sem ganhar que acumulava (derrota para Argentinos Jrs. e empate com sabor de derrota para o Colón). Foi 2 a 0, dois do goleador Martín Morel. A vitória foi uma injeção de ânimo nos dirigidos de Diego Cagna nesta reta final. O Tigre pega Estudiantes fora, River, em casa, Central, em Rosario e Banfield, em Victoria.

A situação do San Lorenzo é, no mínimo, paradóxica. Pode estar tranqüilo de que segue dependendo de si mesmo para a sua gloria, mas justamente essa calma, mais acentuada quando estava a cinco pontos de vantagem sobre seus perseguidores, foi a que o colocou em problemas e o time já não tem tanta diferença em pontos sobre os adversários.

No sábado à noite, tinha tudo para recuperar a ponta – que havia ficado provisoriamente nas mãos do Tigre - e se isolar. Mas o Newell's foi guerreiro atuando em casa e os 3 a 1 de que os azul-grenás gozavam a dez minutos do final terminou em 3 a 3 e desilusão para os visitantes.

Ao conjunto de Miguel Ángel Russo resta um caminho complicado: Lanús, em casa, depois visita a Huracán no clássico de Almagro, recebe o Independiente e encerra contra Argentinos, no “La Paternal”.

Boca sofreu um duro revés na sua escalada até a ponta. A retomada, que iniciou no Super Clássico, e que constou de cinco triunfos consecutivos, terminou com uma derrota em plena Bombonera para o Vélez, por 3 a 2.

Não se pode tirar conclusões catastróficas desta derrota, até porque o time de Carlos Ischia deverá demostrar sua capacidade para sobrepor-se às adversidades e ir para o tudo ou nada contra o San Martín no próximo domingo em Tucumán. Depois, recebem o Racing, pegam o Gimnasia, em La Plata e o Colón, na Bombonera.

Nem Lanús, nem Newell's conseguiram os tres pontos nesta rodada, mas seguem ainda na expectativa. A juvenil equipe de Luis Zubeldía não pode agüentar sua vantagem parcial no clássico do sul bonaerense e terminou igualando em 1 a 1 com o Banfield. Os rosarinos, ao contrário, ficaram com outro sabor depois do empate com o San Lorenzo. É que a derrota estava quase assegurada e, na raça, arrancaram um ponto.


O resto
River voltou a vencer! Algo que não acontecia desde a segunda rodada, mais precisamente desde 17 de agosto. Naquela vez, foi 2 a 0 contra o Rosario Central. Desta vez, sofreu o débil Independiente, que perdeu em casa: 1 a 0.

O Racing sucumbiu diante do embalado Colón em Avellaneda. Com direito a frango do goleiro Pablo Migliore incluído: 2 a 0 para os visitantes.

O Rosário Central ganhou um gás diante do Huracán (2 a 0 fora de casa) e o Argentinos Jrs. goleou o Estudiantes: 5-0, no segundo capítulo da mini série que se completará na quinta feira na partida de volta da Copa Sul Americana (na ida, igualaram em 1 a 1).

Na parte de baixo da tabela, o Gimnasia de La Plata venceu o San Martín de Tucumán, com um a menos e com um gol chorado de Mariano Messera, saindo da zona de descenso.

O Gimnasia de Jujuy desta vez não mostrou sua força em casa e perdeu para o novo Arsenal de Sarandí, que perde em casa e ganha fora, já que perdeu no último domingo para o Boca em casa e venceu seus últimos dois compromissos como visitante, depois de não somar pontos em todo campeonato nessa condição. 1 a 0 para o time campeão da Copa Sul Americana de 2007.

A peleja está aberta. Em todos as frentes. Lá em cima e lá em baixo. Mais por quantidade que por qualidade, ao menos emoção não vai faltar neste final de Apertura 2008.

TUDO SOBRE O FUTEBOL ARGENTINO E MUNDIAL EM
www.alfondo-delared.blogspot.com

PASATE!


* A coluna do amigo Heb foi ao ar hoje por conta do velho problema com o serviço de banda larga do administrador do Caneta de Chuteira.

domingo, 16 de novembro de 2008

35ª RODADA DO BRASILEIRÃO


ÍBSON COMEMORANDO O SEGUNDO GOL DO FLA, OBSERVADO POR OBINA. FOTO: AGÊNCIA O GLOBO

35ª RODADA SÓ DE VITÓRIAS DE MANDANTES

Lá em cima, destaque para São Paulo, Grêmio e Flamengo; lá em baixo, destaque para Atlético-PR, Flu e Náutico

NÁUTICO 5 X 2 CRUZEIRO
O time da casa precisava dos três pontos para continuar vivo na luta contra o rebaixamento. O visitante queria a vitória para tentar tirar uma diferença importante dos adversários diretos: somente o Flamengo havia vencido o Náutico nos Aflitos.

Mas o Timbu mostrou a sua força e, numa partida impecável, goleou o Cruzeiro por 5 a 2, gols de Gilmar(2), Felipe(2) e Everaldo. Wagner e Guilherme descontaram para a Raposa. É pertinente salientar a péssima atuação do setor defensivo do time mineiro. Dos cinco gols do adversário, pelo menos três foram de clamorosos erros, principalmente do primeiro, quando Gilmar se livrou com facilidade de Léo Fortunato para marcar.

O Náutico respirou na tabela com a vitória: foi aos 40 pontos e empurrou o Vasco para a zona de rebaixamento, ficando na 16ª posição, uma a frente do time de São Januário. Já o Cruzeiro manteve-se no G4 com a derrota por ter mais vitórias do que o Palmeiras: com 61 pontos, é o quarto colocado.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Estádio dos Aflitos, em Recife (PE)
Data/hora: 15/11/2008, às 18h30
Árbitro: Sérgio da Silva Carvalho (DF)
Auxiliares: Marrubson Melo Freitas (DF) e Nilson Alves Carrijo (DF)
Renda e público:
Gols: Gilmar 5'/1ºT (1-0), Wagner 18'/1ºT (1-1), Felipe 23'/1ºT (2-1), Felipe 3'/2ºT (3-1),Guilherme 31'/2ºT (3-2), Everaldo 39'/2ºT (4-2), Gilmar 43'/2ºT (5-2)
Cartões amarelos: Derley, Alessandro, Ruy (NAU) e Ramires, Wagner (CRU)

NÁUTICO: Eduardo, Adriano, Vágner e Titi; Ruy, Hamilton, Derley, William (Geraldo, 29'/2ºT) e Alessandro (Everaldo, 37'/2ºT); Felipe e Gilmar.

CRUZEIRO: Fábio, Jonathan, Thiago Heleno, Leo Fortunato (Thiago Martinelli, intervalo) e Fernandinho; Marquinhos Paraná, Henrique, Ramires e Wagner; Camilo (Thiago Ribeiro, intervalo) e Guilherme. Técnico: Adilson Batista


FLUMINENSE 3 X 1 PORTUGUESA
Jogo de desesperados no Maracanã ontem. Ambos precisando da vitória para se livrar do perigo de rebaixamento.

Até que a Lusa se mostrou disposta a atingir o objetivo de conseguir uma boa vitória fora de casa contra um adversário direto. O time de Estevam Soares saiu na frente do placar, com um belo gol de Edno, completando assistência de Fellype Gabriel e manteve o resultado na primeira etapa.

Entretanto, na etapa final, Renê Simões corrigiu seus erros na escalação do Flu do primeiro tempo e colocou Tartá e Maicon na equipe. Este último seria o nome do jogo. Pois o tricolor carioca veio com uma postura diferente e partiu para cima da Portuguesa. Chegou ao empate com Washington, que completou jogada de Maicon. Virou com o nome do jogo: Maicon. E fechou o placar com Romeu.

Com a ótima vitória/virada, o Fluminense foi aos 40 pontos junto com o Náutico e se mantêm a frente do clube pernambucano por ter um saldo de gols menos negativo (-1 a -10), ficando na 15ª colocação. A Lusa permaneceu onde estava: na 18ª colocação, com 36 pontos.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 15/11/2008 - 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Antônio Hora Filho/SE(ESPECIAL)
Auxiliares: Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Ailton Frias da Silva (SE)
Renda/público: não divulgado
Cartões amarelos: Rai, Aderaldo, Halisson (POR)
Cartões vermelhos: Halisson, 26'/2ºT (POR)
GOLS: Edno, 23'/1ºT (0-1); Washington, 6'/2ºT (1-1); Tartá, 28'/2ºT (2-1); Romeu, 39'/2ºT
(3-1)

FLUMINENSE: Fernando Henrique, Eduardo Ratinho (Tartá, intervalo), Thiago Silva, Luiz Alberto e Junior Cesar; Wellington Monteiro, Fabinho, Arouca (Romeu, 37'/2ºT) e Conca; Everton Santos (Maicon, intervalo) e Washington. Técnico: René Simões.

PORTUGUESA: Gottardi, Patrício, Halisson, Aderaldo e Athirson (Wilton Goiano, 29'/2ºT); Rai (Vaguinho, 36'/2ºT), Erick, Preto e Fellype Gabriel (Dias, 15'/2ºT); Jonas e Edno. Técnico: Estevam Soares.


IPATINGA 3 X 0 SPORT
O Ipatinga, praticamente rebaixado, conseguiu uma ótima vitória diante do atual campeão da Copa do Brasil. Goleou o Sport por 3 a 0: dois de Ferreira e um de Gian. O time do Vale do Aço foi aos 34 pontos, mas continua na lanterna. Mesmo se vencer os seus três próximos compromissos – contra Palmeiras fora, Grêmio em casa e Fluminense fora – chega a apenas 43 pontos: o time mineiro já está rebaixado. O Sport caiu para a 12ª colocação, com 45 pontos.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Ipatingão, em Ipatinga (MG)
Data/hora: 15/11/2008, às 18h30
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Eremilson Xavier Macedo (DF) e Evandro Gomes Ferreira (DF)
Renda e público: Não divulgados
Cartão Amarelo: Augusto Recife, Silvio (IPA); Dutra, Cesar, Magrão (SPT)
Gols: Ferreira, 11'/1ºT (1-0); Gian, 39'/2ºT (2-0); Ferreira, 48'/2ºT (3-0)


IPATINGA: Fernando, Márcio Gabriel(Afonso, 45º/2ºT), Sílvio, Gian e Baroni; Júlio, Augusto Recife, Leandro Salino e Luiz Fernando (Luciano Mandi, Itervalo); Pablo (Leo Oliveira, 27'/2ºT) e Ferreira. Técnico: Enderson Moreira.

SPORT: Magrão, Igor, César e Durval; Sidny (Wilson, Intervalo), Fábio Gomes, Júnior Maranhão (Kássio, 17'/2ºT), Fumagalli e Dutra; Roger e Enílton (Joelson, Intervalo) Técnico: Nelsinho Baptista.


GOIÁS 3 X 1 BOTAFOGO
Jogo de despretensiosos em Itumbiara, que se realizou nesta cidade em virtude do time mandante perder o direito de receber seus adversários no Serra Dourada, em Goiânia, por conta dos incidentes no jogo contra o Cruzeiro.

E deu Goiás: 3 a 1, três de Paulo Baier, nome do jogo, com Lúcio Flávio descontando. O time goiano foi aos 51 pontos e saltou para a 6ª colocação. O Fogão, com 49, vem caindo mais a cada rodada e já está em nono.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Juscelino Kubitschek, Itumbiara (GO)
Data/Hora: 16/11/2008 - 17h
Árbitro: Paulo Cesar Oliveira (Fifa-SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Evandro Luis Silveira (SP)
Renda e público: Não divulgados
Cartões amarelos: Fahel e Ramalho (GOI); Triguinho, Diguinho, Jorge Henrique e Túlio (BOT)
Cartões vermelhos: Andre Luis, 25'/2ºT e Túlio, 30'/2ºT
GOLS: Paulo Baier, 8'/1ºT (1-0), 36'/1ºT (2-0), 27'/2ºt (3-0) e Lucio Flavio, 34'/2ºT (3-1)


GOIÁS: Harlei, Henrique, Ernando e Rafael Marques (João Paulo, 46'/2ºT); Vítor, Fahel, Ramalho, Romerito (Fausto, 31'/2ºT), Paulo Baier e Júlio César; Iarley (Felipe, 38'/2ºT). Técnico: Hélio dos Anjos.

BOTAFOGO:Renan, Túlio, Renato Silva (Emerson, 14'/1ºT), Andre Luis e Triguinho; Leandro Guerreiro, Diguinho (Zárate, intervalo), Lucas Silva e Lucio Flavio; Jorge Henrique e Fábio (Túlio Souza, 20'/2ºT) - Técnico: Ney Franco.


FLAMENGO 5 X 2 PALMEIRAS
Era uma final para as duas equipes. A partida valia a vida na luta por uma vaguinha no G4. As duas equipes entraram em campo dispostas a disputar uma final. E o Maracanã presenciou uma das melhores partidas do Brasileirão.

Quem esperou o respeito demasiado das equipes, caiu do cavalo. Pois já aos dois minutos do primeiro tempo o Flamengo abriu o placar: Kléberson arrancou pela direita e cruzou para área do Palmeiras. A bola passou por todos os marcadores e sobrou para Marcelinho Paraíba, sozinho, concluir.

Tão logo o Verdão acordou para o jogo e passou a fazer o que fez durante todo o primeiro tempo, após levar o gol: dominar a partida. Chegando ao gol de empate aos 12; Kléber sofreu pênalti de Jaílton e Alex Mineiro converteu, chegando ao seu 19º gol no campeonato.O domínio alviverde vinha se estabelecendo e, quando o Verdão já estava quase chegando a virada, foi prejudicado por Leonardo Gaciba: Obina sofreu falta de Maurício e caiu. O árbitro marcou a infração, mas não interveio quando o centroavante rubro negro cobrou a falta oito metros a frente do local devido, deixando Fábio Luciano livre para atacar pela direira, rolar para Marcelinho Paraíba, este rolando para Íbson, que mandou para o gol de Marcos, fazendo 2 a 1 para o Mengão.

Na etapa final, o Flamengo sofreu uma baixa importante: Juan sentiu a mesma lesão do jogo contra o Botafogo e foi substituído no intervalo por Éverton. O meia, improvisado na ala esquerda, entrou com tudo e fez duas boas jogadas nos primeiros cinco minutos.

O Palmeiras veio com a mesma disposição da etapa inicial e com a mesma equipe. Mas sofreu um duro golpe, logos aos 10 minutos: mais uma vez Kléberson fez excelente jogada e deu um passe açucarado para Íbson dentro da grande área, que colocou no ângulo de Marcos: 3 a 1 Mengão.

Para afirmar que os espectadores estavam diante de um jogão, o time de Luxemburgo prontamente reagiu: aos 15, Martinez levantou na área do Fla e Kléber, livre de marcação, diminuiu de cabeça: 3 a 2. E depois do gol, o treinador colocou seu time pra frente: sacou Martinez, colocando Sandro Silva e desfazendo o esquema de três zagueiros e tirou Fabinho Capixapa para entrada do meia Evandro.

Mas o Porco só ameaçava nos escanteios. Muito pouco para quem queria a vitória para permanecer no G4. E pagou pelo buraco no lado esquerdo da zaga: Íbson tabelou com Kléberson e fez um golaço de letra aos 19. Kléberson, o segundo nome do jogo, atrás apenas de Íbson e o seu HAT-TRICK, fez de cabeça o quinto do Flamengo, completando cruzamento de Fábio Luciano dentro da área. Final: Flamengo 5 x 2 Palmeiras.

Com os três pontos de hoje, o rubro negro foi a 63 pontos e ultrapassou Cruzeiro e Palmeiras na tabela, passando para a terceira colocação. Já o Verdão ficou nos 61 e caiu para a quinta posição, saindo do G4.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 16/11/2008 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Leonardo Gaciba (Fifa - RS)
Renda/público: R$ 1.166.807,00 / 59.678 pag.
Cartões amarelos: Aírton, Obina (FLA); e Gustavo (PAL)
GOLS: Marcelinho Paraíba, 2'/1ºT (1-0); Alex Mineiro (pênalti), 12'/1ºT (1-1); Ibson, 21'/1ºT
(2-1); Ibson, 10'/2ºT (3-1); Kléber, 15'/2ºT (3-2); Ibson, 19'/2ºT (4-2); e Kleberson, 24'/2ºT
(5-2).


FLAMENGO: Bruno, Jaílton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Aírton, Ibson (Maxi, 37'/2ºT), Kleberson e Juan (Everton, intervalo); Marcelinho Paraíba (Toró, 18'/2ºT) e Obina. Técnico: Caio Júnior.

PALMEIRAS: Marcos, Gustavo, Roque Júnior e Martinez (Sandro Silva, 23'/2ºT); Fabinho Capixaba (Evandro, 17'/2ºT), Jumar (Maicossuel, 11'/2ºT), Pierre, Diego Souza e Leandro; Kléber e Alex Mineiro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.


SÃO PAULO 3 X 1 FIGUEIRENSE
Um campeão não pode ter na sua lista de jogos que o levaram ao título uma derrota em casa para um time que brigava para fugir do rebaixamento. E o São Paulo fez o seu dever de casa contra o Figueirense, vencendo por 3 a 1, com mais uma excelente atuação de Borges, que anotou dois gols, mais uma vez. Hugo marcou o outro gol do tricolor e Cleiton Xavier fez o do Figueira.

Agora, o São Paulo depende só de si para levar o seu sexto título nacional, o terceiro consecutivo. Foi aos 68 pontos, ficando a dois do Grêmio e a cinco do Flamengo, permanecendo, lógico, na liderança do campeonato. O Figueira ficou nos 35 e ainda é o vice-lanterna. Está muito próximo do rebaixamento.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 16/11/2005 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Altemir Hausman (Fifa-RS) e José Javel Silveira (RS)
Renda/Público: 58,518 pagantes/ R$1.224.735
Cartões Amarelos: Rodrigo (SPO); Asprilla, Rafael Lima (FIG)
GOLS: Borges, 8'/1ºT (1-0); Borges, 24'/1ºT (2-0); Cleiton Xavier, 43'/1ºT (2-1); Hugo


SÃO PAULO: Rogério Ceni, Anderson, Rodrigo e Miranda; Joilson, Jean, Hernanes (Jancarlos, 45'/2ºT), Hugo e Jorge Wagner; Borges (Richarlyson, 41'/2ºT) e Dagoberto (Éder Luis, 42'/2ºT) Técnico: Muricy Ramalho.

FIGUEIRENSE: Wilson, Gomes, Asprilla, Rafael Lima; Diogo, Roger (Anderson Luís, 1'/2ºT), Cleiton Xavier, Ramon e William Matheus (Bruno Santos, 26'/2ºT); Lima (Tadeu, 1'/2ºT) e Rafael Coelho. Técnico Mário Sérgio.


SANTOS 1 X 0 INTERNACIONAL
Era uma partida para o Santos ganhar. O adversário vinha com uma equipe mista, por estar poupando os titulares para o confronto contra o Chivas Guadalajara na Copa Sul Americana. A situação na tabela não era muito animadora. E uma derrota ligaria o alerta vermelho na Vila Belmiro.

Mas não foi preciso o botão vermelho ser acionado em Santos. O Peixe fez o simples e venceu o mistão do Inter por 1 a 0, gol contra de Gustavo Nery, chegando aos 43 pontos e permanecendo na 13ª colocação, na zona da Sul Americana. Já o Inter perdeu a sua 6ª colocação para o Goiás, que também foi a 51 pontos e superou o Colorado no saldo de gols (11 a 4). Os gaúchos são os sétimos.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Vila Belmiro - Santos (SP)
Data: 16/11/2008 - 19h10 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: José Amilton Pontarolo (PR) e José Carlos Dias Passos (PR)
Público e renda:11.731 pagantes/R$119.931,00
Cartões amarelos: Bustos, Orozco e Taison (INT); Wendel (SAN)
GOL: Gustavo Nery (contra), 24'/2ºT (1-0)


SANTOS: Douglas; Wendel, Domingos, Adaílton e Kléber (44'/2ºT - Adriano); Roberto Brum, Bida, Pará e Molina (14'/2ºT - Michael); Cuevas (14'/2ºT - Quiñonez) e Kléber Pereira. Técnico: Márcio Fernandes

INTERNACIONAL: Lauro; Bustos, Orozco, Danny Morais e Gustavo Nery; Maycon, Sandro, Rosinei e Taison; Daniel Carvalho e Guto. Técnico: Tite.


ATLÉTICO-PR 2 X 1 VITÓRIA
Uma vitória importantíssima do Furacão na Arena da Baixada diante de um adversário perigoso como o Vitória. Os 2 a 1, de virada, colocaram o Atlético-PR na 14ª posição, com 41 pontos. Rafael Moua e Alan Bahia fizeram os gols do rubro negro paranaense. Robert fez o dos baianos, que ficaram nos 45 pontos e caíram para 11ª colocação.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Arena da Baixada, Curitiba (PR)
Data/hora: 16/11/2008 – 19h10 (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Auxiliares: Marcio Eustáquio S. Santiago (MG) e Flávio Gilberto Kanitz (GO)
Público/Renda: 17.921/R$ 269.212,50
Cartões Amarelos: Chico (APR); Daniel, Victor Ramos, Leandro Domingues, Marco Aurélio (VIT)
Cartões Vermelhos: Robert, 8'/2ºT (VIT);
GOLS: Robert, 32'/1ºT (0-1); Rafael Moura, 42'/1ºT (1-1); Alan Bahia, 22'/2ºT;

ATLÉTICO-PR: Galatto, Antônio Carlos, Chico (Geílson, 18'/2ºT) e Rhodolfo; Zé Antônio, Valencia, Alan Bahia (Gustavo Lazaretti, 43'/2ºT), Ferreira e Netinho; Rafael Moura e Júlio César (Fernando, 30'/2ºT). Técnico: Geninho.

VITÓRIA: Gléguer, Marcelo Batatais, Thiago Gomes e Victor Ramos; Marco Aurélio, Renan (Muriqui 26'/2ºT), Wallace, Jackson (Adriano, 32'/2ºT), Leandro Domingues e Daniel (Willians, 32'/2ºT); Robert. Técnico: Vágner Mancini.


GRÊMIO 2 X 1 CORITIBA
O Grêmio já entrou em campo para enfrentar o Coritiba no Olímpico sabendo que, com a vitória do Flamengo sobre o Palmeiras, uma derrota em casa o faria cair para terceiro na tabela.Mas o tricolor gaúcho tirou o doce da boca dos cariocas ao fazer o dever de casa contra o Coxa: 2 a 1, gols Tcheco e Héverton, com Ariel descontando.

O gol dos paranaenses foi já nos acréscimos do segundo tempo, quando a partida já estava decidida.O time de Celso Roth foi aos 66 pontos e manteve a segunda colocação, estando ainda há dois pontos do líder São Paulo. Já o Coxa caiu para oitavo com os seus 50 pontos; garantido na Sul Americana do ano que vem.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Olímpico, Porto Alegre (RS)
Data e hora: 15 de novembro de 2008, às 19h10 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (FIFA-RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Hilton Moutinho Rodrigues (RJ)
Renda/público: Não disponível /43.835 pagantes
Gols: Tcheco, 27'/1ºT (1-0); Héverton, 30'/2ºT (2-0); Ariel, 46'/2ºT (2-1)
Cartões: Adilson (GRE); Hugo, Maurício, Leandro Donizete (COR)


GRÊMIO: Victor; Amaral, Réver e Héverton; Souza, Rafael Carioca (Adilson, 35'/2ºT), William Magrão, Tcheco e Hélder; Reinaldo (André Luís, 25'/2ºT) e Marcel (Morales, 25'/2ºT). Técnico: Celso Roth.

CORITIBA: Vanderlei; Maurício, Rodrigo Mancha e Felipe; Marcos Tamandaré, Alê, Leandro Donizete (Carlinhos Paraíba, 17'/2ºT), Marlos e Ricardinho; Keirrison (Ariel, 17'/2ºT) e Hugo (Jaílson, 28'/2ºT). Técnico: Dorival Júnior.


CONFIRA A TABELA E A CLASSIFICAÇÃO DO BRASILEIRÃO CLICANDO AQUI.

sábado, 15 de novembro de 2008

113 ANOS DO CLUBE DE REGATAS FLAMENGO



No dia do aniversário de 113 anos do Clube de Regatas Flamengo, data oficiosa, não oficial (17 de novembro), em vez de o Caneta fazer uma homenagem a este clube tão querido, E TÃO ODIADO, no Brasil e no mundo, trará um relato de um torcedor fanático pelo rubro negro desde 1992: ESTE QUE VOS ESCREVE, AUTOR DO BLOG.



"FLAMENGO, MINHA VIDA"
Por Aldevan Junior

"1992. Estava numa cama de hospital. Recuperando-me de uma precoce cirurgia de retirada do apêndice. Tinha apenas seis anos. Era um molequinho gordinho, que comia pra caramba e que nem ligava para futebol ainda. Mas que parou no hospital para retirar o apêndice.

A voz da minha mãe dizia que já sairíamos daquele lugar. Claro que acreditei, pois aquela foi, e sempre será, a única voz que eu ouvi de verdade na vida. E tão logo eu já estava em casa.

Porém, numa noite, jantando no quarto dela, os pontos da operação se romperam. Era a infecção hospitalar se manifestando. Que me fez voltar ao hospital para tentar conseguir vivendo. É, estou aqui para contar a história...

PS.: ERA UM DOS MELHORES HOSPITAIS DA ILHA DO GOVERNADOR, A CASA DE SAÚDE SÃO BENTO

No mesmo momento, o Brasil parava para comemorar mais um título nacional do Flamengo, desta vez em cima do Botafogo, que fez até melhor campanha. Olhava na TV e gostava daquela festa. As dores aliviavam a cada elogio ou preferência da mídia da época para o rubro negro. Queria participar daquilo.

O tempo passou, eu me recuperei, mas ainda não me considerava torcedor do Flamengo. Sei lá, precisava de algum endossamento. Que veio através de um cunhado rubro negro fanático, que fez a cabeça de uma criança que já tendia para o lado do clube da Gávea.

Pronto, já era rubro negro. E agora? Agora é torcer. O campeonato? Supercopa de 1993. O Flamengo chegou a final contra o poderoso São Paulo. Eu não entendia muito bem o que se passava dentro daquele campo, mas torcia para o vermelho e preto ganhar. Entretanto, veio a decepção: Marcelinho perdeu o pênalti e o campeonato.

Depois disso eu fiquei confuso. Queria aquela festa do ano passado, que me recuperou, que aliviaram as minhas dores.

1994. Não lembro de nada além da Copa do Mundo nos EUA e do tetra da seleção brasileira. Não lembro de ser Flamengo em 1994. Mas em 1995 sim. Era outra final. Campeonato carioca. FLA X FLU. Disseram-me que era um dos jogos mais importantes do mundo. Todavia, não foi por isso que eu sentei quase colado a TV nos jogos da final. Lembrei que eu era Flamengo. E que eu tinha de torcer para o meu time ganhar!

Todos sabem o que aconteceu, né... Renato Gaúcho fez aquele gol de barriga, que fizeram as primeiras lágrimas caírem daquela criança, já gordinha outra vez, pelo time do seu coração. Rapaz, eu já sofria com o Mengão...

Porém, era mais uma decepção. Eu era um gordinho confuso, que aceitou os conselhos das pessoas próximas para mudar de time. Mas para que time? Vasco? Fluminense, que venceu o Flamengo? Botafogo? Não, eu mesmo escolhi meu novo time: CORINTHIANS, que havia acabado o Campeonato paulista com um golaço de Elivélton. Era a mesma festa da TV de 1992. A mesma grandiosidade da torcida. E no natal, pedi ao meu pai uma camisa do Corinthians. Ele, que é vascaíno, mas não liga para futebol, me deu. O número 7, do mesmo Marcelinho que tirou o sorriso do meu rosto em 1993. QUE TENHO ATÉ HOJE; GUARDO COM MUITO ORGULHO!

É claro que fui repreendido por muita gente: COMO, VOCÊ NÃO PODE TORCER PARA UM TIME PAULISTA! Ah, por que não? Virei corintiano mesmo. Virei? Não, não virei. Era fogo de palha. O sangue rubro negro já corria nas minhas veias. Como eu sofri naquele Brasileirão de 1995... Mas eu queria aquela festa de 1992...

1996. Mais uma vez o Flamengo bem no Carioca. E eu? Torcendo, de “rabo de olho”... Até que o 0 a 0 com o Vasco deu o título invicto ao rubro negro, que venceu os dois turnos. ATÉ QUE ENFIM!!! AQUELA FESTA OUTRA VEZ!!!

E depois de 1996, jamais traí o manto sagrado. É certo que não sou como um flamenguista típico, que quer mais que os outros cariocas caiam para a segunda divisão, que é arrogante, etc, etc. Mas o Flamengo faz parte da minha vida. Literalmente. Minha vida quase foi posta em xeque naquela infecção hospitalar em 1992. DEUS operou o milagre e o Flamengo me ajudou na recuperação.

Gosto muito de futebol, acima de tudo. Mas só gosto de futebol porque o fui apresentado através do Clube de Regatas Flamengo. Clube que aprendi a amar. Na vitória, na derrota, na primeira, na segunda divisão.

Parabéns, Mengão. Muito obrigado por você existir!"

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

NOVIDADE NO CANETA: CAMPEONATO ARGENTINO

FOTO: INTERNET


A partir de hoje, o Caneta de Chuteira recebe um novo colaborador. Trata-se do blogueiro argentino Heb-Diablo, do “Al fondo de la red”, que escreverá todas as terças feiras sobre o futebol na terra de Diego Maradona. Sua coluna inicia nesta semana na sexta feira excepcionalmente, mas a partir da semana que vem fixará o seu espaço na terça.

BIENVENIDO, HEB!

San Lorenzo e Boca se encaminham: 14ª rodada do Apertura
Com suas vitórias sofridas, San Lorenzo e Boca Juniors se consolidaram como líderes do Apertura, quando restam cinco rodadas para terminar o certame
Por Heb-Diablo

O poderoso River Plate vem fazendo a pior campanha da sua historia na despedida do treinador Diego Simeone, mesmo empatando heroicamente com o Huracán em 3 a 3 numa partida cujo primeiro tempo perdia por 3 a 0.

San Lorenzo (29 pontos) sofreu para vencer a Gimnasia de Jujuy por 2 a 1 no Nuevo Gasometro, chegando a vitória nos minutos finais com um tento de Gonzalo Bergessio. Os visitantes estiveram a ponto de estragar a festa dos azul-grenás, já que na última jogada o atacante Jorge Luna acertou uma bola no travessão que quase mudou a historia do jogo.

Boca ficou devendo uma atuacão convincente frente ao Arsenal de Sarandí e só a magia do pé direito de Juan Román Riquelme fez a diferença, numa cobrança de falta aos 45 minutos do segundo tempo que lhe deu três pontos vitais na luta pelo título.

Tigre, que havia chegado a esta rodada na ponta, compartilhada com três equipes, padeceu também com esse velho preceito futebolístico que diz que a partida só termina com o apito final do árbitro. A equipe dirigida por Diego Cagna, um dos nomes mais cotados para substituir Simeone no River, estavam obtendo um valioso triunfo em Santa Fé sobre o Colón, mas o atacante Rubén Ramírez apareceu para deixar tudo igual: 2 a 2.

Os artilheiros estrangeiros desta rodada foram o paraguaio Aureliano Torres, do San Lorenzo e o colombiano Falcao Garcia, do River, que converteu de penalti e quebrou o tabu de mais de um ano sem que marcassem uma penalidade máxima a favor dos "Millonarios".

Ouros resultados importantes: O Estudiantes de La Plata venceu por 1 a 0 o caído Independiente, que já está há quatro rodadas sem vencer e o Racing venceu a San Martín de Tucumán por 2 a 0 fora de casa, ratificando a sua recuperação.


Demais resultados:

Sexta feira 07/11:

Rosario Central 1 x 2 Lanús
Banfield 2 x 1 Newell's

Sábado 08/11:
Colón 2 x 2 Tigre
Godoy Cruz 1 x 1 Argentinos Jrs.
Vélez 0 x 2 Gimnasia de La Plata
Estudiantes 1 x 0 Independiente

Domingo 09/11:
San Lorenzo 2 x 1 Gimnasia de Jujuy
Arsenal 0 x 1 Boca Juniors
San Martín 0 x 2 Racing
River Plate 3 x 3 Huracán.


Classificação:

1-San Lorenzo, com 29 pontos;
2-Boca, com 29 (perdendo no saldo de gols para o San Lorenzo);
3-Tigre, 27;
4-Lanús, 24;
5-Newell's, 23;
6-Estudiantes, 21;
7-Racing, 20;
8-Vélez, 20 (perdendo no saldo de gols para o Racing);
9-Colón, 19;
10-Gimnasia de La Plata, 18;
11-Arsenal, 18 (perdendo no saldo de gols para o GLP);
12-San Martín, 17;
13-Banfield, 17 (perdendo no saldo de gols para o San Martín);
14-Huracán, 16;
15-Gimnasia de Jujuy, 16 (perdendo no saldo de gols para o Huracán);
16-Independiente, 15;
17-Argentinos, 15 (perdendo no saldo de gols para o Independiente);
18-Godoy Cruz, 13;
19-Central, 11;
20-River, 10.


15ª RODADA:

Lanús x Banfield
Gimnasia de La Plata x San Martín
Huracán x Central
Gimnasia de Jujuy x Arsenal
Tigre x Godoy Cruz
Racing x Colón
Newell's x San Lorenzo
Boca x Vélez
Independiente x River
Argentinos x Estudiantes.


Artilharia:

José Sand (Lanús) 13;
Martín Morel (Tigre) 10;
Esteban Fuertes (Colón) 9;
Rubén Ramírez (Colón) e Mauro Boselli (Estudiantes) 7.

MAIS DETALHES SOBRE O FUTEBOL ARGENTINO EM
http://www.alfondo-delared.blogspot.com/
PASATE!

JOGOS DE QUARTA-FEIRA: BRASILEIRÃO E COPA SUL-AMERICANA



ACIMA, CASTILLO COMEMORA SEU GOL DIANTE DO VASCO COM O MASCOTE DO GALO; ABAIXO, JOGADORES DO INTER FESTEJAM GOL EM PLENO JALISCO / FOTOS AGÊNCIA ESTADO/EFE, RESPECTIVAMENTE

Quarta-feira de ótimos resultados para Atlético-MG e Internacional

Galo goleia o Vasco no Mineirão pelo Brasileirão; Colorado vence o Chivas em Guadalajara pela Copa Sul-Americana

BRASILEIRÃO: ATLÉTICO-MG 4 X 1 VASCO
Era uma partida para a afirmação das equipes no Campeonato Brasileiro. Para o Galo, a vitória valeria para sacramentar a classificação para a Copa Sul Americana do ano que vem, salvando o ano do seu centenário de um vexame maior. Já para o Vasco, os três pontos estavam valendo a sobrevivência na Série A.

E o Galo tratou de não deixar o Vasco repetir a atuação que este teve diante do Goiás na 31ª rodada no Serra Dourada, aplicando-lhe uma goleada: 4 a 1, gols de Castillo, Renan Oliveira e Leandro Almeida, que marcou dois gols de pênalti na segunda etapa. Madson descontou para o Vasco.

Com a vitória em casa, o Atlético foi aos 47 pontos, saltou para a 10ª colocação e torce para insucessos de Vitória e Sport para continuar no atual posto. O Vasco ficou nos 37 pontos e ainda está fora da zona de rebaixamento por vencer nos critérios de desempate Fluminense e Náutico, que também têm a mesma pontuação do time cruzmaltino. Porém, estes times tem um jogo a menos, além de Portuguesa e Figueirense, que podem ultrapassar o Vasco na tabela: a sorte do time da Colina é que o Flu faz confronto direto com a Portuguesa e Náutico e Figueirense têm parada dura: os pernambucanos enfrentam o Cruzeiro em casa e os catarinenses o líder São Paulo no Morumbi.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Estádio: Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 12/11/2008 - 22h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Aspirante Fifa-RS)
Auxiliares: Marcelo Bertanha Barison (RS) e Julio Cesar Rodrigues Santos (RS)
Renda/público: R$244.750,00 / 42.182 pagantes
Cartões amarelos: Sheslon (ATL); Jonílson e Rafael (VAS)
GOLS: Castillo, 10'/1ºT (1-0); Renan Oliveira, 31'/1ºT (2-0); Leandro Almeida, 13'/2ºT (3-0); Leandro Almeida, 16'/2ºT (4-0); Madson, 23'/2ºT (4-1).


ATLÉTICO-MG: Juninho (Edson, 27'/1ºT), Sheslon, Leandro Almeida, Welton Felipe e César Prates; Nen, Márcio Araújo, Elton (Yuri, 31'/2ºT) e Renan Oliveira; Marques (Pedro Paulo, intervalo) e Castillo. Técnico: Marcelo Oliveira.

VASCO: Rafael, Jorge Luiz, Eduardo Luiz (Leandro Bomfim, intervalo) e Odvan; Wagner Diniz, Jonílson, Mateus, Madson (Edson, 45'/2ºT) e Rodrigo Antônio; Leandro Amaral e Edmundo (André, 20'/2ºT). Técnico: Renato Gaúcho.


COPA SUL-AMERICANA: CHIVAS GUADALAJARA 0 X 2 INTERNACIONAL
O time de Porto Alegre mostrou porque se chama Internacional. Por jogar um futebol convincente em qualquer lugar do mundo. Até em Guadalajara, ganhando em pleno Jalisco do Chivas por 2 a 0, gols de Nilmar e Alex, sendo este marcando em uma magistral cobrança de falta. É o melhor atleta em atividade no Brasil hoje em dia, sem dúvida nenhuma.

Agora o Inter joga por um simples empate ou até por uma derrota por um gol no Beira Rio para ficar com a vaga. Para os mexicanos, resta apenas a tentativa de devolver o 2 a 0 de levar a disputa para os pênaltis ou fazer como o seu compatriota América, que protagonizou na Libertadores deste ano uma das maiores viradas do futebol mundial, ao sair de uma desvantagem de 4 a 2 no primeiro jogo das oitavas-de-final contra o Flamengo com um 3 a 0 em pleno Maracanã.

E por falar em Libertadores, uma notícia deixou os torcedores do Internacional eufóricos. A FIFA pode impedir que o futebol peruano participe de competições internacionais. Isto porque este país teve intervenções governamentais na federação de futebol, indicando o presidente. A entidade máxima do futebol mundial deu prazo até o dia 21 de novembro para o país sul-americano resolver esse imbróglio. Caso nada aconteça, o Peru estará fora da disputa das Eliminatórias para Copa do Mundo de 2010, dos mundiais amadores, da Copa Sul Americana e da Copa Libertadores, onde tem três representantes.

Há a possibilidade de se apontar o campeão da Copa Sul Americana de 2008 para preencher uma das vagas na competição mais importante entre clubes na América, o que deixou os torcedores colorados esperançosos de verem seu time além de ser campeão da competição cuja taça já persegue há anos, verem seu time disputar a Copa Libertadores no ano do seu centenário.

FICHA TÉCNICA (Lancenet)
Local: Estádio Jalisco (MEX)
Data/Horário: 12.11.08 - 22h (de Brasília)
Árbitro: Carlos Torres (PAR)Gols: Nilmar 24’/1ºT (0-1); Alex, 33'/2ºT (0-2)
Cartões: Araujo, Reynoso, Esparza, Mejía (CHI); Indio, Guiñazú (INT)

CHIVAS: Hernández, Reynoso (Ávila, 29'/2ºT), Esparza (Medina, intervalo), Pineda e Araujo; Báez, Morales, Solís (De La Mora, 12'/2ºT)e Mejía; Santana e Arellano. Técnico: Efraín Flores.

INTERNACIONAL: Lauro; Bolívar, Indio, Álvaro e Marcão; Edinho, Magrão, Guiñazú e Andrezinho (Rosinei, 37'/2ºT); Nilmar (Taison, 37'/2ºT) e Alex (Sandro, 46'/2ºT). Técnico: Tite.

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

O FATO: SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE



A leviandade de um fanático torcedor pode ofuscar um fato principal num campeonato importante como o Brasileirão. E o fato do Brasileirão chama-se SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE.

Leviandade é apenas julgar o tricolor paulista pelos reais erros de arbitragem que o favoreceram. Bater sempre na tecla de que o juiz favorece este ou aquele sempre desvia o foco de um bom trabalho. E no caso do São Paulo não é num um bom trabalho; é uma aula de como se jogar um campeonato de pontos corridos.

Exemplo em estrutura, com o excelente CT da Barra Funda, que possui talvez o melhor centro de recuperação de jogadores do mundo, o Reffis, o time do Morumbi já é um campeão neste aspecto. O dia em que a gestão de futebol chegar ao nível também de excelência, assim como a suas instalações, o São Paulo, certamente, será a referência no futebol da América do Sul roubando o posto do Boca Juniors da Argentina.

Apenas o fator infra-estrutura e boa gestão (boa gestão na medida do possível...) poderia explicar o sucesso do tricolor. Contudo, o assunto abordado é o Campeonato Brasileiro de 2008, que passou a ser o único torneio a ser disputado pelo time no ano, em vista da eliminação precoce na Taça Libertadores pelo Fluminense nas quartas-de-final. Era a única chance de conquista de título no ano, já que equipe estava em branco até o momento.

A eliminação na competição continental aconteceu no dia 21 de Maio. O fato abalou muito a equipe, que custou a engrenar no Campeonato Brasileiro, que estava na segunda rodada e a campanha tricolor até o momento era uma derrota em casa para o Grêmio e um empate fora contra o Atlético-PR. Mas, na medida do possível, os resultados foram aparecendo, sem classificação desejada, entretanto, em vista do bom campeonato realizado por equipes como Flamengo, Cruzeiro, Grêmio, Vitória e Palmeiras.

O tricolor então continuou fazendo o seu campeonato de recuperação. Na 17ª rodada, o São Paulo goleou o Vasco por 4 a 0 no Morumbi e chegou pelo primeira vez ao G4. Mas saiu no início do returno, 20ª rodada, com outra para o Grêmio, só que desta vez no Olímpico. O Botafogo vinha de uma seqüência de vitórias maravilhosa e lhe roubou a vaga. Porém, foi depois desta rodada que Muricy Ramalho mostrou como se disputa um campeonato de pontos corridos.

Pois na 21ª rodada, o São Paulo venceu o Atlético-PR no Morumbi por 3 a 1. E desde esta partida, no dia 20 de Agosto, o time não perdeu. Foram nove vitórias e cinco empates. Deixaram o São Paulo chegar. As equipes que disputavam o título não acompanharam a invencibilidade tricolor. Até que na 32ª rodada, o então líder Grêmio viu o São Paulo colado na sua traseira, com o mesmo número de pontos, perdendo no número de vitórias. E no domingo seguinte, o tricolor gaúcho tropeçou em casa contra o Figueirense e o tricolor paulista fez o dever de casa contra o Internacional. Resultado: São Paulo líder do campeonato.

E no sábado passado, venceu uma batalha duríssima contra a Portuguesa, mantendo a sua liderança/invencibilidade. Daqui para frente, o São Paulo enfrenta Figueirense e Fluminense em casa e Vasco e Goiás fora. Provavelmente, será tri-campeão nacional seguidamente, fato inédito na competição, conquistando o seu sexto título no total, mais do que merecidamente.

Portanto, como não enxergar o trabalho de um treinador cuja equipe está invicta há 14 jogos, tem uma jogada de bola parada mortal, com nove assistências do garçom Jorge Wagner e tem o melhor ataque do campeonato no momento? Por que ficar sempre procurando infundadas desculpas na arbitragem para explicar o sucesso tricolor? É chato ter o mesmo campeão sempre numa competição como o Brasileirão. Mas enquanto as equipes ao menos não copiarem o trabalho realizado no Morumbi e no CT da Barra Funda, o SPFC se perpetuará no cenário do futebol nacional.

OBS.: SIM, MURICY RAMALHO É UM GRANDE FATOR NO SUCESSO DO SÃO PAULO NO BRASILEIRÃO DE PONTOS CORRIDOS. MAS, CERTAMENTE, O FATO DE TER UM CENTRO DE EXCELÊNCIA PARA TREINAR OU DE TER OS SALÁRIOS EM DIA, POR EXEMPLO, FAZ COM O PROFISSIONAL EM QUESTÃO SE PREOCUPE APENAS COM O SEU TRABALHO. TALVEZ ESTEJA AÍ A CHAVE DO SUCESSO.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

E JÁ TEMOS O GOLEIRO...


Bruno treinando na Gávea. FOTO: IVO GONZALEZ, AGÊNCIA O GLOBO


A seleção do Campeonato Brasileiro realizada pelos leitores do Caneta de Chuteira já está começando a ser formada.

A primeira enquete encerrada foi sobre quem é o melhor goleiro do Brasileirão. Foram oito votos computados e, numa disputa apertada, deu Bruno, do Flamengo, com três votos (37%). Rogério Ceni, do São Paulo, ficou em segundo, com dois (25%). Marcos, do Palmeiras, Victor, do Grêmio e Outros, tiveram um voto cada (12%).

AGORA VAMOS ELEGER AS DEMAIS POSIÇÕES: ESTÃO AINDA NO AR AS ENQUETES SOBRE O MELHOR LATERAL-DIREITO E ZAGUEIRO CENTRAL. VOTEM!!!

OBS: QUANTO A ELEIÇÃO DO GOLEIRO, APENAS ESTOU COLOCANDO O QUE JÁ ESTAVA NO AR HÁ DIAS NO CANETA. A ENQUETE FICOU NO AR MAIS DE UMA SEMANA E ACREDITO QUE FOI UM TEMPO BOM PARA A APURAÇÃO.

JÁ RECEBI COMENTÁRIOS SOBRE A PRESENÇA DE JOGADORES DO FLAMENGO EM TODAS AS ENQUETES ATÉ AGORA. REPITO O QUE DEIXEI CLARO NOS COMENTÁRIOS. ESTE É UM ESPAÇO LIVRE. A OPÇÃO "OUTROS" ESTÁ LÁ PARA SER VOTADA. CASO VOCÊ NÃO ACEITE A LISTA DO CANETA, VOTE EM "OUTROS" E DEIXE UM COMENTÁRIO EM QUALQUER MATÉRIA, MESMO QUE NÃO SEJA SOBRE A SELEÇÃO DO CAMPEONATO, DIZENDO QUAL É O JOGADOR QUE VOCÊ ACHA SER O MELHOR. SE ESTE FOR A MAIORIA, COM CERTEZA ESTARÁ NA SELEÇÃO DO BLOG.

O QUE NÃO PODE É A PESSOA DISCORDAR DO JOGADOR ELEITO SEM RAZÃO.

SÓ PARA SE TER UMA IDÉIA, EU VOTEI EM TODAS AS ENQUETES: SEMPRE DEIXO PARA VOTAR ASSIM QUE COLOCO A ENQUETE NO AR. PARA GOLEIRO, VOTEI NO BRUNO; PARA LATERAL-DIREITO, NO VITOR; E PARA ZAGUEIRO, THIAGO SILVA. E VOU COLOCAR CADA VOTO MEU AQUI PARA NÃO GERAR DESCONFIANÇA DOS LEITORES QUANTO A VOTAÇÃO.

MAIS UMA VEZ, REPITO: O ESPAÇO É LIVRE!

Assinar Feed Assinantes

Seguir no Twitter Seguidores

Artigos publicados Artigos

Comentários recebidos Comentários